i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Densidade urbana pode ser fator chave para a economia de energia até 2050

10:00 - 23 Fevereiro, 2017
Densidade urbana pode ser fator chave para a economia de energia até 2050, China tem o maior potencial de economia de energia a partir da densidade urbana mais elevada. Image © Robin Murphy, World Resources Institute, via The CityFix Brasil. Licença CC BY-NC-SA 2.0
China tem o maior potencial de economia de energia a partir da densidade urbana mais elevada. Image © Robin Murphy, World Resources Institute, via The CityFix Brasil. Licença CC BY-NC-SA 2.0

A densidade urbana é um ponto muito importante para o futuro das cidades. Seguindo os princípios do Desenvolvimento Urbano Orientado pelo Transporte Sustentável (DOTS), por exemplo, entre os fatores que cidades mais compactas conseguem melhorar está a eficiência energética dos prédios. Agora, uma pesquisa publicada na PNAS comprova que quanto mais dispersa a população, maior o consumo de energia.

© Robin Murphy, World Resources Institute, via The CityFix Brasil. Licença CC BY-NC-SA 2.0
© Robin Murphy, World Resources Institute, via The CityFix Brasil. Licença CC BY-NC-SA 2.0

Primeiras Aulas - O Projeto da Cidade Contemporânea

19:00 - 20 Fevereiro, 2017
Primeiras Aulas - O Projeto da Cidade Contemporânea

PRIMEIRAS AULAS

Para celebrar os 40 anos da Unesp, o Departamento de Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo e o Departamento de Ciências Humanas da FAAC – Unesp Bauru propõem uma série de "Primeiras Aulas" Públicas mensais, com grandes Mestres que ajudaram a construir e consolidar direta e/ou indiretamente um itinerário de pesquisa.
As próximas Primeiras Aulas tem como pauta “O Projeto da Cidade Contemporânea”:

- No dia 03 de março a Profa. Dra. Beatriz Kühl abordará sobre “O papel Patrimônio Arquitetônico no Projeto da Cidade Contemporânea”.


- No dia 17 de março o Prof. Dr. Fernando de Mello Franco falará

Participação social e place branding: missões para as novas gestões municipais

12:00 - 10 Fevereiro, 2017
Participação social e place branding: missões para as novas gestões municipais, Conhecer a vocação da cidade e ouvir os cidadãos ajuda a tornar as cidades mais eficientes e melhores para as pessoas. Image © Caio Esteves
Conhecer a vocação da cidade e ouvir os cidadãos ajuda a tornar as cidades mais eficientes e melhores para as pessoas. Image © Caio Esteves

O Brasil vive um cenário político e econômico conturbado, no qual as cidades carecem de propostas e soluções concretas para as questões urbanas. Nesse contexto, um ponto relevante para as novas administrações municipais é a “visão de cidade”. Além de estabelecer as metas para o futuro, essa visão precisa ser compreendida pela população, a fim de que possa traduzir seus anseios.

CAJ: Ao Quê Nos Leva - ciclo de palestras 2017/1

18:00 - 9 Fevereiro, 2017
CAJ: Ao Quê Nos Leva - ciclo de palestras 2017/1, CAJ: AO QUÊ NOS LEVA (Centro Acadêmico Joan Villá)
CAJ: AO QUÊ NOS LEVA (Centro Acadêmico Joan Villá)

Aqui, estamos em constante contato com o desconhecido. A diversidade, assim como nos faz únicos, também nos faz iguais. Sempre em movimento, buscamos o que nos forma e ao quê nos leva.

CAJ: AO QUÊ NOS LEVA, é a segunda edição do ciclo de palestras organizado pelo Centro Acadêmico Joan Villà do curso de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo.

Gratuito, o evento acontecerá nos dias 20, 22 e 23 de fevereiro de 2017, entre 8h e 21h, no Auditório Raphael Galvez Dazzani (Rua Álvaro Alvim, 90 - Vila Mariana).

