É possível transformar resíduos de plástico em moradias acessíveis?

É possível transformar resíduos de plástico em moradias acessíveis?

Por décadas, empresas confiaram em embalagens plásticas descartáveis para embalar produtos em todo o mundo. Hoje, os efeitos prejudiciais dessa dependência do plástico são evidentes: desde a década de 1950, mais de 9 bilhões de toneladas de plástico foram produzidas, das quais apenas 9% foram recicladas; em todo o mundo, um milhão de garrafas plásticas são compradas e dois milhões de sacolas plásticas são usadas a cada minuto; e de acordo com a Plastic Pollution Coalition, em 2050, os oceanos terão, em peso, mais plástico do que peixes. Além disso, o plástico é um produto do petróleo e sua produção contribui ainda mais para os efeitos devastadores do uso de combustíveis fósseis no clima.

À medida que as preocupações com a poluição e o aquecimento global aumentam, outras questões humanitárias, notadamente a falta de moradia, permanecem igualmente urgentes. De acordo com o Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (UN-HABITAT), 1,6 bilhão de pessoas em todo o mundo vivem em moradias inadequadas e os dados disponíveis sugerem que mais de 100 milhões de pessoas não têm uma habitação. Somente na África Subsaariana, a necessidade imediata de moradias de baixo custo é de 160 milhões de unidades e deve aumentar para 350 milhões até 2050. Além disso, o COVID-19 apenas exacerbou a questão da falta de moradia, e os sem-teto são especialmente vulneráveis a contrair a doença. Assim, no Dia Mundial do Habitat no início deste mês, o UN-Habitat lançou uma parceria com a startup norueguesa Othalo para combater os dois problemas - contaminação por plástico e moradores de rua - de uma vez.

Courtesy of Othalo
Courtesy of Othalo

Othalo, formalmente estabelecida em 2019, é conhecida por sua tecnologia patenteada de produção em massa de sistemas de construção a partir de resíduos plásticos reciclados. Estes edifícios podem se tornar habitações, abrigos para refugiados, unidades móveis de armazenamento com temperatura controlada para alimentos e remédios, escolas e até hospitais. Além disso, todas essas estruturas são acessíveis, sustentáveis, ecologicamente amigáveis e atendem aos padrões de vida modernos - e são todas feitas de plástico reciclado. Uma única casa de 60 metros quadrados poderia reciclar oito toneladas de plástico; com a quantidade de lixo plástico que hoje polui o planeta, um bilhão de casas Othalo poderiam ser fabricadas.

Além disso, de acordo com um vídeo da Othalo, esses sistemas construtivos fabricados são projetados para serem flexíveis e podem ser moldados para atender a infinitas possibilidades. Os projetistas da Othalo criaram uma série de módulos que podem ser travados entre si, permitindo que uma grande variedade de edifícios sejam feitos a partir desses componentes principais. No vídeo, sugere comunidades inteiras de carcaças de plástico Othalo projetadas para atender as necessidades do entorno.

Courtesy of Othalo
Courtesy of Othalo

O fundador da Othalo, Frank Cato Lahti, trabalha no desenvolvimento desta tecnologia desde 2016 em parceria com o SINTEF e a Universidade de Tromsø. Agora, ele também se associou ao arquiteto Julien De Smedt e ao Young Global Leader Silje Vallestad. Do ponto de vista arquitetônico, De Smedt disse sobre o projeto Othalo: "Ao pensar em novos ambientes, vamos nos concentrar na cocriação de condições de vida em parceria direta com as comunidades locais e os usuários finais. O que consideramos particularmente edificante em nossa abordagem como empresa e como arquitetos é o desejo de fazer a ponte entre o mundo da manufatura e o do artesanato e da cultura locais. " Como o projeto continua a se desenvolver agora em parceria com a UN-Habitat, torna-se mais urgente do que nunca que a empresa cumpra seus objetivos declarados.

Sobre este autor
Cita: Cao, Lilly. "É possível transformar resíduos de plástico em moradias acessíveis?" [Is It Possible To Turn Plastic Waste Into Affordable Housing?] 01 Nov 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/950246/e-possivel-transformar-residuos-de-plastico-em-moradias-acessiveis> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.