1. ArchDaily
  2. Fotografia

Fotografia: O mais recente de arquitetura e notícia

"Imagens revelam A verdade": nos bastidores com Niveditaa Gupta

Courthouse by MOAD Architects. Image © Niveditaa GuptaRugs by Mark Krebs. Image © Niveditaa GuptaFound by Aanshiki Mittal. Image © Niveditaa GuptaBhadran School by SRDA. Image © Niveditaa Gupta+ 17

Neste episódio de “Nos Bastidores”, onde mostramos o trabalho de fotógrafos visionários e perguntamos sobre suas experiências além do que é visto pelo público, apresentamos Niveditaa Gupta, uma fotógrafa de arquitetura baseada em Nova Delhi, Índia. Através de suas fotos, ela procura criar visuais que possam suscitar um discurso sobre o próprio elemento arquitetônico.

Residência Quatro Folhas / KIAS

© Norihito Yamauchi© Norihito Yamauchi© Norihito Yamauchi© Norihito Yamauchi+ 18

  • Arquitetos: KIAS
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  225
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Cosentino, Catalano, Miele, Riviera, Zucchetti

Kambra / Lucija Penko + Medprostor d.o.o.

© Janez Marolt© Janez Marolt© Janez Marolt© Janez Marolt+ 18

  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: BORA, Flos, Jansen, Nestor Martin, Vibia

Pavilhão da Arábia Saudita na Bienal de Veneza explora encontros sociais dentro de casa

Intitulado Acomodações, o Pavilhão da Arábia Saudita na 17ª Bienal de Arquitetura de Veneza se propõe a analisar encontros sociais e espaciais de hospedagens e casas no território saudita, lugar onde histórias, protocolos e gestos estão entrelaçados. Com curadoria de Hussam Dakkak, Basmah Kaki, e Hessa AlBader, junto com os curadores de Brooklin, Uzma Z, Rizvi e Murtaza Vali, a exposição irá acontecer de 22 de Maio a 21 de Novembro de 2021.

Policeman Receives Immunization Shot, Qatif, 1950s. Cortesia da imagem da Saudi AramcoVisualização conceitual das "ilhas" de Acomodações, apresentando uma série de modelos arquitetônicos, urbanos e territoriais que indexam um atlas de acomodações e infraestruturas quarentenárias ao longo do tempo. Imagem Cortesia de Studio Bound 2021Alojamento em massa para peregrinos no antigo aeroporto, 2012 .. Imagem © Stefan Maneval‘Funduk’ Al Yamamah - Riyadh / Um desenho em perspectiva que ilustra a localização estratégica do Hotel Al Yamamah, servindo como uma extensão do fórum de espaços governamentais. Imagem Cortesia de Studio Bound 2021+ 15

Museu da Universidade de Cornell projetado por I.M. Pei, pelas lentes de Nipun Prabhakar

O fotógrafo indiano Nipun Prabhakar compartilhou conosco uma série de imagens do Herbert F. Johnson Museum of Art, projetado pelo arquiteto sino-americano I.M Pei. O arquiteto fora contratado em 1968 pela Universidade de Cornell para construir um museu que também deveria servir como um centro cultural e de ensino para a comunidade acadêmica. Concluído em 1973, o edifício recebeu o Prêmio de Honra do Instituto Americano de Arquitetos em 1975.

© Nipun Prabhakar© Nipun Prabhakar© Nipun Prabhakar© Nipun Prabhakar+ 21

Casa da Arquitectura reabre as portas com a exposição “Arquigrafias. Guido Guidi e Álvaro Siza”

Arquigrafias. Guido Guidi e Álvaro Siza é a exposição que assinala a reabertura ao público da Casa da Arquitectura, depois do confinamento. A mostra de fotografias do italiano Guido Guidi sobre obras do arquiteto Álvaro Siza tem curadoria de Paula Pinto e Joaquim Moreno e fica em cartaz na Galeria da Casa de 17 de abril a 3 de outubro 2021.

Os curadores selecionaram oito projetos situados em Lisboa, Porto e Matosinhos, que estão representados através de 97 imagens captadas pela lente de Guido Guidi. Arquigrafias oferece assim um “diálogo entre a obra fotográfica de Guido Guidi (Cesena, 1941) e a obra arquitetónica de Álvaro Siza (Matosinhos, 1933) e constitui um encontro singular entre duas figuras ímpares nos seus respetivos campos de trabalho”.

