O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. 13 Edifícios que resistiram bem à força do tempo

13 Edifícios que resistiram bem à força do tempo

13 Edifícios que resistiram bem à força do tempo
13 Edifícios que resistiram bem à força do tempo

A humanidade sempre aprecia grandes obras de arte que resistem ao passar dos anos. Este mês, por exemplo, completam-se o 50º aniversário do psicodélico Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band dos Beatles e o 20º aniversário do distópico Ok Computer do Radiohead. Estes marcos psicologicamente satisfatórios geraram uma grande apreciação e nostalgia. Da mesma forma, também adoramos elogiar a longevidade da arquitetura. O AIA, por exemplo, concede anualmente um "Prêmio de vinte e cinco anos" para reconhecer projetos que "resistiram ao teste do tempo" e "exemplificam um significado duradouro da arquitetura". Mas reconhecer um projeto por ano parece pouco. Abaixo, portanto, estão 13 clássicos modernos que, embora não tenham sido bem quistos de início, passaram a ser adorados:

© <a href='https://www.flickr.com/photos/leandrociuffo/3665886505'>Flickr user Leandro Neumann Ciuffo</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/deed.en'>CC BY 2.0</a> © <a href='https://www.flickr.com/photos/aseles/6149740236'>Flickr user Andrew Seles</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0/'>CC BY-ND 2.0</a> © <a href='https://www.flickr.com/photos/g_firkser/6233067891'>Flickr user Gavin Firkser</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/deed.en'>CC BY 2.0</a> © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bank-of-china_clean-img-sma.jpg'>Wikimedia user LERA Engineering</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a> + 15

1. Pirâmide do Louvre, / I.M. Pei

© <a href='https://www.flickr.com/photos/leandrociuffo/3665886505'>Flickr user Leandro Neumann Ciuffo</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/deed.en'>CC BY 2.0</a>
© Flickr user Leandro Neumann Ciuffo licensed under CC BY 2.0

O vencedor do Prêmio AIA de vinte e cinco anos em 2017 foi a impressionante pirâmide de aço e de vidro de I.M. Pei. Construída para substituir a entrada tradicional do Museu do Louvre em Paris em 1989, a estrutura transparente marcou o novo canal de saída subterrânea do museu. Os primeiros anos do projeto foram prejudicados por controvérsias, já que muitos achavam que a adição modernista era incompatível com a ornamentada arquitetura renascentista francesa do Louvre. Mas, uma vez que o projeto aliviou efetivamente os distúrbios da circulação conforme pretendido, a pirâmide conquistou espaço nos corações parisienses.

2. Pirâmide Transamerica / William Pereira

© <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Transamerica_Pyramid_2.JPG'>Wikimedia user Superchilum</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>
© Wikimedia user Superchilum licensed under CC BY-SA 3.0

O que agora é amplamente considerado um dos mais belos edifícios brutalistas de todos os tempos foi inicialmente detestado. O mestre do meio século, William Pereira, foi contratado em 1969 para projetar o arranha-céu mais alto de São Francisco. O projeto de 260 metros de altura foi visto como egoísta por grande parte dos moradores da cidade que iria, posteriormente, referir-se ao arranha-céu como "Prick Pereira". Felizmente, o nome não se manteve e o edifício agora ancora um dos skylines estadunidenses mais distintos. Em 2009, o San Francisco Chronicle confessou sua adoração pela torre: "um ícone arquitetônico do melhor tipo - que se encaixa na sua localização e melhora com a idade".

3. Citigroup Center / Hugh Stubbins + William Le Messurier

© <a href='https://www.flickr.com/photos/andryn2006/22221696243'>Flickr user Andrew Moore</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a>
© Flickr user Andrew Moore licensed under CC BY-SA 2.0

Com um telhado inclinado a 45 graus que seria destinado a painéis solares, cantos em balanço e o primeiro amortecedor de massa ajustado nos Estados Unidos, o Citigroup Center de Hugh Stubbins e William LeMessurier (1977) é um dos edifícios mais bizarros da década de 1970 na Cidade de Nova York. Ao colocar a torre sobre pilotis, os engenheiros evitavam convenientemente uma igreja na esquina do local e criavam uma pequena praça no nível da rua. No entanto, as características incomuns do prédio não vieram facilmente: após sua conclusão em 1977, a estudante de arquitetura de graduação Diane Hartley calculou que o edifício poderia facilmente colapsar em condições de vento relativamente comuns. O que se seguiu foi uma operação de alto segredo para fortalecer as conexões do edifício que era completamente desconhecida para o público geral até 1995.

