Como a iluminação de néon pode moldar a arquitetura

Como a iluminação de néon pode moldar a arquitetura

Garage Screen Cinema / SYNDICATE Architects. Image © Daniel Annenkov Camper NYC Store / CAMPER + Jonathan Olivares. Image Courtesy of Alexander Haas Garage Screen Cinema / SYNDICATE Architects. Image © Daniel Annenkov EL MAMA & LA PAPA Bar Restaurant / El Equipo Creativo. Image © Adria Goula + 29

As luzes de néon são uma afirmação ousada e cosmopolita que pode facilmente revitalizar ou acentuar um espaço ou estrutura arquitetônica. Com brilho atraente, uma infinidade de opções de cores e vínculos com uma estética retrô, essas peças de iluminação podem fazer com que um espaço pareça simultaneamente moderno e nostálgico. No entanto, poucos compreendem o funcionamento científico ou as propriedades materiais do néon, e muitos arquitetos negligenciam seu uso devido à sua estreita associação com sinalizações comerciais. Abaixo, exploramos como o néon funciona, sua história arquitetônica e como os arquitetos podem continuar a usá-lo hoje.

Garage Screen Cinema / SYNDICATE Architects. Image © Daniel Annenkov
Garage Screen Cinema / SYNDICATE Architects. Image © Daniel Annenkov

O gás neon foi descoberto em 1898 e recebeu o nome da obra grega "neos", que significava "o novo gás". É um gás nobre raro incolor, inodoro e inerte sob condições padrão, que emite um brilho vermelho-alaranjado quando colocado em um campo elétrico, prestando-se a ser usado para iluminação colorida.

OMNOMNOM Vegan Cafe / replus design bureau. Image © Dmytro Sorokevych
OMNOMNOM Vegan Cafe / replus design bureau. Image © Dmytro Sorokevych
Bullguer Center / SuperLimão Studio. Image © Israel Gollino
Bullguer Center / SuperLimão Studio. Image © Israel Gollino

A primeira lâmpada de néon foi assim inventada pelo engenheiro e químico Georges Claude em 1902 e foi exibida pela primeira vez ao público em 1910 em Paris. É criado moldando primeiro os tubos de vidro ocos, que podem ser fabricados em comprimentos de 1,20, 1,50 e 2,40 metros. Em seguida, o tubo é parcialmente evacuado do ar, uma corrente elétrica de alta tensão passa por ele e o néon ou outro gás é inserido e ativado pela corrente, emitindo luz. Diferentes cores são obtidas através da inserção de diferentes gases ou da aplicação de diferentes tonalidades e revestimentos de fósforo nos tubos de vidro. Por exemplo, tubos de mercúrio produzem luz azul, em vez da laranja do néon.

Camper NYC Store / CAMPER + Jonathan Olivares. Image Courtesy of Alexander Haas
Camper NYC Store / CAMPER + Jonathan Olivares. Image Courtesy of Alexander Haas

Em 1923, Georges Claude e sua empresa Claude Neon introduziram sinais de néon nos Estados Unidos, iniciando uma era de ornamentação de néon que moldaria a estética das cidades americanas. Tornou-se rapidamente associado à publicidade ao ar livre, tornando-se uma parte especialmente indelével da experiência no cinema. O executivo de publicidade e designer de iluminação americano Douglas Leigh foi o pioneiro dessa transformação, com o artista de neon Rudi Stern escrevendo que "grande parte da empolgação visual da Times Square nos anos trinta foi resultado da genialidade de Leigh como artista cinético e luminotécnico". As luzes de néon também foram usadas fortemente na Exposição do século do progresso de Chicago de 1933 e na Feira Mundial de 1939 em Nova Iorque, e as sinalizações de néon em particular mais tarde se tornaram parte integrante da estética de Las Vegas.

EL MAMA & LA PAPA Bar Restaurant / El Equipo Creativo. Image © Adria Goula
EL MAMA & LA PAPA Bar Restaurant / El Equipo Creativo. Image © Adria Goula
Garage Screen Cinema / SYNDICATE Architects. Image © Daniel Annenkov
Garage Screen Cinema / SYNDICATE Architects. Image © Daniel Annenkov

A influência do néon, no entanto, não se limitou aos Estados Unidos - tendo sido revelada pela primeira vez em Paris, as luzes de néon foram adotadas inicialmente pelos cinemas e boates de Paris, enquanto na década de 1960, até os soviéticos utilizavam essas lâmpadas nas capitais do bloco oriental em referência às metrópoles capitalistas. As luzes de néon desenvolveram-se da mesma forma na China na década de 1920 e transformaram indelevelmente o horizonte de Hong Kong em meados do século XX. Esses sinais combinavam a caligrafia chinesa antiga com a estética comercial moderna, usando símbolos culturais e narrativos.

