O ensino da arquitetura através da tela: será o fim das maquetes e do desenho à mão?

O ensino da arquitetura através da tela: será o fim das maquetes e do desenho à mão?
Render simulando ser una maqueta física. Image © Arq. Julio Andrés Pinedo Agudelo
Render simulando ser una maqueta física. Image © Arq. Julio Andrés Pinedo Agudelo

Durante o ano de 2020, a passagem do sistema presencial ao remoto–tanto em escolas quanto universidades—, permitiu que jovens e adultos pudessem seguir seus planos de estudo durante as fases mais críticas da pandemia. Entretanto, é evidente que esta repentina mudança transformou substancialmente as antigas dinâmicas de ensino e aprendizado. Nas escolas de arquitetura, por exemplo, onde os alunos muitas vezes trabalham em grupos e utilizam objetos físicos como maquetes e modelos tridimensionais para desenvolver seus estudos, eles tiveram que adaptar-se a esta nova realidade muito rapidamente. Em se tratando de disciplinas de caráter projetual e de desenho, onde o engajamento entre os alunos e a colaboração com os professores são fatores fundamentais para o desenvolvimento do trabalho prático, a transição direta e completa para o ambiente virtual—com aulas, apresentações, discussões, revisões e entregas sempre em modo remoto—privou os alunos de explorar qualquer outro método alternativo de expressão que não a representação digital.

Visualização, modelagem e representação são elementos indissociáveis do processo de projeto. Desenhos e modelos tridimensionais são ferramentas de processo, instrumentos que permitem aos alunos apresentar e comunicar ideias e conceitos para seus colegas e professores. O desenho é o idioma que o arquiteto aprende na escola, sua mais importante ferramenta de comunicação. Em geral, o mais comum é que ao longo dos primeiros anos de formação os alunos aprendam e exercitem suas habilidades manuais, explorando ferramentas “analógicas” de representação. Isso tudo porque, em um primeiro momento é preciso “aprender a pensar o espaço” antes de “aprender a representá-lo”.

Da mesma forma, a passagem do modo analógico ao digital é um processo progressivo e contínuo e que vai sendo implantado pouco a pouco à medida que os alunos aprendem a dominar certas ferramentas e processos. Ainda assim, são pouquíssimos (se é que eles ainda existem) os escritórios de arquitetura que, atualmente utilizam técnicas analógicas de representação em seus processos de projeto (como é o caso do escritório Flores & Prats). Ainda que a transição para os processos digitais esteja sendo feito cada vez mais cedo nas escolas de arquitetura, parece que, a emergência causada pela pandemia apenas acelerou um processo já em curso: a aborção dos meios analógicos de representação no ensino da arquitetura. Isso faz levantar a seguinte questão: será que a renderização substituirá de forma definitiva o desenho à mão nos primeiros anos de formação das escolas de arquitetura?

Parece que esta não é uma questão de “se” mas uma questão de “quando”. Filmar um modelos físico ou escanear um desenho à mão para poder apresentá-lo não parece fazer muito sentido. Ambientes virtuais, animações e “modelos digitais” parecem oferecer melhores possibilidades de comunicação quando migramos para um modo remoto. Disso não resta dúvida. Neste caso, a pergunta deveria ser reformulada: qual será o resultado da abolição dos processos analógicos de representação nas escolas de arquitetura, quando a ideia e a representação perderão para sempre a sua conexão com a tênue linha desenhada sobre a superfície do papel? Por agora, esta pergunta permanece sem uma resposta definitiva. A seguir, oferecemos algumas dicas de como os recursos digitais podem nos ajudar a expressar nossas ideais:

Perspectivas isométricas aéreas

Reflexões sobre o contexto, estratégias de implantação, relações com o entorno imediato.

Smithsonian Masterplan / BIG. Image © Brck Visual
Smithsonian Masterplan / BIG. Image © Brck Visual

Cortes perspectivados

Relações entre espaço construído e espaços externos, conexão entre interiores e exterior.

Salesforce Transit Center / Pelli Clarke Pelli Architects. Image © Steelblue
Salesforce Transit Center / Pelli Clarke Pelli Architects. Image © Steelblue

Perspectivas interiores

Atmosferas, propostas de espacialidade interior. 

Cosserzil - Proyecto finalista de Concurso Internacional Kaira Looro. Image © MDB Studio
Cosserzil - Proyecto finalista de Concurso Internacional Kaira Looro. Image © MDB Studio

Seções construtivas e explodidas

Materialidade, tecnologia construtiva, elementos estruturais, detalhamento de encontros.

A la izquierda Cultural Village de Petras Architecture, a la derecha Escuela de Música de Chetham de Stephenson ISA Studio. Image © Petras Architecture | ISA Studio
A la izquierda Cultural Village de Petras Architecture, a la derecha Escuela de Música de Chetham de Stephenson ISA Studio. Image © Petras Architecture | ISA Studio

Perspectivas exteriores

Estratégia urbana, morfologia geral, materialidade exterior.

Proyecto ganador del concurso para el Museo de Prehistoria y Arqueología de Cantabria. Image Cortesía de Mendoza Partida
Proyecto ganador del concurso para el Museo de Prehistoria y Arqueología de Cantabria. Image Cortesía de Mendoza Partida

Cortes longitudinais, plantas perspectivadas

Organização programática, distribuição funcional.

Diseño de Krft para el nuevo edificio de artes escénicas de Brighton College en Reino Unido. Image Cortesía de Krft
Diseño de Krft para el nuevo edificio de artes escénicas de Brighton College en Reino Unido. Image Cortesía de Krft

Este artigo é parte do Tópico do ArchDaily: Rendering. Mensalmente, exploramos um tema específico através de artigos, entrevistas, notícias e projetos. Saiba mais sobre os tópicos mensais. Como sempre, o ArchDaily está aberto a contribuições de nossos leitores; se você quiser enviar um artigo ou projeto, entre em contato.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Maiztegui, Belén. "O ensino da arquitetura através da tela: será o fim das maquetes e do desenho à mão?" [Clases virtuales: ¿Podrán los modelos 3D y renders reemplazar a las maquetas y los dibujos a mano?] 15 Mai 2021. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/960527/o-ensino-da-arquitetura-atraves-da-tela-sera-o-fim-das-maquetes-e-do-desenho-a-mao> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.