Instruções para subir uma escada rolante: fotografia como elemento de análise da apropriação do corpo e suas relações históricas

Escada x Escada Rolante. Até o começo do século XX, a circulação vertical era feita através da escada. Sem o aparato da eletricidade, a circulação vertical demandava esforço físico e atenção dos usuários, dependendo somente da força humana. A escada rolante surge “com o rush das invenções industriais junto aos desejos da ficção científica de 1800, apresentada em 1915 como objeto de entretenimento na grande exposição de Paris e de Coney Island” (KOOLHAAS, 2014, pg.1303). Logo depois, passa a ser usada como elemento funcional de circulação. A princípio, a sua utilização deveria substituir o uso da escada comum, entretanto, o novo aparato tecnológico não cumpriu essa função, passando a ser um elemento complementar e adquirindo um novo significado. Com degraus maiores para acomodar um corpo parado em pé, a escada rolante possibilita um fluxo de pessoas mais intenso, conectando espaços mais íngremes com uma menor área de incidência. Comparada a escada, ambas exigem ritmos, sensações e condicionamentos físicos diferentes daqueles que ali transitam. 

Escadas rolantes do centro expandido. Image © Marina SchiesariEscadas rolantes do centro expandido. Image © Marina SchiesariEscadas rolantes do centro expandido. Image © Marina SchiesariEscadas rolantes do centro expandido. Image © Marina Schiesari+ 15

As obras do edifício mais esbelto do mundo, pelas lentes de Paul Clemence

Paul Clemence divulgou uma nova série de imagens mostrando o andamento das obras da torre 111 West 57th, projetada pelo escritório SHoP. Localizado em Nova Iorque, arranha-céu residencial se tornará o segundo edifício mais alto da cidade – considerando a altura de sua cobertura – e o edifício mais esbelto do mundo.

© Paul Clemence© Paul Clemence© Paul Clemence© Paul Clemence+ 27

Belgrado brutalista pelas lentes de Alexey Kozhenkov

O brutalismo é um estilo arquitetônico profundamente divisor - uma subcategoria do movimento modernista que apresentava acabamentos de concreto à vista, formas incomuns e uma estética sem dúvida única. Com especial protagonismo no Brasil e no Reino Unido, exemplos emblemáticos desse estilo também podem ser encontrados na Europa Oriental – particularmente, no território anteriormente conhecido como Iugoslávia.

© Alexey Kozhenkov"Prédio TV" - on Block 28. Imagem © Alexey Kozhenkov© Alexey Kozhenkov© Alexey Kozhenkov+ 9

A rota de Francisco Salamone: cemitérios art déco em Buenos Aires

Em poucos anos, o arquiteto e engenheiro ítalo-argentino Francisco Salamone projetou e construiu mais de 60 edifícios em diferentes cidades da província de Buenos Aires. Entre 1936 e 1940, promover o crescimento e o desenvolvimento dos municípios do interior de Buenos Aires por meio de obras públicas foi uma estratégia do governo local. Com liberdade para projetar – de mobiliário urbano até praças e edifícios públicos, entre os quais cemitérios em estilo art déco, matadouros e prefeituras – Salamone revelou a busca de uma identidade monumental para o Estado.

Brutalismo medieval: a entrada de Castelgrande na Suíça, pelas lentes de Simone Bossi

Situados nos picos rochosos de Ticino estão os históricos castelos medievais de Bellinzona: Montebello, Sasso Corbaro e Castelgrande. Embora os três e suas fortificações tenham integrado a lista do Patrimônio Mundial da UNESCO, não são apenas as antigas muralhas que deixam os visitantes encantados, mas também os portões que levam a elas.

Eu sua mais recente série de imagens, o fotógrafo de arquitetura Simone Bossi registrou apenas a entrada de um dos castelos, mostrando como o diálogo entre as formas orgânicas da natureza e as paredes refinadas moldadas pelo homem pode ser tão majestoso quanto a própria fortaleza histórica.

