Como ampliar os espaços através de uma boa iluminação

Como ampliar os espaços através de uma boa iluminação

© Gareth Gardner© Wu Tou22m2 Apartment in Taiwan / A Little Design. Image © Hey! Cheese© Naho Kubota+ 41

Um dos aspectos mais essenciais do design de interiores é a iluminação - um elemento que pode melhorar ou piorar um espaço interno de quaisquer dimensões ou materiais. Ainda assim, uma boa iluminação pode ser especialmente importante para espaços menores ou abarrotados, fazendo-os parecer maiores e mais abertos, mesmo quando suas dimensões literais não se alteram. Por sua vez, espaços maiores com pouca iluminação podem parecer menores e menos acolhedores do que poderiam ser. Para fazer com que os interiores pareçam grandes e bem iluminados, designers contam com vários métodos testados e comprovados que aproveitam ao máximo o espaço, desde usar as sombras e tipos de luzes certos até colocá-los nos melhores locais e integrar outros elementos que melhor complementam iluminação existente. Essas estratégias, bem como vários exemplos de sua aplicação, estão listados abaixo.

Use várias fontes de luz

Muitos interiores residenciais caem na armadilha de iluminar uma sala com uma única luz de teto centralizada. Esse tipo de iluminação cria sombras nos cantos e ilumina o ambiente de maneira desigual, fazendo com que pareça menor e acaba forçando os olhos. Em vez de usar uma única luz de teto, é interessante empregar diversas fontes de luz distribuídas por toda a sala. A função, o tamanho e o projeto do espaço exigem diferentes locais e intensidades de luz, mas os projetistas podem seguir regras gerais ao colocar suas fontes de luz múltiplas:

© Yasuhiro Nakayama
© Yasuhiro Nakayama
© Adria Goula
© Adria Goula
© Yasuhiro Nakayama
© Yasuhiro Nakayama

Colocar luzes nos cantos

Geralmente, a escuridão faz com que o espaço pareça menor, enquanto a claridade faz com que pareça maior. Quando os cantos estão envoltos em sombras, o espaço parece se contrair. Luzes nos cantos, sejam lâmpadas de teto ou outras estrategicamente colocadas, garantirão que toda a área do piso da sala seja iluminada, fazendo com que pareça pelo menos tão grande quanto realmente é.

© Brandon Shigeta
© Brandon Shigeta
© Elsa Young
© Elsa Young
© Elsa Young
© Elsa Young

Implementar a iluminação em camadas

Iluminação de canto e outras luzes de teto normalmente se enquadram na categoria de "iluminação geral". No entanto, os designers normalmente devem empregar três tipos diferentes de luz: iluminação geral, iluminação específica e iluminação ambiente. A geral mantém a sala geralmente bem iluminada, enquanto a iluminação específica permite que os usuários vejam melhor em pontos específicos de interesse, como mesas ou balcões. Por sua vez, a iluminação ambiente cumpre uma função mais decorativa. A iluminação em camadas, dessa maneira, garante que todas essas três necessidades sejam atendidas. Assim, ao distribuir fontes de luz ao redor de uma sala, os designers devem considerar todas essas três 'camadas'. Exemplos de iluminação específica incluem iluminação sob o gabinete em cozinhas ou em luzes de espelhos em banheiros. Luzes ambientais podem ser velas, lâmpadas embutidas ou luminárias decorativas como peças de destaque.

© Hongyue Wang
© Hongyue Wang
Courtesy of Limu Design Studio
Courtesy of Limu Design Studio
Courtesy of Limu Design Studio
Courtesy of Limu Design Studio

Agregar luzes embutidas

As luzes embutidas são de particular importância porque, literalmente, tornam o espaço maior. Definidas como iluminações instaladas diretamente dentro de um forro, parede ou outra superfície, elas adicionam luz extra sem ocupar espaço extra. Essas luminárias são particularmente úteis para salas com pés-direitos baixos, pois luzes suspensas ou luminárias de teto não embutidas podem fazer um espaço condensado verticalmente parecer ainda menor. Ao diminuir as luzes, os designers aumentam a quantidade de espaço aberto, o que pode fazer uma grande diferença em uma sala pequena.

© Christopher Rollett
© Christopher Rollett
© Ruy Teixeira
© Ruy Teixeira

Lavar paredes com luz (Efeito Wall Washing)

Lavar as paredes significa direcionar a luz para as paredes de uma sala, o que virtualmente expande o espaço ao iluminar seus limites. Também pode ser usado para direcionar o olhar a certos aspectos positivos do desenho, como obras de arte ou outras características arquitetônicas. A iluminação embutida é uma forma de lavar as paredes, o que a torna uma estratégia duplamente eficaz. Outra forma é instalar a iluminação da trilha, que pode ser direcionada manualmente para as paredes.

© Brandon Shigeta
© Brandon Shigeta
Dengshikou Hutong Residence / B.l.U.E. Architecture Studio. Image © Ruijing Photo
Dengshikou Hutong Residence / B.l.U.E. Architecture Studio. Image © Ruijing Photo
© Kim Jae-Kyeong
© Kim Jae-Kyeong
© Benjamin Benschneider
© Benjamin Benschneider

Use lâmpadas pendentes com tetos altos

Direcionar o olhar não se aplica apenas ao efeito Wall Washing, mas também pode ser usado para acentuar tetos altos. Luzes pendentes atraem o olhar para cima, fazendo com que o usuário perceba os tetos altos e, assim, fazendo com que um pé-direito pareça ainda mais alto. Móveis altos, prateleiras altas e luminárias verticais também podem servir para enfatizar a verticalidade.