Embora a participação presencial seja exclusiva para alunos

CAU/SP lança edital de projetos para a valorização da arquitetura e urbanismo

10:00 - 8 Fevereiro, 2017
CAU/SP lança edital de projetos para a valorização da arquitetura e urbanismo, Edifícios Martinelli e Altino Arantes (fundo), marcos arquitetônicos no centro da capital paulista. Image © Andreia Reis/FlickrCC. Via CAU/SP
Edifícios Martinelli e Altino Arantes (fundo), marcos arquitetônicos no centro da capital paulista. Image © Andreia Reis/FlickrCC. Via CAU/SP

CAU/SP vai receber, até o dia 24 de fevereiro, propostas de Organizações da Sociedade Civil (OSC) de projetos ou atividades que favoreçam a promoção da Arquitetura e Urbanismo e a valorização do exercício profissional de arquitetos e urbanistas.

O Edital de Parcerias deste ano conta com uma verba orçamentária de R$ 1,45 milhão, e tem por objetivo apoiar a difusão de conhecimento técnico, científico e cultural.

TU Delft oferece curso online e gratuito sobre desafios urbanos em países emergentes

16:00 - 7 Fevereiro, 2017
TU Delft oferece curso online e gratuito sobre desafios urbanos em países emergentes

Rethink the City. New Approaches to Global and Local Urban Challenges” é um curso online e gratuito oferecido pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Delft, nos Países Baixos, a partir de 28 de março deste ano. 

O curso tem como objetivo abordar os desafios urbanos nos países emergentes, oferecendo uma nova perspectiva que permite compreender e analisar o sul global. Por isso, os conteúdos estão estruturas em três eixos temáticos: "justiça espacial", "criação e gestão de habitações" e "resiliência urbana". 

Captura da mais valia urbana: Uma fonte de financiamento pouco utilizada / Víctor Rocco

12:00 - 31 Janeiro, 2017
Captura da mais valia urbana: Uma fonte de financiamento pouco utilizada / Víctor Rocco, © Plataforma Urbana
© Plataforma Urbana

Ao estudarmos modelos de localização entendemos a acessibilidade como a facilidade com a qual se podem realizar atividades e como se dá o vínculo entre os sistemas de transporte e os usos do solo [1.] A acessibilidade é medida, usualmente, como o número de atividades que podem ser realizadas em um determinado tempo. A duração do deslocamento entre as atividades espacialmente distribuídas é chave na eleição de onde e com que frequência realizá-las. Além disso, influenciam na decisão do lugar onde viver. Por isso, existe a natural disposição a pagar, ceteris paribus, por melhor acessibilidade. A construção de novas obras de infraestrutura e transporte público melhora a acessibilidade e aumenta o valor dos imóveis. Mas isso requer fundos que, no caso de corredores de transportes ou linhas de metrô, alcançam cifras significativas. Por isso é relevante discutir sobre alternativas para seu financiamento.

Depois do êxodo rural / Álvaro Domingues

18:00 - 27 Janeiro, 2017
Depois do êxodo rural / Álvaro Domingues, Cortesia de Álvaro Domingues
Cortesia de Álvaro Domingues

No tempo em que os animais não falavam, distinguia-se muito bem a cidade do campo – a cidade era urbana e o campo era rural. Simplicíssimo. Assim são as definições claras que tudo explicam pelo que claramente precisa de ser explicado e vice-versa. Nessas idades tautológicas ainda nem sequer tractores havia para revolver e amaciar a terra. Trabalhava-se de sol a sol, esperava-se o bom tempo, o calor e a chuva quando fizessem mais falta, pelo S. Miguel eram as colheitas e Santiago pinta o bago. Nas romarias estrelejavam foguetes, sermões e missas cantadas, longas procissões e malgas de vinho para os farnéis.

