Vernizes, Stains, Óleos, Ceras: Quais são os acabamentos mais adequados para madeira?

Vernizes, Stains, Óleos, Ceras: Quais são os acabamentos mais adequados para madeira?

Nos últimos anos muita atenção tem sido dada a construções em madeira. Tratando-se de um material sustentável, renovável e por capturar uma enorme quantidade de carbono durante o seu crescimento, as inovações envolvendo o material têm sido constantes, permitindo construções mais altas e mesmo unindo-se com outros materiais. No entanto, ao falarmos de madeira, abordamos uma variedade imensa de espécies, com diferentes resistências, tonalidades, potencialidades, limitações e usos recomendados. Enquanto há madeiras extremamente duras, pesadas e com resistências comparáveis ao concreto, há outras bastante moles e leves que são mais propícias para outras finalidades.

© TwilightArtPictures© Kelly Marken© Anyman7205© Taiga+ 8

© il21
© il21

De qualquer forma, por ser um material natural, a madeira é porosa e se adapta às condições de temperatura e umidade do ambiente em que está inserida, podendo absorver tudo o que entra nela, como óleos, sujeira e produtos químicos. Sem um acabamento adequado, a madeira pode secar, rachar, perder sua tonalidade natural e deteriorar-se. Se exposta a mudanças bruscas, como períodos de muita umidade e seca, pode acabar inchando ou apodrecendo. 

Apesar de termos consciência de que a manutenção é vital para o bom funcionamento de todos os tipos de edificações, quando tratamos de madeira, isso é ainda mais imprescindível. Um acabamento adequado evita que a madeira se deteriore rapidamente, aumentando sua vida útil e evidenciando suas características naturais. A disponibilidade e os termos utilizados para cada tipo de acabamentos podem variar em função do país. Abaixo, separamos os acabamentos mais utilizados, suas características e usos principais:

Vernizes

© Carlos andre Santos
© Carlos andre Santos

Erroneamente, muitas vezes a palavra verniz é utilizada para uma gama enorme de acabamentos para madeira. Mas, de fato, são esses os produtos mais utilizados para a proteção e embelezamento do material. Os vernizes criam uma camada transparente, como um filme sobre a superfície aplicada, que tapa os poros da madeira. Isso destaca os veios e as cores naturais da madeira. Trata-se de um produto à base de óleos secativos e resinas sintéticas. Há diversos tipos no mercado, como o verniz marítimo e o de poliuretano, muito resistentes à água e umidade. Há vernizes com proteção contra os raios ultra-violeta, muito úteis para estruturas exteriores. Outros tipos permitem alterar a tonalidade da madeira através dos tingidores.

Os vernizes são bastante versáteis. Muito utilizados em fachadas, estruturas, esquadrias e em peças internas. Importante que, quando a camada de verniz começar a se soltar da peça, deixando-a desprotegida, a peça seja lixada e reaplicado o produto.

© Taiga
© Taiga

Stain ou Impregnantes

Os impregnantes, também conhecidos com stain, trabalham de uma forma um pouco distinta. Ao contrário do verniz, ele penetra na madeira e deixa seus poros dela abertos, nutrindo as suas fibras, e permitindo que a madeira “respire”. Isso confere um aspecto mais natural aos seus veios, sobretudo ao tato, mas mesmo na versão transparente acaba escurecendo um pouco a peça. Por impregnar na madeira, é um acabamento que a torna extremamente impermeabilizada. De fácil aplicação e manutenção, o stain não trinca, porque é absorvido pela madeira e não forma uma camada de filme de proteção. 

Seus usos são similares aos vernizes, sendo muito utilizados em decks também.

© Anyman7205
© Anyman7205

Óleos

Acabamentos em óleos são muito apreciados e populares entre marceneiros, pois tendem a destacar muito bem o caráter da madeira, sem modificar tanto a sua cor e textura. Feitos de produtos naturais, são bastante fáceis de aplicar e manter. Eles acompanham os movimentos naturais da madeira, hidratando-a e impermeabilizando-a. Por outro lado, não se trata de um acabamento tão resistente às intempéries, como os anteriores citados, necessitando ser repassado periodicamente. Os óleos mais comuns são os de linhaça e tungue. Há a possibilidade do uso do óleo bruto ou do polimerizado, que passa por um tratamento térmico para torná-lo mais resistente ao tempo e acelerar o tempo de secagem.

© Kelly Marken
© Kelly Marken

Geralmente os óleos são mais utilizados em peças que não fiquem tão expostas ao sol e chuva. Óleos podem ser utilizados inclusive para utensílios de cozinha, como tábuas e colheres, por exemplo. Nesse caso, deve-se atentar para que não sejam tóxicos, e não passem sabor para os alimentos. Óleos minerais funcionam bem para esse uso.

Goma-laca

A goma-laca é um acabamento natural, secretado pelo inseto Kerria lacca, um tipo de besouro encontrado nas florestas da Índia e Tailândia. Como verniz, a goma laca seca rapidamente, formando uma película dura, forte e flexível, sendo útil para envernizar pisos e móveis. Usado hoje com pouca frequência hoje, porque não é muito resistente à água ou ao álcool. É geralmente comprado em flocos que são diluídos com álcool antes do uso.

Ainda assim, há marceneiros que utilizam a goma laca para o acabamento de móveis finos.

Ceras 

© sergey0506
© sergey0506

Vendidas nas formas líquida, em pasta ou sólidas, as ceras derivam de uma variedade de fontes minerais, vegetais e animais. As mais comuns são as de abelha e de carnaúba. Como acabamento, as ceras não penetram na madeira, mas permanecem por sobre ela, impedindo a oxidação da mesma. A cera, portanto, se utilizada sozinha, tem pouco efeito de melhoria na madeira. O interessante é que ela seja aplicada sobre uma peça que tenha recebido a aplicação de óleos. Isso dará à superfície um brilho suave e uma sensação agradável à peça de madeira. Ela deve ser usada em peças que não expostas à intempérie.

© TwilightArtPictures
© TwilightArtPictures

É importante pontuar que ao abordarmos as possibilidades de acabamentos para madeira, diversas questões precisam ser consideradas, sobretudo o uso futuro da peça, onde ela será instalada e a expectativa de vida útil da mesma. E isso inclui considerar, às vezes, não utilizar produto algum para acabamento. Isso porque há espécies de madeiras nobres, pesadas e duras, como o Cumaru (Dipteryx Odorata), cuja própria resina cria uma proteção natural. No projeto da Vila Taguaí, da arquiteta Cristina Xavier, não foi aplicado produto algum à madeira. Há também métodos construtivos, como o da madeira acetilada, que dispensa a aplicação de acabamentos e, mesmo assim, apresenta uma vida útil longa. Da mesma forma, um acabamento para tábuas de uma laje de CLT será diferente de um banco de praça ou um mobiliário para um ambiente interno. O importante é que o arquiteto, ao especificar uma peça de madeira, tenha conhecimento das possibilidades da espécie que está trabalhando e do uso da peça, para buscar a solução mais adequada para cada situação.

Sobre este autor
Cita: Eduardo Souza. "Vernizes, Stains, Óleos, Ceras: Quais são os acabamentos mais adequados para madeira?" 27 Fev 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/934190/quais-os-acabamentos-mais-adequados-para-madeira> ISSN 0719-8906
Ler comentários

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.