1. ArchDaily
  2. Fundación Arquia

Fundación Arquia: O mais recente de arquitetura e notícia

Entrevista com Norman Foster explora a vida e obra do arquiteto

© Guillermo Rodríguez
© Guillermo Rodríguez

O projeto Maestros realizou uma entrevista com Norman Foster em que o arquiteto discute assuntos relacionados à sua vida, sua abordagem profissional e as histórias por trás de seus edifícios. Concebida, produzida e publicada pela Fundación Arquia, a série Maestros é um programa cultural que visa criar uma plataforma na qual arquitetos renomados possam comunicar "suas opiniões às futuras gerações".

A arquitetura da memória: onde habita o pensamento

O Blog da Fundação Arquia nos traz um artigo que faz uma reflexão, a partir de uma experiência pessoal, sobre como a memória não deve ser tratada de forma ascética, já não são suficientes estudos técnicos e tipológicos de um determinado patrimônio arquitetônico ou do reconhecimento das características de um local, de seus costumes ou história. A memória é emocional e, por isso, é necessário entender o verdadeiro significado do lugar e o valor dessa arquitetura que vai além do material.

Alvaro Siza: "O projetista de sonhos"

Direto do Blog da Fundación Arquia, o arquiteto Raúl García García, nos convida a conhecer um pouco mais sobre o processo criativo de Álvaro Siza através de seus esboços mais elementares, um dos arquitetos mais importantes de meados do século XX e início do século XXI.

Arquiteturas do entremeio: o espaço como resultado da adversidade

Escrevendo para o Blog da Fundación Arquia, o arquiteto Adrià Guardiet nos presenteia com uma bela reflexão que apresenta três diferentes perspectivas sobre as arquiteturas inacabadas, aquelas nas quais o tempo e seus habitantes desempenham um papel primordial.

Certos tipos de arquitetura incorporam o tempo como uma importante ferramenta de projeto. Estruturas abertas, dinâmicas, crescentes. Outras buscam inspiração nas pré-existência e acabam por (re)construir a memória do lugar. Para citar apenas alguns exemplos.

Embora o tempo seja um fator onipresente, seu passo indelével nem sempre se faz visível nas estruturas que construímos. Entretanto, neste tipo de arquitetura, o tempo costuma ser muito mais evidente e explícito, principalmente naquelas estruturas incompletas ou inacabadas, seja por razões econômicas, políticas, naturais ou sociais. São aquelas que decidimos chamar de arquiteturas do entremeio. Obras que através de contextos instáveis, encontram um terreno fértil para florescer.

Por que ensinar arquitetura para as crianças?

Do Blog da Fundação Arquia, a arquiteta Virginia Navarro nos traz um artigo que reflete sobre os motivos e a importância de aproximar as crianças da arquitetura.

Nos últimos anos houve um notável incremento no número de arquitetos que, de forma ocasional ou continua, dedicaram parte de sua atividade à realização de oficinas de arquitetura para crianças. Os objetivos dos mesmos foram tanto relacionados a formação (desenvolver o pensamento crítico acerca do entorno construído, conhecer o patrimônio cultural e urbano, fomentar a inteligência espacial e a criatividade etc.), quanto a informação: recolher dados acerca das necessidades da criança dentro de projetos mais complexos, normalmente de caráter social ou participativo.

Uma cidade coletiva é uma cidade feminista

A Fundación Arquia, junto à arquiteta Ana Asensio, nos convida a pensar em como foram desenhadas -até agora- as cidades; espaços de fricção que foram concebidos sem igualdade de participação na tomada de decisões e que, portanto, nos levam a falar de feminismo.

Quer construir uma casa boa, bonita e barata? Contrate um arquiteto. A experiência de Alberto Campo Baeza

Neste artigo, publicado originalmente no Blog de Arquitetura da Fundación Arquia, o autor Alberto Campo Baeza nos fala o quão importante é um arquiteto no diagnóstico e execução de uma obra. Tanto quanto é imprescindível um médico para tratar de uma enfermidade, um arquiteto é essencial para executar uma obra sempre e quando o problema for exposto e as variáveis e condições estiverem absolutamente claras.

Este arquiteto nos relata, através de um exemplo pessoal, a Casa Gaspar, as capacidades que se podem adquirir na disciplina desmitificando o papel do arquiteto e aludindo finalmente que o barato sempre acaba saindo caro!

Como ser professor de arquitetura com menos de 30 anos sem morrer tentando

Neste artigo, publicado originalmente no blog da Fundación Arquia, o autor Manuel Saga nos fala da importância de trazer professores jovens às escolas de arquitetura. É fundamental que a via acadêmica se torne uma opção real com um valor comparável ao do arquiteto projetista, especialmente se considerarmos a crise atual de nossa indústria.