Guia do urbanista tático: materiais e projeto

16:00 - 27 Janeiro, 2017

O urbanismo tático corresponde às intervenções que permitem experimentar mudanças na cidade por um período determinado, oferecendo uma aproximação ao impacto causado caso a iniciativa fosse, de fato, executada. 

Em todo o mundo existem vários casos que, diante das necessidades da população, buscaram soluções a partir de intervenções feitas com materiais econômicos e de rápida implementação. 

Novas cidades jardins? Arquitetos britânicos desaprovam novo plano governamental

16:00 - 22 Janeiro, 2017
Novas cidades jardins? Arquitetos britânicos desaprovam novo plano governamental, Casas na "Cidade Jardim" de Hardwick, um subúrbio de Chepstow no País de Gales, construído no início do século XX. Imagem © <a href='http://www.geograph.org.uk/photo/1038431'>Geograph user Ruth Sharville</a> licensed under <a href='http://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a>
Casas na "Cidade Jardim" de Hardwick, um subúrbio de Chepstow no País de Gales, construído no início do século XX. Imagem © Geograph user Ruth Sharville licensed under CC BY-SA 2.0

No primeiro dia de janeiro deste ano, o governo do Reino Unido anunciou o plano de criar 14 novas vilas jardim e três cidades jardim na Inglaterra. Explicando o conceito de "cidade jardim", o Departamento de Comunidades do Governo Local descreveu que seriam assentamentos com número variável de moradias entre 1.500 e 10.000,  totalizando 48 mil novas habitações.

No entanto, a comunidade de arquitetos do Reino Unido tem zombado das propostas e da linguagem utilizada pelas autoridades ao fazer o anúncio, destacando que a ideia parece se basear em um entendimento pobre do conceito de cidade jardim cunhado por Ebenezer Howard ao fim do século XIX. Vários arquitetos indicaram que os planos são relativamente fracos em um país que, segundo estimativas, está em déficit em relação às centenas de milhares de novas moradias que devem ser construídas anualmente. 

IAB debate: Qual nosso projeto para as marginais?

17:05 - 19 Janeiro, 2017
IAB debate: Qual nosso projeto para as marginais?, Cortesia de IAB-sp
Cortesia de IAB-sp

Veja a transmissão ao vivo aqui

Game of Thrones: política e fundação urbana em cidades de ficção

12:00 - 13 Janeiro, 2017
Game of Thrones: política e fundação urbana em cidades de ficção, Kingslanding- Desembarco del Rey. Game of Thrones (2011). Image © HBO
Kingslanding- Desembarco del Rey. Game of Thrones (2011). Image © HBO

O que diferencia uma cidade de uma aldeia? Qual é a distinção entre esses dois grupos de edifícios e ruas, aparentemente similares entre si? Por que se reconhece a origem neolítica da aldeia enquanto a primeira cidade continua sendo um mistério? Mesmo que aldeia e cidade possam ser consideradas similares, a cidade possui um elemento único e inovador que a diferencia: a cidadania, a civitas.

Enquanto a aldeia não passava de um sistema urbano eficiente para a convivência de um grupo de pessoas, a fundação de uma cidade implica a instituição de uma ideia muito concreta de sociedade, de um compromisso entre indivíduos para ordenar o mundo a partir de critérios compartilhados.

A civitas é precisamente essa ideia de ordem social, o conjunto de tradições, leis, princípios e crenças que dão origem à comunidade civil. Por uma lado, a urbe é a forma urbana é especialmente dedicada a institucionalizar essa ideia da sociedade. Observe que estamos falando de ruas ou casas, mas sim do momento da instituição, isso é, da fundação da cidade. Como diria Fustel de Coulanges, enquanto a civitas é um patrimônio imemorial acumulado ao longo dos séculos, a urbe é formada em um dia. Enchê-la de ruas, casas e lojas é apenas uma consequência.

