O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. A era do aço acabou. Teria começado uma nova era?

A era do aço acabou. Teria começado uma nova era?

A era do aço acabou. Teria começado uma nova era?
A era do aço acabou. Teria começado uma nova era?, As of now, carbon fiber has only been applied to small scale applications, such as the Textile Room by P-A-T-T-E-R-N-S. Image © Monica Nouwens
As of now, carbon fiber has only been applied to small scale applications, such as the Textile Room by P-A-T-T-E-R-N-S. Image © Monica Nouwens

Andrew Carnegie uma vez disse, “Tenha grandes objetivos.” Ele seguiu seu próprio conselho. O poderoso magnata da indústria do ferro do século XIX teve a visão de construir uma ponte por sobre o Rio Mississippi, uma obra de quase dois quilômetros. Em 1874, o elemento estrutural primário era o ferro - o aço apenas engr. As pessoas tinham receio de aço, tinham até medo dele. Era uma liga metálica não comprovada.

No entanto, após a conclusão da Eads Bridge em St. Louis, Andrew Carnegie gerou um golpe publicitário para provar que o aço era de fato um material de construção viável. A superstição popular do dia declarou que um elefante não iria atravessar uma ponte instável. No dia de abertura, um Carnegie confiante, o povo de St. Louis e um elefante de quatro toneladas começaram a cruzar a ponte. O elefante foi recebido no outro lado com pomposo estardalhaço. O que se seguiu foi o maior boom de construção vertical na história americana, com Chicago e Nova York como pioneiros. Isso é certo: você pode agradecer um elefante viciado-em-adrenalina por mudar a opinião americana sobre a segurança da construção em aço.

Então se o aço substituiu o ferro - assim como o ferro substituiu o bronze, e o bronze o cobre - o que iria substituir o aço? Fibra de Carbono.

A primeira fibra de carbono do mundo de markforged. Imagem Cortesia de markforged
A primeira fibra de carbono do mundo de markforged. Imagem Cortesia de markforged

Você já deve ter ouvido sobre isso. A fibra de carbono é aquele material de nano fibras super high-tech utilizado em bicicletas e carros de corrida profissionais. É o material top de linha - cinco vezes mais forte que o aço, duas vezes mais duro, pesando significativamente menos - este é o campeão peso-pena dos materiais.

Infelizmente, a fibra de carbono é ainda interpretada com uma novidade, e enquanto já tem sido aplicada em projetos de edifícios de pequena escala como pavilhões, a ideia de um arranha-céu de fibra de carbono ainda não vingou. Por que não? Pessoas - incluindo arquitetos - são receosas em relação à fibra de carbono, tem até medo, inclusive. Engenheiros das indústrias automotivas e aeroespaciais podem até utilizar o material ao seu limite, mas a pesquisa e desenvolvimento em arquitetura está andando a passos de formiga.

Mas por que? Arquitetos deveriam estar "pirando" com isso. As propriedades materiais da fibra de carbono permite uma inovação arquitetônica nunca antes imaginada. Quando os programas de Projeto Arquitetônico Assistido por Computador (CAAD, sigla em inglês) foi originalmente lançados, isso permitiu que arquitetos empurrassem o aço ao seu limite. Mas com esse material é o contrário. A fibra de carbono empurra o computador ao seu limite. Imagine se SHoP Architects, que recentemente inauguraram o Barclay’s Center, o fizesse sem as toneladas de recursos e maratonas de trabalho intensivo. E com a primeira impressora 3D com fibra de carbono chegando ao mercado este inverno, não é impossível imaginar um mundo onde nós podemos imprimir edifícios mais resistentes que o aço.

SHoP Architects Rebar intensive roof structure. Image © SHoP Architects
SHoP Architects Rebar intensive roof structure. Image © SHoP Architects

Claro que existem desvantagens na fibra de carbono. Por sua vez, os opositores emergem. Sim, que é um material quebradiço, menos provável de dobrar do que a sua contrapartida de aço. Talvez o mais significativo, é um 'material na infância'. A juventude de fibra de carbono faz com que ela seja cara. Considerando que o aço é inferior a um dólar por meio quilo, a fibra de carbono custa cerca de vinte dólares por quilo para ser produzida. Esse juventude também significa que a produção de fibra de carbono é irritantemente lenta.

No entanto, a jornada de fibra de carbono está espelhando as dores crescentes do aço. Na verdade, o letárgico processo intensivo de custo de produção do aço, levou a construção da Ponte Eads a chegar a um ponto insuportável. Ocasionando um dos homens mais ricos da história a quase ir à falência. Mas Carnegie não foi à falência. Ele adaptou um processo desenvolvido pelo inventor/engenheiro Henry Bessemer de produzir aço em massa. Os processos de Bessemer significaram que uma viga de aço, que uma vez levou cinco horas agora leva dez minutos para ser produzida - Olá revolução industrial. Com um material revolucionário e todos os seus ovos em uma cesta gigante, Carnegie tornou-se, por um tempo, o homem mais rico do mundo.

Neste exato momento, fibra de carbono precisa dos investidores, como o aço teve Andrew Carnegie. A fibra de carbono precisa dos inventores como Henry Bessemer assim como o aço teve. Claro, ainda existem algumas coisinhas para serem trabalhadas, mas quando essas descobertas forem feitas, uma revolução arquitetônica e industrial vai acontecer. A fibra de carbono tem a capacidade de ser produzida em massa de forma barata e sustentável; só precisamos descobrir como fazer isso. Uma vez que o fizermos, podemos agilizar trazer esse elefante para atravessar a ponte.

Interessado em mais Materiais? Confira o nosso novo Catálogo de Produtos ArchDaily Materials.

Cita: Galloway, Andrew. "A era do aço acabou. Teria começado uma nova era?" [The Steel Age Is Over. Has The Next Age Begun?] 18 Mai 2014. ArchDaily Brasil. (Trad. Santiago Pedrotti, Gabriel) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/602135/a-era-do-aco-acabou-teria-comecado-uma-nova-era> ISSN 0719-8906