Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática

Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática

À medida que a humanidade toma consciência do seu impacto no meio ambiente, também tem buscado formas para reverter alguns dos malefícios causados à fauna e à flora, sobretudo nas cidades. Nosso padrão de vida, de consumo e de construção tem causado danos severos à natureza. De fato, segundo um estudo no Weizmann Institute of Science, estamos em um ponto de inflexão onde a massa de todos os materiais fabricados pelo homem é igual à biomassa do planeta, e isso deve dobrar até 2040. Mas não necessariamente tudo o que construímos deve ter um impacto negativo. O projeto "The Tidal Dout" é um exemplo, parte de um projeto de revitalização abrangente em Kuk Po Village em Sha Tau Kok em Hong Kong, e que consegue reunir duas ecologias diferentes, o ambiente antropocêntrico e o natural.

Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 2 de 20Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 3 de 20Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 4 de 20Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 5 de 20+ 20

As linhas costeiras em Hong Kong foram redefinidas há décadas. Muitas grandes recuperações de terras reformularam fortemente a condição de borda da cidade e destruíram os habitats existentes dos animais. No entanto, ainda existem muitos que permanecem intactos. A costa em Kuk Po Village, Sha Tau Kok, é uma delas e é excepcionalmente pitoresca. Segundo a descrição do projeto, “Para muitos de nós, a costa tem uma atração mágica. É um espaço intersticial que nos convida a habitar e contemplar. Oferece vistas da costa e da paisagem e nos aproxima das forças naturais que nos cercam.”

Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 2 de 20
© Alyssa Williams Ng

Entre a maré alta e baixa está a zona das marés. Em Hong Kong, essa zona flutua em cerca de 900 mm. Os animais e plantas que vivem aí precisam lidar com diferentes condições ao longo do dia. Eles são submersos na maré alta e expostos ao ar na maré baixa. A cada doze horas, essa ecologia muda na costa.

Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 12 de 20
© Chen Zhaowei

A ideia do projeto é, em vez de se separar através de uma intervenção artificial, reunir duas ecologias diferentes, o ambiente antropocêntrico e o natural. Ambos são os beneficiários de sua abordagem de design funcional.

Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 8 de 20
© Chen Zhaowei
Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 11 de 20
Generative process via Grasshopper | Complexity versions. Image © Robotic Fabrication Lab, HKU

Com seus intrincados espaços e fendas, o banco fornece muitas criaturas escondidas de predadores e aprimora a ecologia da costa. Durante a maré alta, estes são parcialmente submersas na água. Com seus espaços intrincados, ele fornece esconderijo dos predadores a muitas espécies. Durante a maré baixa, convida os moradores e seus visitantes a fazer uma pausa e aproveitar a praia.

Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 13 de 20
Digital Prototypes with complexity indicator. Image © Robotic Fabrication Lab, HKU

Três ideias principais inspiraram o design dos bancos. Por um lado, faz referência aos bancos de cerâmica clássica. Esses bancos têm uma rica história na China. Eles existem há pelo menos 1.000 anos e foram usados ​​principalmente nos jardins paisagísticos e feitos de vários materiais, como pedra, madeira, louça e porcelana. Em segundo lugar, o banco se inspira nas raízes dos manguezais, que são típicas para este lugar e crescem ao longo da costa e apóiam os ecossistemas costeiros e marinhos sustentáveis. E em terceiro lugar, as cores de barro marrom escuro do banquinho fazem referência às rochas nesta costa específica para se integrar bem a esse habitat natural.

Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática - Imagem 20 de 20
© Christian J. Lange

O projeto foi coordenado por Christian J. Lange e Weijen Wang, e a equipe composta por Chen Zhaowei, Yin Fangyi e Chan Ching Yin, financiado pelo Country Conservation Office e impresso no Robotic Fabrication Lab, da Universidade de Hong Kong. No total, a equipe produziu 30 bancos únicos com alturas diferentes para diferentes usuários e graus variados de complexidade da superfície. O objetivo de produzir a multiplicidade de soluções era entender qual geometria, no final, teria o melhor desempenho para o ambiente natural. Todos foram produzidos usando um robô industrial padrão e feitos usando uma mistura única de argila de terracota, que é muito adequada para habitats naturais devido ao seu nível de pH. Portanto, caso se deteriorem com o tempo, voltam à natureza sem nenhum dano.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Eduardo Souza. "Intervenção costeira com impressão 3D: bancos e abrigos para a fauna aquática" 02 Jul 2022. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/983372/intervencao-costeira-com-impressao-de-terracota-3d-bancos-ou-abrigo-para-a-fauna-aquatica> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.