Game of Thrones: política e fundação urbana em cidades de ficção

12:00 - 13 Janeiro, 2017
Game of Thrones: política e fundação urbana em cidades de ficção, Kingslanding- Desembarco del Rey. Game of Thrones (2011). Image © HBO
Kingslanding- Desembarco del Rey. Game of Thrones (2011). Image © HBO

O que diferencia uma cidade de uma aldeia? Qual é a distinção entre esses dois grupos de edifícios e ruas, aparentemente similares entre si? Por que se reconhece a origem neolítica da aldeia enquanto a primeira cidade continua sendo um mistério? Mesmo que aldeia e cidade possam ser consideradas similares, a cidade possui um elemento único e inovador que a diferencia: a cidadania, a civitas.

Enquanto a aldeia não passava de um sistema urbano eficiente para a convivência de um grupo de pessoas, a fundação de uma cidade implica a instituição de uma ideia muito concreta de sociedade, de um compromisso entre indivíduos para ordenar o mundo a partir de critérios compartilhados.

A civitas é precisamente essa ideia de ordem social, o conjunto de tradições, leis, princípios e crenças que dão origem à comunidade civil. Por uma lado, a urbe é a forma urbana é especialmente dedicada a institucionalizar essa ideia da sociedade. Observe que estamos falando de ruas ou casas, mas sim do momento da instituição, isso é, da fundação da cidade. Como diria Fustel de Coulanges, enquanto a civitas é um patrimônio imemorial acumulado ao longo dos séculos, a urbe é formada em um dia. Enchê-la de ruas, casas e lojas é apenas uma consequência.

20 casos de gentrificação documentados para conhecer, analisar e debater

16:00 - 7 Janeiro, 2017
20 casos de gentrificação documentados para conhecer, analisar e debater, "Gentrificação em processo. 'Vai ter cupcake'!". Cartaz em Cheshire Street em Londres. Imagem © MsSaraKelly [Flickr],sob licença CC BY 2.0
"Gentrificação em processo. 'Vai ter cupcake'!". Cartaz em Cheshire Street em Londres. Imagem © MsSaraKelly [Flickr],sob licença CC BY 2.0

Como fenômeno de transformação urbana, o conceito de gentrificação ganhou uma grande força nos últimos anos, saindo das discussões acadêmicas e alcançando, inclusive, os meios massivos de comunicação que simplificaram sua definição. Na sequência, como uma verdadeira caça as bruxas, parece que todos somos, ao mesmo tempo, gentrificadores e gentrificados. 

Desde sua origem, como conceito nos anos 60, a maioria dos autores optaram por diferenciar, especificar e categorizar os processos de gentrificação segundo sua localização (países desenvolvidos/sul global), seus fomentadores (investimento público, 'sofisticação' urbana, imobiliárias, especuladores) e suas consequências (expulsão de residentes, hipsterização urbana, 'recuperação' urbana).

Deste modo, fizemos uma seleção de 20 casos documentados em diferentes formatos pelo Museo de los Desplazados (Museu dos Desalojados) uma iniciativa digital e colaborativa criada pelo coletivo espanhol Left Hand Rotation, também autores do projeto audiovisual Ficción Inmobiliaria.

San Francisco, Estados Unidos. Imagem © Matt Biddulph [Flickr], sob licença CC BY-SA 2.0 Lisboa, Portugal. Imagem © Brad Hammonds [Flickr], sob licença CC BY-NC 2.0 Sarajevo, Bósnia - Herzegovina. Imagem © Terekhova [Flickr], sob licença CC BY-NC-ND 2.0 Cidade de México, México. Imagem Cortesia de CDMX +7

Rodovias urbanas: apagar o fogo com gasolina?

