O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Novo estudo investiga depressão e enjoo induzidos pela oscilação de arranha-céus

Novo estudo investiga depressão e enjoo induzidos pela oscilação de arranha-céus

Novo estudo investiga depressão e enjoo induzidos pela oscilação de arranha-céus
Novo estudo investiga depressão e enjoo induzidos pela oscilação de arranha-céus, © Shashank Jain, via Flickr. Licença CC BY 2.0
© Shashank Jain, via Flickr. Licença CC BY 2.0

Você sente enjoo, depressão, sonolência e até medo, quando olha pela janela do 34º andar? Se sim, você pode estar sofrendo da "síndrome do arranha-céu", termo informal para designar os efeitos colaterais causados pela oscilação dos edifícios, de acordo com especialistas das Universidades de Bath e Exeter, que estão realizando uma pesquisa para investigar suas causas e prevenção através de simulações. 

"Cada vez mais pessoas estão vivendo e trabalhando em edifícios em altura, mas o verdadeiro impacto das vibrações sobre elas é atualmente muito mal compreendido", explicou Alex Pavic, professor de Engenharia de Vibração na Universidade de Exeter. "A pesquisa irá, pela primeira vez, relacionar o movimento estrutural, as condições ambientais, o movimento do corpo humano, a psicologia e a fisiologia em um ambiente virtual totalmente controlável".

Apesar da solidez das suas massas, os arranha-céus estão efetivamente sujeitos a movimentos em resposta às forças externas às quais estão sujeitos em seus ambientes urbanos, tais como obras de construção e metrôs subterrâneos. Com lajes mais finas e maior espaçamento entre as colunas, os arranha-céus construídos a partir da década de 1970 não são capazes de amortecer as vibrações tão bem como seus antecessores, amplificando assim os efeitos experimentados por seus ocupantes.

© Lei Han, via Flickr. Licença CC BY 2.0
© Lei Han, via Flickr. Licença CC BY 2.0

O estudo, que está sendo realizado por uma equipe multidisciplinar de engenheiros, médicos, fisiologistas e psicólogos das duas universidades, usará simuladores para testar o movimento dos edifícios em altura, estádios e locais de concertos, além das vibrações causadas por grandes multidões atravessando pontes e deixando estádios.

Os resultados parciais da pesquisa indicam que os pequenos movimentos nos edifícios podem resultar nos sintomas acima mencionados, bem como a falta de concentração e motivação. Entretanto, nenhuma origem concreta foi descoberta ainda, embora os cientistas acreditam que os seres humanos evoluíram em sua percepção de vibrações subtis.

© Jules Antonio, via Flickr. Licença CC BY 2.0
© Jules Antonio, via Flickr. Licença CC BY 2.0

"Assim como o enjoo causado pelo mar, nossa propensão ao desconforto induzido pelo movimento é dependente da situação e do ambiente. Por exemplo, pessoas em um concerto em uma arquibancada aceitam um nível completamente diferente de vibração que pessoas em uma sala de cirurgia no hospital", disse o Chefe de Engenharia Civil em Bath, Dr. Antony Darby.

As novas instalações de simulação serão financiadas pelas Universidades de Bath e Exeter, bem como pelo Conselho de Pesquisa em Engenharia e Ciências Físicas. O estudo espera lançar alguma luz sobre este fenômeno curioso, e poderá, eventualmente, estabelecer novos padrões para os níveis de movimento permitidos em edifícios, tendo em vista a saúde e segurança de seus ocupantes.

Via: Council on Tall Buildings and Urban Habitat (CTBUH).

Cita: Bari, Osman. "Novo estudo investiga depressão e enjoo induzidos pela oscilação de arranha-céus" 17 Abr 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/869215/novo-estudo-investiga-depressao-e-enjoo-induzidos-pela-oscilacao-de-arranha-ceus> ISSN 0719-8906