O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Por que ensinar arquitetura para as crianças?

Por que ensinar arquitetura para as crianças?

Por que ensinar arquitetura para as crianças?
Por que ensinar arquitetura para as crianças?, Licenciado sob CC0 Domínio Público. Imagem via Pxhere
Licenciado sob CC0 Domínio Público. Imagem via Pxhere

Do Blog da Fundação Arquia, a arquiteta Virginia Navarro nos traz um artigo que reflete sobre os motivos e a importância de aproximar as crianças da arquitetura. 

Nos últimos anos houve um notável incremento no número de arquitetos que, de forma ocasional ou continua, dedicaram parte de sua atividade à realização de oficinas de arquitetura para crianças. Os objetivos dos mesmos foram tanto relacionados a formação (desenvolver o pensamento crítico acerca do entorno construído, conhecer o patrimônio cultural e urbano, fomentar a inteligência espacial e a criatividade etc.), quanto a informação: recolher dados acerca das necessidades da criança dentro de projetos mais complexos, normalmente de caráter social ou participativo.

É verdade que uma primeira leitura poderia nos levar a pensar que tais iniciativas surgem como alternativa profissional do arquiteto em tempos de crise, mas sua escassa rentabilidade unida à rápida proliferação em diversos países demandam uma leitura mais aprofundada.

Trata-se, por parte, da iniciativa de um grande número de arquitetos para impedir a repetição de modelos errôneos do passado e reduzir a distância que criou-se entre a profissão e a sociedade através do ensino. Se educar sobre o meio natural é algo que hoje se da por pressuposto, basta um único dado para entender a importância da educação sobre o meio construído: no ano 2050 sete em cada dez pessoas viverão em cidades.

Estes objetivos foram reforçados por três fatores: o novo papel social do arquiteto, o auge da participação cidadã e a busca de modelos educativos alternativos. São justamente os processos participativos que demonstraram a necessidade de que qualquer cidadão possua um mínimo de competências e habilidades espaciais.

Licenciado sob CC0 Domínio Público. Imagem via Pxhere
Licenciado sob CC0 Domínio Público. Imagem via Pxhere

A educação em arquitetura já foi abordada com êxito em outros países, grande parte deles a partir da educação formal. Javier Encinas [1] expõe interessantes iniciativas desenvolvidas na França, no Reino Unido, na Alemanha, na Itália e em Portugal. No entanto, a Finlândia acaba sendo o país que possui a experiência mais ampla na educação de arquitetura dentro do currículo nacional. Sua atividade dentro dos colégios se vê complementada com escolas de divulgação específicas de arquitetura para crianças e jovens como Arkki (Helskinki, Espoo e Vantaa) e Lastu (Pohjois-Savo) nas quais se formam professores, alunos e famílias.

Por outro lado, autores como Juan Bordés ou Xavier Monteys nos recordam do impulso construtor que toda criança possui em seu período de formação: na infância se constrói com a mesma naturalidade com a qual se desenha. De fato, as qualidades educativas dos blocos de construção foram demonstradas há mais de um século e sua vigência faz com que sigam fazendo parte do material escolar. Mais recentemente, autores como Howard Gardner identificaram a "inteligência visual e espacial" como uma das sete inteligências que definem cada indivíduo. 

A educação em arquitetura é, portanto, uma encruzilhada na qual se encontram formação natural, necessidade social e objetivos a longo prazo para gerar e exigir melhores entornos construídos. Por que ensinamos arquitetura às crianças? Sobram motivos.[2]

[1] https://arquitecturayeducacion.wordpress.com/2016/01/13/formacion-en-arquitectura-educacion-reglada/

[2] Informe de educação de arquitetura para crianças: Jorge Raedó: http://fronterad.com/?q=informe-sobre-educacion-arquitectonica-para-ninos-en-espana-y-latinoamerica

Este artigo foi originalmente publicado como "'¿Por qué enseñar arquitectura a los niños?' no blog Fundación Arquea e escrito por Virginia Navarro. Leia mais de seus artigos aqui.

Sobre este autor
Virginia Navarro
Autor
Cita: Navarro, Virginia . "Por que ensinar arquitetura para as crianças?" [¿Por qué enseñar arquitectura a los niños? ] 31 Mai 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Brant, Julia) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/895416/por-que-ensinar-arquitetura-para-as-criancas> ISSN 0719-8906