Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Década 1960

Década 1960: O mais recente de arquitetura e notícia

Clássicos da Arquitetura: Space Needle / John Graham & Company

Cortesia de Wikimedia user Rattlhed (Domínio Público)
Cortesia de Wikimedia user Rattlhed (Domínio Público)

A abertura da Exposição Century 21 em 21 de abril de 1962 transformou a imagem de Seattle e do Noroeste americano aos olhos do mundo. A região, mais conhecida até então por seus recursos naturais do que como uma capital cultural, estabeleceu uma nova reputação como um centro de tecnologias emergentes e design aeroespacial. Esta nova identidade foi incorporada pela peça central da exposição: a Space Needle, uma construção delgada de aço e concreto armado que se tornou e permanece o marco mais icônico de Seattle. [1]

Space Needle em construção antes de sua abertura em abril de 1962. Cortesia de Seattle Municipal Archives (Public Domain) Cortesia de Wikimedia user Cacophony (CC BY-SA 3.0) Cortesia de Flickr user James Vaughan (CC BY-NC-SA 2.0) Este croqui da Space Needle data de abril de 1961 - um ano antes da sua abertura. Cortesia de Seattle Municipal Archives (Public Domain) + 7

Clássicos da Arquitetura: Bairro Gallaratese / Aldo Rossi e Carlo Aymonino

À medida que a poeira abaixava após a Segunda Guerra Mundial, grande parte da Europa permaneceu com uma escassez habitacional. Em Milão, uma série de planos foram elaborados em resposta à crise, estabelecendo comunidades satélites para a cidade do norte da Itália, onde cada uma seria habitada por entre 50.000 e 130.000 pessoas. A construção da primeira dessas comunidades começou em 1946, um ano após o fim do conflito. Dez anos mais tarde, em 1956, a adoção do Il Piano Regolatore Generale -um novo plano diretor- preparou o cenário para o desenvolvimento da segunda, conhecida como "Gallaratese". O terreno da nova comunidade foi dividido em partes 1 e 2, sendo esta última propriedade do Monte Amiata Società Mineraria per Azioni. Quando o plano permitiu o desenvolvimento privado de Gallaratese 2 no final de 1967, a comissão para o projeto foi dada ao Studio Ayde e, em particular, seu sócio Carlo Aymonino. Dois meses depois, Aymonino convidaria Aldo Rossi para projetar um edifício para o complexo e os dois italianos começaram a realizar suas respectivas visões para a comunidade microcósmica ideal. [1]

© Gili Merin © Gili Merin © Gili Merin © Gili Merin + 17

Clássicos da Arquitetura: Solar do Unhão / Lina Bo Bardi

© Manuel Sá © Manuel Sá © Manuel Sá © Manuel Sá + 7

Há coisas que não podem ser vistas até que sejam ditas. Por exemplo, que o pilar roliço central de pau d’arco seja recortado em nichos de cinco centímetros de profundidade para receber e apoiar as faces dos degraus de ipê amarelo tangentes ao raio do pilar; e que também existam peças de altura igual ao espaçamento entre degraus –dez centímetros e dois milímetros–, engastadas no mesmo pilar, que ampliam a base de apoio dos degraus. Ou que as vigas perimetrais inclinadas, que formam uma hélice dextrogira de sete segmentos retos, se encaixem duas a duas à meia madeira em suas extremidades; e que também sejam parafusadas nas faces internas dos pilares preexistentes.

Clássicos da Arquitetura: Vila Serra do Navio / Oswaldo Bratke

© Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon + 23

Por Luis Espallargas

Vila Serra do Navio se estrutura segundo um núcleo linear e distendido que reúne e ordena todas as edificações e atividades de interesse coletivo, além de associar, com áreas verdes urbanizadas, dois afastados setores habitacionais. A concisão parece ter sido alcançada com remanejamento posterior, quando o setor esportivo faz a ligação dos dois grupos de moradia. Em oposição a essa espinha dorsal e estrutural acusada pelo gentil caminho para pedestres, há setores envolventes recortados ora por vias locais, ora por cul-de-sacs que concentram, segundo duas classes funcionais, as categorias residenciais e unifamiliares dos funcionários. O sistema viário, sempre externo, é o escudo, garante o afastamento da floresta e está complementado pela trilha interna de pedestres que cumpre a ligação retilínea e econômica entre setores.

Clássicos da Arquitetura: Banco Sul-Americano / Rino Levi

© Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon © Nelson Kon + 11

O pequeno porte do futuro edifício, por outro lado, gerou uma oportunidade: a inclusão de uma torre de escritórios. Dois volumes visualmente separados e funcionalmente independentes, embora integrados pela implantação e unificados pela utilização de um elemento estético-funcional moderno: o brise.