© Reutov Dimitry, Gerner Ekaterina
© Reutov Dimitry, Gerner Ekaterina
Courtesy of Dake Architectural Design
Courtesy of Dake Architectural Design

Uplighting (Iluminação vertical) e Backlighting (luz de fundo)

Enquanto isso, a iluminação vertical pode ser usada para enfatizar tetos altos ou fazer com que os tetos baixos pareçam mais altos. Esta estratégia é aplicada simplesmente direcionando a iluminação para cima - da mesma forma que o wall washing direciona a luz horizontalmente - e pode ser facilitada por abajures voltados para cima ou certos tipos de lâmpadas especializadas. Enquanto isso, a luz de fundo consiste em adicionar luzes atrás de certos objetos de mobiliário, como armários, nichos, monitores, telas e outras peças de referência. Isso cria a ilusão de profundidade e pode fazer com que um espaço pareça não apenas maior, mas com um design mais complexo.

© Naho Kubota
© Naho Kubota
© Brandon Shigeta
© Brandon Shigeta
Courtesy of Limu Design Studio
Courtesy of Limu Design Studio
© Daniel Aulsebrook
© Daniel Aulsebrook

Instale trilhos

Os trilhos são outra estratégia específica que exige um olhar mais atento. Eles combinam muitos dos métodos listados acima: são pequenos, o que os torna economizadores de espaço; versáteis, o que significa que podem atender a necessidades de iluminação gerais ou específicas; móvel, permitindo-lhes destacar certos recursos; e múltiplos, inundando toda a sala com luz, se organizadas corretamente.

© Megan Taylor
© Megan Taylor
© Hey! Cheese
© Hey! Cheese

Incluir espelhos ou outras superfícies reflexivas

Os espelhos são uma forma bem conhecida de fazer uma sala parecer maior, pois dobram a quantidade de espaço visível. O fato de também refletirem a luz amplia ainda mais o espaço, intensificando naturalmente o brilho e reduzindo ainda mais as sombras. Quanto maior o espelho, maior será o efeito. No entanto, projetar com materiais relativamente reflexivos - em vez de espelhos literais - também pode fazer uma grande diferença. Por exemplo, superfícies brilhantes como pisos bem polidos ou mesmo itens de vidro podem ajudar a refletir a luz, intensificando-a e redirecionando-a pela sala.

© Julia Totoli
© Julia Totoli
© Naho Kubota
© Naho Kubota

Use móveis e paredes leves

Por fim, móveis e paredes leves são essenciais para manter o brilho e a refletividade criados por todas essas outras estratégias projetuais. Isso ajuda muito a aumentar os efeitos de uma boa iluminação, enquanto as paredes e móveis escuros podem absorver todo o brilho extra criado por uma iluminação forte e bem distribuída e elementos reflexivos.

© Gareth Gardner
© Gareth Gardner
© Daniel Aulsebrook
© Daniel Aulsebrook
© Ruy Teixeira
© Ruy Teixeira
© Wu Tou
© Wu Tou

Há muitos exemplos excelentes de boa iluminação, alguns dos quais utilizam apenas algumas dessas estratégias com grande efeito e alguns dos quais usam quase todas. A Residência Dengshikou Hutong na China é uma que usa muitos. Com paredes brancas puras e móveis claros, luzes suspensas que acentuam os tetos altos, claraboias que iluminam as paredes, iluminação específica sobre uma cama e mesa embutida e muito mais, o espaço combina várias estratégias de iluminação diferentes para fazer um grande espaço parecer maior. Outro grande exemplo é o apartamento de 22 m² em Taiwan, que é um espaço menor tornado maior por meio de trilhos de iluminação, paredes brancas, iluminação específica, iluminação embutida e luz natural bem posicionada.

Cada espaço possui diferentes necessidades e possibilidades de iluminação - os designers devem considerar cada uma das estratégias listadas acima, mas devem, em última instância, escolher as certas para seu espaço e projetos.

Dengshikou Hutong Residence / B.l.U.E. Architecture Studio. Image © Ruijing Photo
Dengshikou Hutong Residence / B.l.U.E. Architecture Studio. Image © Ruijing Photo
Dengshikou Hutong Residence / B.l.U.E. Architecture Studio. Image © Ruijing Photo
Dengshikou Hutong Residence / B.l.U.E. Architecture Studio. Image © Ruijing Photo
22m2 Apartment in Taiwan / A Little Design. Image © Hey! Cheese
22m2 Apartment in Taiwan / A Little Design. Image © Hey! Cheese
22m2 Apartment in Taiwan / A Little Design. Image © Hey! Cheese
22m2 Apartment in Taiwan / A Little Design. Image © Hey! Cheese

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Cao, Lilly. "Como ampliar os espaços através de uma boa iluminação" [How to Virtually Enlarge Spaces Using Good Lighting] 19 Set 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/947691/como-ampliar-os-espacos-atraves-de-uma-boa-iluminacao> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.