Neue Nationalgaleire de Mies van der Rohe em Berlim reabre com exposição de Alexander Calder

Neue Nationalgaleire de Mies van der Rohe em Berlim reabre com exposição de Alexander Calder

Após mais de seis anos fechada para reforma, a renovada Neue Nationalgalerie de Mies van der Rohe em Berlim foi finalmente reinaugurada no dia 22 de agosto de 2021.

Após quase cinquenta anos ininterruptos recebendo algumas das mais impressionantes exposições de arte moderna e contemporânea, a Neue Nationalgalerie de Berlim fechou suas portas no final de 2014 pela primeira vez desde sua inauguração em 1968. O merecido momento de descanso veio acompanhado de um amplo projeto de reforma liderado pelo escritório de David Chipperfield. Depois de mais de seis anos de trabalhos no local, a última obra concluída por Ludwig Mies van der Rohe—e o único edifício construído pelo arquiteto na Europa do pós-guerra—foi finalmente reinaugurada no dia 22 de agosto.

Para o projeto da Neue Nationalgalerie, Mies reaproveitou alguns de seus esboços realizados para um edifício administrativo de uma empresa de rum em Cuba—uma estrutura extremamente simples composta por um grande pavilhão de vidro e uma cobertura monumental de aço. Na época de sua primeira inauguração, o caráter austero do edifício lhe rendeu um apelido carinhoso e um tanto curioso: “posto de gasolina”.

Jardim das esculturas. Imagem © Simon Menges
Jardim das esculturas. Imagem © Simon Menges

Cobrindo uma área aproximada de 1.400 metros quadrados, o pavilhão da Neue Nationalgalerie conta com uma série de espaços expositivos no térreo e no subsolo além de pátios rebaixados abertos e fechados. Entre os espaços expositivos ao ar livre está o jardim das esculturas e o pódio principal junto à entrada do pavilhão, local onde a obra-prima Têtes et Queue do escultor americano Alexander Calder (1898–1976) voltou a ser instalada, a qual acompanha fielmente a estrutra de Mies desde a sua inauguração nos final dos anos 1960.

Além disso, uma das duas exposições individuais que marcam a reabertura do icônico edifício de Mies em Berlim é dedicada à vida e obra do mesmo Calder. Minimal / Maximal apresenta algumas das menores e também das maiores obras produzidas pelo escultor americano ao longo de sua vida, justapondo as mundialmente reconhecidas formas orgânicas de Alexander Calder com a severa arquitetura de Mies van der Rohe. Essa simbiose entre dois dos mais famosos personagens da modernidade, também enriquece a paisagem urbana da cidade de Chicago, onde o Flamingo de Calder pousa delicadamente junto a praça em frente ao Federal Building projetado pelo arquiteto alemão.

© Simon Menges
© Simon Menges

Quando a Neue Nationalgalerie foi “montada” originalmente nem 1968, os módulos de mais de uma tonelada da estrutura de cobertura foram içados e soldados no local com o auxílio de oito prensas hidráulicas. Este espetáculo único, que parecia já ter sido esquecido, foi devidamente repetido durante a remontagem da estrutura. David Chipperfield, arquiteto responsável pelo projeto de renovação da antiga estrutura de Mies, decidiu desmontar, restaurar e relocar cada um dos milhares de componentes metálicos da estrutura da Neue Nationalgalerie de volta ao seu lugar de origem—os quais foram identificados com um código de 16 dígitos.

“Desmontar uma obra tão respeitada e minuciosa foi uma experiência minimamente estranha, mas um tremendo privilégio para todos os envolvidos”, disse Chipperfield. “Mergulhar nas profundezas deste magnificente edifício, esquadrinhando cada um de seus elementos e componentes, revelou não apenas a genialidade desta obra de arquitetura, mas também algumas de suas falhas, algo que, só me fez admirar ainda mais a figura de Mies van der Rohe”, acrescenta.

Vista noturna do pavilhão expositivo. Imagem © Simon Menges
Vista noturna do pavilhão expositivo. Imagem © Simon Menges

O projeto de reforma, levado a cabo principalmente para preservar a estrutura para as futuras gerações, acabou abrindo caminho para a sustentabilidade, incluindo a remoção de toxinas e materiais perigosos utilizados durante a construção da estrutura original, como o amianto e fibras minerais artificiais. A equipe de projeto também esteve focada ainda em adaptar o edifício aos atuais padrões de segurança e eficiência energética, minimizando assim o consumo global de energia utilizado para a manutenção e operação do edifício. Além disso, todas as antigas barreiras de controle de acesso foram removidas, os elevadores foram substituídos por outros mais espaçosos e as portas giratórias deram lugar a portas de correr que ampliaram e muito a acessibilidade dentro e fora do pavilhão. De forma complementar, foi instalado um novo sistema de alarme por voz, um sistema de amplificação auditiva e sinalização de segurança por imagens. Informações táteis foram incorporadas em todos os espaços e elementos do edifício, como informações táteis nos corrimãos, iluminação e pisos guia.

Para concluir, todas as luminárias originais foram convertidas para sistemas de tecnologia LED, adequando o projeto luminotécnico segundo os atuais padrões de iluminação recomendados para espaços expositivos, algo que transformará a experiência espacial dos usuários ao visitar o edifício e suas exposições—aproveitando a oportunidade, a exposição de Calder estará aberta ao público até fevereiro de 2022.

Este artigo foi publicado originalmente em Metropolis.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Loho, Petra . "Neue Nationalgaleire de Mies van der Rohe em Berlim reabre com exposição de Alexander Calder" [Mies van der Rohe’s Neue Nationalgalerie Reopens with an Alexander Calder Exhibition] 03 Set 2021. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/967804/neue-nationalgaleire-de-mies-van-der-rohe-em-berlim-reabre-com-exposicao-de-alexander-calder> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.