O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias de Arquitetura
  3. “Pavilhão de Pallets”: Cidadãos conseguem revitalizar um espaço público na Nova Zelândia

“Pavilhão de Pallets”: Cidadãos conseguem revitalizar um espaço público na Nova Zelândia

“Pavilhão de Pallets”: Cidadãos conseguem revitalizar um espaço público na Nova Zelândia
“Pavilhão de Pallets”: Cidadãos conseguem revitalizar um espaço público na Nova Zelândia, © Christchurch City Libraries, Flickr
© Christchurch City Libraries, Flickr

No início de dezembro do ano passado foi construído, em uma área vazia de Christchurc (Nova Zelândia), um espaço público para a realização de concertos e eventos abertos. Inicialmente estava programado que funcionasse durante seis meses, ou seja, até maio deste ano. Mas, por demonstrar ser capaz de reativar um espaço urbano e, por meio de uma campanha de crowdfunding organizada pelas pessoas que não queriam que ele fechasse, o espaço ficará permanecerá aberto por mais um ano.

O que faz deste local chamativo às pessoas, chamado de “Pavilhão de Pallets”, não é somente sua gestão comunitária, mas o fato de ter sido construído com materiais de construção sustentáveis. Feito com mais de 3.000 pallets de madeira reutilizados - e com a ajuda de 250 voluntários - o pavilhão não funciona somente como um centro comunitário ao ar livre, mas como um jardim em meio à cidade.

A seguir mais informações e fotografias do pavilhão.

A organização que desenvolveu este projeto foi a Gap Filler, um grupo neozelandês que se dedica a revitalizar espaços que ficaram abandonados após algum desastre natural ou porque simplesmente não se iniciou um novo projeto no lugar, com o objetivo de demonstrar que os espaços podem ser ocupados, temporariamente, de forma criativa para e pelas pessoas.

©  kebabette, Flickr
© kebabette, Flickr

Enquanto que a ideia central do grupo é que as ocupações sejam temporárias para expressar que nem sempre grandes construções são necessárias para uma cidade se desenvolver, neste caso foi-se um passo além, tornando o projeto definitivo.

Como consequência da falta de centros culturais e teatros que desabaram com os terremotos que ocorreram na região, e para reconectar-se com a Rua Victoria e a praça de mesmo nome, o pavilhão parecia ser a melhor opção, servindo para que as pessoas compartilhassem e participassem de atividades culturais.

©  Jocey K, Flickr
© Jocey K, Flickr

Os organizadores conseguiram equipamentos de som e iluminação para desenvolver todas as atividades artísticas, feiras de rua e vários shows. Tudo ia bem até o prazo de fechamento do espaço se aproximar. Decidiram, então, criar uma campanha de crowfunding com o objetivo de angariar U$ 25.000 e evitar a desmontagem das instalações. No entanto, em uma reunião da Câmara Municipal, foi decidido que, se o espaço permanecesse aberto à comunidade, deveria atender aos requisitos de segurança, como um edifício comum.

©  kebabette, Flickr
© kebabette, Flickr

Assim, decidiram aumentar o valor para U$ 80.000, quantidade que atingiram em 30 dias graças a doações de pessoas de Christchurch e outras cidades da Nova Zelândia, incluindo alguns estrangeiros.

Com essa quantidade, os organizadores explicam que visam melhorar a segurança do Pavilhão, construir banheiros públicos, custear a manutenção elétrica e limpeza do lugar.

© Christchurch City Libraries, Flickr
© Christchurch City Libraries, Flickr

No caso deste montante não ser suficiente para um ano de funcionamento, Gap Filler decidiu que destinará o espaço, um dia por semana, à eventos que deverão pagar uma quantia para ocupá-lo.

Este caso é um exemplo de regeneração urbana em função da participação dos próprios moradores do lugar, que demonstraram às autoridades, através do uso constante do pavilhão, que este funciona como um verdadeiro espaço público que nunca havia sido considerado.

© Schwede66, Wikimedia Commons
© Schwede66, Wikimedia Commons

Intervenções deste tipo, que utilizam pallets, já foram feitas em outros lugares, como no “Urban Coffee Farm and Brew Bar”, em Melbourne, Austrália, no início deste ano.

O vídeo abaixo mostra o processo de construção do pavilhão.

Por Constanza Martínez Gaete, via Plataforma Urbana. Tradução Eduardo Souza, ArchDaily Brasil.


Sobre este autor
Cita: Romullo Baratto. "“Pavilhão de Pallets”: Cidadãos conseguem revitalizar um espaço público na Nova Zelândia" 05 Nov 2013. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/151000/pavilhao-de-pallets-cidadaos-conseguem-revitalizar-um-espaco-publico-na-nova-zelandia> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.