4. The Flatiron Building / Daniel Burnham

© <a href='https://pixabay.com/p-801758/?no_redirect'>via Pixabay</a>. Photo by Pixabay user Unsplash in public domain
© via Pixabay. Photo by Pixabay user Unsplash in public domain

A obra-prima do arquiteto Daniel Burnham, no começo do século, provou que a construção de aço era o futuro da arquitetura. Quando deparado com um terreno triangular assimétrico no centro de Manhattan, Burnham sabia que não podia usar a construção tradicional de alvenaria. A força material da pedra era tão baixa que as paredes dos pisos inferiores seriam grossas o suficiente para tornar o espaço inutilizável. Burnham inventou um design em aço moldado com uma fachada de pedra não estrutural. Apesar da preocupação generalizada de que um arranha-céu de aço simplesmente explodisse no vento, o Flatiron Building (1902) triunfou e se tornou um ícone da Big Apple.

5. Marina City Towers / Bertrand Goldberg

© <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Marina_City--Chicago_Illinois_Aug_2006.jpg'>Wikimedia user Ashley Crum</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>
© Wikimedia user Ashley Crum licensed under CC BY-SA 3.0

As torres utópicas e brutalistas ultra-eficientes de Bertrand Goldberg, da Marina City, no rio de Chicago, continuam a ser um dos projetos de habitação de maior densidade no mundo ocidental. As torres de concreto foram destinadas a servir como uma "cidade dentro de uma cidade" e muitas vezes são creditadas com uma onda de desenvolvimento residencial do pós-guerra nas cidades americanas. O projeto inovador foi o primeiro nos Estados Unidos a empregar o uso de um guindaste de torre e inclui uma garagem em espiral aberta. 

6. The Glass House / Philip Johnson

© <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Glasshouse-philip-johnson.jpg'>Wikimedia user Staib</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>
© Wikimedia user Staib licensed under CC BY-SA 3.0

O vencedor do Prêmio de vinte e cinco anos da AIA em 1975 foi a casa de vidro de Philip Johnson, uma maravilha da arquitetura modernista. Juntamente com a casa Farnsworth de Mies van der Rohe, a residência de 1949 provocou um grande impulso para o estilo internacional como um gênero habitacional. Devido ao uso extensivo do vidro e à dependência da folhagem próxima como privacidade, a residência ainda é muito bem conservada.

7. Salk Institute / Louis Kahn

© <a href='https://www.flickr.com/photos/dreamsjung/3040455466'>Flickr user Jason Taellious</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a>
© Flickr user Jason Taellious licensed under CC BY-SA 2.0

O instituto de pesquisa biológica de 1965 de Louis Kahn também é um vencedor do Prêmio AIA de vinte e cinco anos, ganhando-o em 1992. Kahn foi contratado para projetar um "retiro de pesquisa intelectual" em 1959 pelo próprio Dr. Jonas Salk, o inventor da vacina contra a poliomielite. O pitoresco projeto final de Kahn ainda é uma instalação de pesquisa preeminente flanqueada pelo Pacífico de um lado e pela UC San Diego do outro.

8. Bank of China Tower / I.M. Pei

© <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bank-of-china_clean-img-sma.jpg'>Wikimedia user LERA Engineering</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>
© Wikimedia user LERA Engineering licensed under CC BY-SA 3.0

A Torre do Banco da China de I.M. Pei foi a primeira de uma série de arranha-céus que transformaram a cidade de Hong Kong nos anos 90. O esquema de iluminação LED em preto e branco do edifício, combinado com sua lógica de extrusão tetraédrica, proporciona ao projeto um aspecto único que ainda se destaca, impondo-se sobre a maioria dos edifícios do século XXI na cidade.

