Projeto comunitário aplica estratégias bioclimáticas e mão de obra local em Paraisópolis

Projeto comunitário aplica estratégias bioclimáticas e mão de obra local em Paraisópolis

A favela é uma realidade consolidada na cidade de São Paulo, Brasil, concentrando mais de 10% de sua população. Na favela, a habitação constitui um tópico importante, tanto por suas dinâmicas sociais inerentes, quanto pela baixa qualidade ambiental dos espaços internos, principalmente causada pela superexposição dos envelopes construídos ao sol e pelas aberturas pouco eficientes à ventilação. A partir deste panorama, o projeto desenvolve estratégias simples e replicáveis para requalificar a habitação autoconstruída a partir do clima local.

Cortesia de Eduardo PizarroCortesia de Eduardo PizarroCortesia de Eduardo PizarroCortesia de Eduardo Pizarro+ 10

Cortesia de Eduardo Pizarro
Cortesia de Eduardo Pizarro

A “CASA de todo dia” foi construída como um protótipo 1:1 na laje da União de Moradores da Favela de Paraisópolis, segunda maior favela da cidade. O protótipo aplica mão-de-obra local e materiais comuns (blocos e tijolos) assentados de forma vazada, de modo a permitir a ventilação e o sombreamento de espaços internos, de acordo com a orientação solar da fachada.

Perspectiva. Image Cortesia de Eduardo Pizarro
Perspectiva. Image Cortesia de Eduardo Pizarro

Consequentemente, as condições de saúde e habitabilidade das moradias são aprimoradas, assim como sua eficiência energética. O protótipo está associado a uma horta urbana e a um restaurante-escola criados pela Associação das Mulheres de Paraisópolis.

Cortesia de Eduardo Pizarro
Cortesia de Eduardo Pizarro

O projeto já vem sendo replicado em outros pontos da Favela de Paraisópolis, pelos próprios moradores, o que contribui, em escalas mais abrangentes, para a promoção do saber local, de oportunidades de aprendizagem e trabalho; para o combate às mudanças climáticas e seus impactos; para a diminuição da desigualdade de acesso à qualidade ambiental; e, enfim, para a melhoria da qualidade de vida em assentamentos urbanos frágeis.

Cortesia de Eduardo Pizarro
Cortesia de Eduardo Pizarro

Ficha Técnica

  • Projeto: CASA de todo dia / everyday HOUSE
  • Localização: Favela de Paraisópolis / São Paulo / SP / Brasil / 23°37'01.5"S 46°43'28.4"W
  • Autoria: Eduardo Pizarro e Joana Gonçalves
  • Área: 200 m²
  • Ano do projeto: 2018
  • Conclusão da obra: 2019
  • Clientes: União dos Moradores e do Comércio de Paraisópolis, Associação das Mulheres de Paraisópolis, Bistrô Mãos de Maria
  • Apoio: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária da Universidade de São Paulo, Pró-reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo, Pró-reitoria de Graduação da Universidade de São Paulo, Pró-reitoria de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.
  • Reconhecimentos: Participação na 12ª Bienal de Arquitetura de São Paulo, Exposição Arquiteturas do Cotidiano, São Paulo, Centro Cultural São Paulo, 2019; Most Innovative Design Award, Passive and Low Energy Architecture (PLEA), Hong Kong, 2018; Reconhecimento da LafargeHolcim Foundation, Detroit / Cairo, 2016.
  • Texto: Eduardo Pizarro

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Equipe ArchDaily Brasil. "Projeto comunitário aplica estratégias bioclimáticas e mão de obra local em Paraisópolis" 06 Dez 2020. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/952571/projeto-comunitario-aplica-estrategias-bioclimaticas-e-mao-de-obra-local-em-paraisopolis> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.