Pavilhão de Kosovo da Bienal de Veneza aborda relação entre natureza e humanidade

Pavilhão de Kosovo da Bienal de Veneza aborda relação entre natureza e humanidade

Intitulado "Containporary" o Pavilhão de Kosovo da 17ª Bienal Internacional de Arquitetura de Veneza avalia o papel da urbanização global e o processo de planejamento e criação de ambientes sustentáveis. Curado por Maksut Vezgishi, o pavilhão estará exposto de 22 de Maio a 21 de Novembro de 2021.

Cortesia de Kosovo PavilionCortesia de Kosovo PavilionCortesia de Kosovo PavilionCortesia de Kosovo Pavilion+ 26

Arquiteto, artista visual e autor, Maksut Vezgishi irá juntar forças com Vildane Maliqi, Argjire Krasniqi, Feray Dervis, Recep Kerkezi, e Gezim Radoniqi para a criação do pavilhão de Kosovo para a 17ª Bienal Internacional de Arquietura de Veneza. A exposição está sendo organiza pelo Ministério da Cultura, Juventude e Esportes do Kosovo e irá destacar uma urbanização sustentável no país e no mundo.

Cortesia de Kosovo Pavilion
Cortesia de Kosovo Pavilion

A falta de planejamentos sustentáveis coloca em risco o Planeta Terra. O problema mais grave é a crise do aquecimento global. Falta consciência e ações coordenadas para evitar os efeitos dos desastres climáticos. Hoje, nenhuma ação humana pode mais ser vista como 'individual'. Os sonhos e a visão da eternidade existem em experiências de transição. Terra e natureza são transformáveis. - Equipe Curatorial

O pavilhão explora como a raça humana pode respeitar e manter o equilíbrio do ecossistema, abordando o urbanismo e a arquitetura de maneiras específicas com consciência ambiental. No momento, as megaestruturas não são construídas de forma consistente. Muitas partes interessadas, como governos, comércio e economia globais, empresas multinacionais e comercialismo, têm uma palavra a dizer quando se trata de construção, minimizando o uso inteligente dos recursos existentes.

Cortesia de Kosovo Pavilion
Cortesia de Kosovo Pavilion

Na procura de nobres intenções, a equipe curatorial recorre à "memória" como um "mundo ideal e fantástico de oportunidades que os arquitetos e projetistas revivem e atualizam". Como Kosovo é um país que vive constantemente com a degradação provocada pela "tecnologia suja" do passado, o pavilhão busca abrir um novo capítulo de desenvolvimento sustentável. Para a exposição, os curadores tomaram como base um contêiner, um grande objeto de formato único que está localizado nos municípios. As paisagens ao redor desses contêineres são frequentemente desconsideradas, o que deu à equipe uma tela branca com infinitas novas possibilidades de intervenção.

Cortesia de Kosovo Pavilion
Cortesia de Kosovo Pavilion

A modelagem revoluciona os conceitos sociais, políticos e espaciais e fortalece a conexão entre pessoas e países. - Equipe Curatorial

Cortesia de Kosovo Pavilion
Cortesia de Kosovo Pavilion

Containporary

Cortesia de Kosovo Pavilion
Cortesia de Kosovo Pavilion

Maksut Vezgishi: o curador nativo de Kosovo, Maksut Vezgishi é graduado em arquitetura, editor de arte contemporânea e autor. Atualmente residindo em Bruzelas, sua experiência profissional envolve arquitetura e edição artística em diversas publicações políticas e culturais. O arquiteto define o seu estilo como "experimental e moderno", chamando a atenção para a procura da "arte atual albanesa".

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Stouhi, Dima. "Pavilhão de Kosovo da Bienal de Veneza aborda relação entre natureza e humanidade" [Kosovo Pavilion at the 2021 Venice Biennale Explores the Role of Urbanization in Bonding Human with Nature ] 25 Mai 2021. ArchDaily Brasil. (Trad. Martino, Giovana) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/961497/pavilhao-de-kosovo-da-bienal-de-veneza-aborda-relacao-entre-natureza-e-humanidade> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.