"O Brasil é sinônimo de desigualdade": imagens aéreas mostram o abismo socioeconômico em cidades brasileiras

Paraisopolis, São Paulo. Image © Johnny Miller / Unequal ScenesMorro da Providência, Rio de Janeiro. Image © Johnny Miller / Unequal ScenesItanhanga, Rio de Janeiro. Image © Johnny Miller / Unequal ScenesDona Marta, Rio de Janeiro. Image © Johnny Miller / Unequal Scenes+ 12

Desigualdade socioeconômia é um termo com o qual a maioria de nós está familiarizado, no entanto, embora sentida na pele por boa parte da população mundial, permanece relativamente abstrata para muita gente. Torná-la visível é a proposta do fotógrafo Johnny Miller que, através do projeto Unequal Scenes, vem registrando territórios de tensão a partir de uma perspectiva bastante esclarecedora: a imagem aérea.

Iniciado na África do Sul, país social e espacialmente marcado pelo apartheid, o projeto foi recentemente trazido ao Brasil para registrar contextos em que pobreza e riqueza extremas coexistem a poucos metros, mostrando que distância não é apenas uma grandeza fisicamente mensurável, mas também pode assumir aspectos mais complexos, profundamente enraizados em nossa sociedade.

Corbusierhaus pelas lentes de Bahaa Ghoussainy

Em resposta à crise imobiliária na Europa após a Segunda Guerra Mundial, Le Corbusier começou a projetar estruturas residenciais em grande escala. Um de seus projetos de habitação comunitária mais notáveis foi a Unidade de Habitação em Berlim, também conhecido como Corbusierhaus, concluído em 1959.

Explorando a composição particular do edifício, o fotógrafo de arquitetura Bahaa Ghoussainy colocou a unidade habitacional de Le Corbusier na mira de suas lentes.

Federico Covre registra as obras mais novas de Barozzi Veiga na Suíça: o Tanzhaus e o MCB-A

A mais recente série de fotografias de Federico Covre mostra dois dos projetos de Barozzi Veiga na Suíça, o Centro de Dança Contemporânea Tanzhaus Zurique e o Museu Cantonal de Belas Artes. O fotógrafo italiano, que “busca alcançar um equilíbrio entre o rigor conceitual e a funcionalidade” por meio de suas imagens, registrou os projetos um ano após inaugurados.

Tanzhaus- Barozzi Veiga. Imagem © Federico CovreTanzhaus- Barozzi Veiga. Imagem © Federico CovreMCBA- Barozzi Veiga. Imagem © Federico CovreMCBA- Barozzi Veiga. Imagem © Federico Covre+ 55

International Photography Awards divulga os vencedores na categoria Arquitetura

O International Photography Awards anunciou os vencedores do prêmio de fotografia de 2020. Apresentando trabalhos fotográficos notáveis de todo o mundo, o concurso deste ano reuniu mais de 13 mil inscrições de 120 países. Veja a seleção de vencedores e menções honrosas nas subcategorias de Arquitetura, que envolvem belas-artes, paisagens urbanas, pontes, edifícios, interiores, históricos, industriais e abstratos.

Sebastian Weiss_HM architecture_The Red Wall. Image Courtesy of International Photography Awards 2020Paul Mark Sanders_HM architecture_homage Christo. Image Courtesy of International Photography Awards 2020Silvia Steinbach_HM architecture_Tanks of cocoa beans. Image Courtesy of International Photography Awards 2020Rami Yazagi_HM architecture_New York. Image Courtesy of International Photography Awards 2020+ 32

Fotografia de arquitetura e escala: a figura humana como ferramenta de análise

Incorporar a figura humana na fotografia de arquitetura é uma das formas mais eficazes de ajudar o espectador a decifrar a escala de uma obra. Com ela, não apenas é possível transmitir noções das medidas dos elementos fotografados, mas também criar interessantes relações que podem favorecer a composição de uma imagem. Com isso em mente, compilamos a seguir uma seleção de nossas fotografias favoritas que têm na escala humana seu principal elemento compositivo. 

© LCLA Office© Jihun Bae© Rasmus HjortshøjCortesia de AirMesh Pavilion+ 25

A escala corporificada: Índia através dos olhos da pele

O que é a escala humana senão as relações entre um corpo e o ambiente que o cerca? E o que seria o corpo senão o vínculo inevitável entre a nossa experiência sensorial do mundo material e a consequente sensibilização de cada um de nossos sentidos?