9. John Hancock Tower / I.M. Pei

© <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Boston2006.jpg'>via Wikimedia</a>. Photo by Wikimedia user Dong L. Zou in public domain
© via Wikimedia. Photo by Wikimedia user Dong L. Zou in public domain

O projeto ganhador do Prêmio AIA Vinte e Cinco anos em 1976 teve uma estreia nada discreta. Devido à falta de familiaridade com sua fachada de vidro sem precedentes, ventos fortes e práticas de instalação questionáveis, algumas das primeiras janelas se soltaram do prédio atingindo edifícios e carros circundantes. No caos dessa falha, painéis de madeira temporários foram colocados na estrutura para preencher as lacunas, fazendo com que a construção ganhasse o apelido de "palácio de contraplacado". Mas, quatro décadas depois, e após uma substituição total da fachada de vidro do prédio, o projeto está em pé como o edifício mais alto de Boston e um marco incrível nas fachadas de vidro.

10. Petronas Towers / César Pelli

© <a href='https://www.flickr.com/photos/g_firkser/6233067891'>Flickr user Gavin Firkser</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/deed.en'>CC BY 2.0</a>
© Flickr user Gavin Firkser licensed under CC BY 2.0

As torres gêmeas de Cesar Pelli foram os edifícios mais altos do mundo quando foram erguidos em 1996. O design ousado apresentava uma passarela elevada, elevadores duplos empilhados e torres esbeltas. Mesmo que as torres tenham sustentado o título de mais altas do mundo por apenas meia década elas ainda são os dois edifícios "gêmeos" mais altos já construídos.

11. Residência Sheats Goldstein / John Lautner

© <a href='https://www.flickr.com/photos/aseles/6149740236'>Flickr user Andrew Seles</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-nd/2.0/'>CC BY-ND 2.0</a>
© Flickr user Andrew Seles licensed under CC BY-ND 2.0

Este projeto de John Lautner do sul da Califórnia foi a morada perfeita para antagonistas de filmes: em 1998 no The Big Lebowski, a residência interpreta uma mansão em Malibu de um alfandegador de pornografia, Jackie Treehorn. Muitas vezes considerado seu projeto mais impressionante, a residência Sheats Goldstein foi desde então remodelada como uma boate, escritório, campo de tênis e sala de luz James Turrell. A residência de 1963 foi recentemente adquirida pelo Museu de Arte do Condado de Los Angeles que planeja remodelar, documentar e abri-la para visitação.

12. Villa Savoye / Le Corbusier

© <a href='https://www.flickr.com/photos/37987879@N00/3242622226'>Flickr user lawrence_baulch</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/deed.en'>CC BY 2.0</a>
© Flickr user lawrence_baulch licensed under CC BY 2.0

Localizada nos arredores de Paris, a Villa Savoye de Le Corbusier foi prevista para demolição em grande parte da sua existência. Erguida no auge do art deco, a estrutura de 1931 permanece desafiadoramente como uma das primeiras incursões do estilo internacional e uma prova concreto dos "cinco pontos da arquitetura" de Le Corbusier. Uma extensa série de restaurações em 1963 e 1985 retornou a edificação à sua glória original. Atualmente, a Villa Savoye é um dos kits mais vendidos da série Lego Architecture.

13. Tokyo Metropolitan Government Building / Kenzō Tange

© <a href=‘https://commons.wikimedia.org/wiki/File:TokyoMetropolitanGovernmentOffice.jpg'>Wikimedia user Markus Leupold-Löwenthal</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en'>CC BY-SA 3.0</a>
© Wikimedia user Markus Leupold-Löwenthal licensed under CC BY-SA 3.0

O arranha-céu de 1990 de Kenzō Tange ainda é um dos edifícios mais imponentes de Tóquio, sendo a sua intrincada marca os dois picos simétricos. O arquiteto japonês imaginou o projeto como um equilíbrio entre modernidade e tradição. Enquanto o edifício maciço expandiu os limites da construção de aço e vidro, a estrutura concluída lembrava as torres de uma catedral gótica. Os padrões de fachada foram usados para imitar os painéis de tela das tradicionais residências japonesas.

Cita: Musca, Thomas. "13 Edifícios que resistiram bem à força do tempo" 21 Jun 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/873659/13-edificios-que-resistiram-bem-a-forca-do-tempo> ISSN 0719-8906