O que são Cidades Jardim?

O que são Cidades Jardim?

Após o período da revolução industrial, muitas cidades europeias testemunharam um crescimento em ritmo acelerado, intensificado pelo movimento das pessoas do campo para os centros urbanos na busca por maiores oportunidades.

Mas, se de um lado as cidades tornavam-se cada vez mais atrativas, também se intensificaram problemas como a poluição e o crescimento das ocupações irregulares. Em outro contexto, se o campo permitia o contato próximo à natureza e uma abundância de recursos naturais, também sofria com certo isolamento e redução nas possibilidades de emprego.

Brønby Haveby, Dinamarca. © Daily OverviewVista aérea de Letchworth. Via RIBA CompetitionsMapa de Cidade Jardim desenvolvido por Howard. Via Wikimedia Commons, sob domínio públicoWelwyn Garden City memorial garden. Via Wikimedia Commons, sob licença CC BY-SA 4.0+ 6

Com essas questões em vista, surge, na virada entre o século XIX e XX, o conceito das cidades jardim. Este modelo de planejamento caracterizou-se por ideais progressistas para solucionar os problemas decorrentes do êxodo rural e consequente crescimento desordenado dos centros urbanos. A concepção das cidades jardim envolveria a criação de uma série de pequenas cidades capazes de combinar, simultaneamente, os benefícios de ambos os contextos.

Mapa de Cidade Jardim desenvolvido por Howard. Via Wikimedia Commons, sob domínio público
Mapa de Cidade Jardim desenvolvido por Howard. Via Wikimedia Commons, sob domínio público

Ebenezer Howard (1850-1928), estudioso das cidades antes do firmamento do urbanismo enquanto campo disciplinar, foi um dos principais nomes por trás do desenvolvimento do conceito de cidade jardim. Howard foi autor da publicação To-morrow a Peaceful Path to Real Reform (1898), livro editado e lançado quatro anos depois com o título Garden Cities of Tomorrow (1902), pelo qual tornou-se largamente conhecido.

Vista aérea de Letchworth. Via RIBA Competitions
Vista aérea de Letchworth. Via RIBA Competitions

Além das publicações, Howard contribuiu para a formação da Garden City Association na Inglaterra em 1899, como uma maneira de difundir ideias em torno das ideias de justiça social, eficiência econômica, embelezamento, saúde e bem-estar no contexto do planejamento urbano que advogava em seus livros.

Particularmente emblemático no que diz respeito à síntese das ideias das cidades jardim, o Three Magnets Diagram (Diagrama de três ímãs), ocupa as primeiras páginas de Garden Cities of Tomorrow desde a sua primeira versão. Nele, cada um dos ímãs ilustrados representa uma localidade: a cidade, o campo e a cidade jardim. Enquanto os dois primeiros ímãs reúnem, em cada um dos pólos, aspectos negativos e positivos desses contextos específicos, o terceiro agrupa benefícios de ambos.

The Three Magnets Diagram, por Ebenezer Howard. Via Wikimedia Commons, sob domínio público
The Three Magnets Diagram, por Ebenezer Howard. Via Wikimedia Commons, sob domínio público

Neste terceiro ímã, as promessas das qualidades da cidade jardim soam tão promissoras a ponto de deslocar seu título para o centro do diagrama, diferentemente dos dois primeiros, como se indicasse uma forte atração entre a pergunta “The people: where will they go?” (“Pessoas: para onde irão?”) e as inúmeras qualidades oferecidas por este modelo de planejamento urbano.

“No início do século XX, duas grandes novas invenções tomaram forma diante dos nossos olhos: o avião e a Cidade Jardim, ambos presságios de uma nova era: o primeiro deu ao homem asas e o segundo prometeu-lhe um lugar melhor para habitar quando descesse à terra.” - Lewis Mumford (1946)

Welwyn Garden City memorial garden. Via Wikimedia Commons, sob licença CC BY-SA 4.0
Welwyn Garden City memorial garden. Via Wikimedia Commons, sob licença CC BY-SA 4.0

A visão utópica por trás do conceito idealizava pontos específicos que caracterizariam as cidades jardim. Entre eles, o planejamento de cidades em menor escala que acomodassem habitações, indústria e agricultura, circundadas por cinturões verdes, que limitariam seu crescimento. Como ilustram muitos dos diagramas e mapas desenvolvidos para cidades jardins, a concepção de uma rede interligada entre elas também se configura como um ponto importante para sua efetivação.

A aplicação do conceito foi observada em cidades inglesas como Letchworth, Welwyn e Stockfeld, mas também em outras cidades dentro e fora do continente europeu, com adaptações e reinterpretações do modelo à medida em que surgiam novos contextos geográficos e históricos.

Brønby Haveby, Dinamarca. © Daily Overview
Brønby Haveby, Dinamarca. © Daily Overview

Ainda hoje, o conceito tem sido retomado - ainda que com um grande distanciamento em relação à concepção original - para identificar certas propostas urbanísticas que buscam, ao menos na teoria, uma maior integração do contexto urbano com áreas verdes. 

Mas, se por um lado os afastamentos teóricos e conceituais entre o conceito lançado por Howard e as classificações de muitas propostas recentes no campo do planejamento urbano reforçam as suas disparidades, também enfatizam a relevância do estudo e compreensão do conceito de cidade jardim ainda hoje.

Referências bibliográficas

  • HOWARD, Ebenezer. Garden Cities of Tomorrow. Londres: Swan Sonnenschein & Co. Ltd., 1902.
  • MUMFORD, Lewis. The Garden City Idea and Modern Planning. In: HOWARD, Ebenezer. Garden Cities of Tomorrow. Londres: Faber and Faber, 1946.
  • ROSS, Rebecca; MOGILEVICH, Mariana; CAMPKIN, Ben. Ebenezer Howard's three magnets. The Guardian, 05 dez. 2014.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Susanna Moreira. "O que são Cidades Jardim?" 03 Mai 2021. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/961040/o-que-sao-cidades-jardim> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.