Lavabo Tri Suave / Marília Zimmermann Arquitetura e Interiores. Image © Denilson Machado - MCA Estudio
Lavabo Tri Suave / Marília Zimmermann Arquitetura e Interiores. Image © Denilson Machado - MCA Estudio
New York Burger Moraleja Green / Proyecto Singular SLP. Image © Fernando Alda
New York Burger Moraleja Green / Proyecto Singular SLP. Image © Fernando Alda
Vizor / Studio11. Image © Dmitry Tsyrenchsikov
Vizor / Studio11. Image © Dmitry Tsyrenchsikov

Até os dias atuais, o néon tem sido profundamente associado à modernidade, a um estilo de vida cosmopolita e a uma atmosfera de vitalidade. Os arquitetos hoje podem continuar a usar sinalização de néon para invocar esse meio, seja através de palavras, símbolos ou desenhos abstratos. Para esse fim, as luzes de néon combinam bem com o design moderno e elegante dos interiores, como nas imagens abaixo do Mylines Hotel, de LYCS Architecture. O símbolo ou frase correta, combinado com o interior que complementa, pode trazer a energia e a vitalidade da cidade até para uma sala privada.

Mylines Hotel / LYCS Architecture. Image © Qingshan Wu
Mylines Hotel / LYCS Architecture. Image © Qingshan Wu
Mylines Hotel / LYCS Architecture. Image © Qingshan Wu
Mylines Hotel / LYCS Architecture. Image © Qingshan Wu

No entanto, com uma associação histórica tão forte, invocando a nostalgia do início do século 20 e símbolos culturais preciosos, como os antigos cinemas, Times Square e Las Vegas, o néon tem ainda mais potencial para criar uma atmosfera que se estende além da vida urbana moderna. Utilizado com concreto aparente, tijolos rústicos e plantas, a sinalização de néon pode gerar um belo ambiente retrô que leva os clientes a um tempo diferente, enquanto ainda se sentem atualizados e novos. Os interiores que usam peças de néon dessa maneira estão entre os mais memoráveis pela estética altamente distinta que eles criam.

OMNOMNOM Vegan Cafe / replus design bureau. Image © Dmytro Sorokevych
OMNOMNOM Vegan Cafe / replus design bureau. Image © Dmytro Sorokevych
EL MAMA & LA PAPA Bar Restaurant / El Equipo Creativo. Image © Adria Goula
EL MAMA & LA PAPA Bar Restaurant / El Equipo Creativo. Image © Adria Goula
Beets and Roots Restaurant Berlin / Gonzalez Haase. Image © Thomas Meyer
Beets and Roots Restaurant Berlin / Gonzalez Haase. Image © Thomas Meyer
Wine Bar Dvojka / Jan Plechac & Henry Wielgus. Image © Jakub Skokan, Martin Tuma
Wine Bar Dvojka / Jan Plechac & Henry Wielgus. Image © Jakub Skokan, Martin Tuma

Ainda que o o néon seja tão fundamentalmente associado à sinalização, isso pode parecer limitante ou cafona para alguns arquitetos, muitas vezes ele é negligenciado. Rudi Stern escreve ainda que "Infelizmente para muitos arquitetos, o néon relaciona-se a sinalizações mundanas, não sendo consideradas na concepção dos seus espaços". Apesar de suas associações históricas e comerciais, o néon tem potencial de ser ainda mais do que símbolos retros ou frases cosmopolitas. Desenhos abstratos, cores atmosféricas e as propriedades cinéticas da luz combinadas podem alterar completamente um espaço, mesmo sem referências a uma estética histórica ou a mensagens explícitas. Nas imagens da With.It Home abaixo, BodinChapa Architects usaram o néon de maneira não representacional para criar uma sala incrivelmente memorável, ao estilo de James Turrell, que é simultaneamente tranquila e radiante. A luz de néon tem o poder de transformar completamente uma sala, mesmo que seja usada de maneira tão simples como revestir os cantos do teto, devido às propriedades únicas da luz na conversa com a sensação do próprio espaço. Se os arquitetos puderem superar suas associações comerciais e investigar sua relação com o espaço arquitetônico, o néon pode se tornar um elemento atmosférico ainda mais poderoso do que já é.

With.It Home / BodinChapa Architects. Image © Rungkit Charoenwat
With.It Home / BodinChapa Architects. Image © Rungkit Charoenwat
With.It Home / BodinChapa Architects. Image © Rungkit Charoenwat
With.It Home / BodinChapa Architects. Image © Rungkit Charoenwat

Galeria de Imagens

Ver tudo Mostrar menos
Sobre este autor
Cita: Cao, Lilly. "Como a iluminação de néon pode moldar a arquitetura" [How Neon Lighting Shapes Architecture] 02 Jun 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/940792/como-a-iluminacao-de-neon-pode-moldar-a-arquitetura> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.