10:00 - 5 Janeiro, 2017
Rodovias urbanas: apagar o fogo com gasolina?, Congestionamento em rodovia de Bogotá, na Colômbia. (Foto: WRI/Embarq/Flickr)
Congestionamento em rodovia de Bogotá, na Colômbia. (Foto: WRI/Embarq/Flickr)

A construção de mais rodovias urbanas continua em muitos lugares. Na América Latina, vemos projetos sendo desenvolvidos em Santiago (Américo Vespucio Oriente), Lima (Linha Amarela), Quito (Solución Vial Guayasamín), São Paulo (Rodoanel Mário Covas) e Cidade do México (Segundo Piso a Cuernavaca), apenas para citar alguns.

Na Colômbia, o Governo Nacional acaba de anunciar um novo programa para melhorar o acesso às áreas urbanas durante o XVIII Congresso da Câmara Colombiana de Infraestrutura. Nas palavras do presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, “nosso objetivo também é transformar o acesso às cidades. Não vale a pena economizar tempo em viagens interurbanas se esse tempo é perdido em áreas urbanas”. Com isso, o presidente se volta ao grande desafio dos congestionamentos urbanos. Construir sistemas rodoviários surpreendentes não leva a uma infraestrutura de transporte mais eficiente e melhor se, dentro do perímetro urbano, o tráfego impede a fácil navegação nas ruas da cidade.

Doze sistemas de transporte público do mundo e como influenciam a mobilidade urbana

16:00 - 4 Janeiro, 2017
Doze sistemas de transporte público do mundo e como influenciam a mobilidade urbana, Nova Iorque, Estados Unidos. Imagem © LSE Cities
Nova Iorque, Estados Unidos. Imagem © LSE Cities

Esta série de mapas elaborados pelo Centro de Estudos Urbanos LSE Cities, da Escola de Economia e Ciência Política da Universidade de Londres, apresenta a infraestrutura de transporte público de doze cidades do mundo.

Segundo a instituição, "a infraestrutura de transporte é um fator crítico da forma urbana", uma afirmação que sustenta e que, em grande medida, determina a densidade ou expansão de uma cidade, além da localização das populações e centralização das funções econômicas.

Como resultado, as áreas urbanas onde se localizam os sistemas de ônibus, metrô e trem acabam influenciando na acessibilidade dos habitantes ao transporte público e na ocupação do espaço urbano.

Melhores Práticas Urbanas podem apoiar as cidades na implementação da Nova Agenda Urbana

12:00 - 20 Dezembro, 2016
Melhores Práticas Urbanas podem apoiar as cidades na implementação da Nova Agenda Urbana, © Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom
© Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

A disseminação de soluções inovadoras, com resultados positivos para seus cidadãos, possibilita uma reflexão sobre a integração das diretrizes traçadas pelo novo pacto global e favorece uma urbanização sustentável.

O Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos na América Latina e o Caribe, através de seus projetos e iniciativas, colabora com outras organizações da região para identificar projetos que geraram um impacto tangível na vida das pessoas. O propósito é difundir conhecimento e incentivar outras intervenções urbanas semelhantes. A identificação e promoção de transferência de conhecimentos permite que soluções duradouras cruzem fronteiras e gerem impactos positivos em outras localidades que enfrentam os mesmos desafios urbanos.

5 fatores que tornam os bairros caminháveis

16:00 - 18 Dezembro, 2016
5 fatores que tornam os bairros caminháveis, © Tecido urbano quadriculado. Fonte: Mapa da cidade de Ann Harbour com intervenção de Liz Treutel
© Tecido urbano quadriculado. Fonte: Mapa da cidade de Ann Harbour com intervenção de Liz Treutel

A experiência de caminhar por um bairro pode ser muito mais agradável se o espaço público apresentar algumas características. Algumas têm relação com os principais pontos de interesse, outras com as dimensões das calçadas e ruas, ou ainda, com os serviços e comércios disponíveis. 

Com o objetivo de identificá-las e, assim, promover sua aplicação em diferentes cidades (sem esquecer do contexto específico de cada caso), a arquiteta e planejadora Liz Treutel, identificou cinco fatores presentes nos bairros caminháveis. Veja-os a seguir.