Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Cortinas como divisórias para uma arquitetura fluida e adaptável

Cortinas como divisórias para uma arquitetura fluida e adaptável

Durante as últimas décadas, os espaços interiores tornaram-se cada vez mais abertos e versáteis. Desde as paredes grossas e múltiplas subdivisões das villas paladianas, por exemplo, às plantas livres e multifuncionais de hoje, a arquitetura tenta combater a obsolescência, fornecendo ambientes mais eficientes para a vida transcorrer, facilitando as experiências cotidianas de pessoas no presente e futuro. E enquanto as antigas vilas de Palladio ainda podem acomodar uma variedade de recursos e estilos de vida, reajustando seus usos sem alterar um centímetro de sua simetria e modulação originais, hoje a flexibilidade parece ser a receita para prolongar a vida dos edifícios tanto quanto possível.

Como projetar espaços neutros e flexíveis o suficiente para se adaptar ao ser humano em evolução, oferecendo as soluções que cada pessoa demanda hoje em dia? Um elemento antigo pode ajudar a redefinir a maneira como concebemos e habitamos o espaço: cortinas.

Emperor Qianmen Hotel / asap. Image © Jonathan Leijonhufvud Ready-made Apartment / azab. Image © Luis Diaz Diaz PURE / Sílvia Rocio + Mariana Póvoa + esse studio. Image © Francisco Nogueira JL Madeira Office / Metro Arquitetos Associados. Image © Ilana Bessler + 48

MOSCA / Pau Sarquella Fábregas y Carmen Torres. Image © Joan Guillamat
MOSCA / Pau Sarquella Fábregas y Carmen Torres. Image © Joan Guillamat

Com evidências concretas detectadas durante a Idade Antiga e o Império Romano, as cortinas acompanham o ser humano há séculos na criação de seus espaços interiores. Mosaicos da antiguidade clássica, manuscritos ilustrados da Idade Média e até pinturas holandesas de 1600 mostram espaços que incluem cortinas usadas de várias maneiras [1]. Durante a Idade Média, e sendo replicadas nos tempos seguintes, as cortinas eram usadas para aumentar a privacidade das camas, enquanto na Ásia e na Europa a cortina era bastante famosa sob o nome de Portière, decorando as portas com pesados pedaços de veludo ou pelúcia. Na era vitoriana, bordas, dobras, laços e outros acessórios foram combinados com os mais diversos padrões, desenhos e tipos de tecidos.

<a href='http://socks-studio.com/2016/02/29/cafe-samt-seide-by-ludwig-mies-van-der-rohe-and-lilly-reich-1927/'>via Socks Studio</a>. Image Café Samt & Seide, Berlin / Mies van der Rohe & Lilly Reich
via Socks Studio. Image Café Samt & Seide, Berlin / Mies van der Rohe & Lilly Reich

Em 1927, as cortinas foram incorporadas magistralmente à arquitetura moderna através do Cafe Samt & Seide, projetado por Mies van der Rohe e Lilly Reich para a exposição "Die Mode der Dame" em Berlim, Alemanha. O espaço de 300 metros quadrados era dividido em cortinas de seda e veludo, estrategicamente colocadas e distribuídas por cores e alturas. Décadas depois, em 1995, o arquiteto japonês Shigeru Ban reinventou as tradicionais telas e persianas japonesas, projetando uma casa icônica coberta por enormes cortinas, variando as conexões entre público e privado, conforme exigido por seus usuários.

Curtain Wall House / Shigeru Ban. Image © Hiroyuki Hirai
Curtain Wall House / Shigeru Ban. Image © Hiroyuki Hirai

Hoje, os materiais e estilos mudaram. Tecidos sintéticos e os novos sistemas operacionais e de instalação oferecem novas possibilidades de aplicação, além de diferentes níveis de opacidade, absorção de luz, isolamento térmico e acústico e proteção UV, incluindo até sistemas automatizados. E embora sua principal função ainda esteja associada às janelas, sua capacidade de garantir alta fluidez e flexibilidade tornou as cortinas uma opção eficaz para dividir e zonear os espaços.

(un)curtain office / dekleva gregoric architects. Image © Janez Marolt
(un)curtain office / dekleva gregoric architects. Image © Janez Marolt

Em seguida, revise uma série de projetos que seguem essa lógica, incorporando cortinas não apenas como 'paredes' leves e ajustáveis, mas como um ponto central na estética do ambiente.

Escritório JL Madeira / Metro Arquitetos Associados

"Os três espaços de trabalho podem ser parcialmente isolados com o uso de cortinas que, quando fechadas, criam volumes difusos com formas orgânicas".

JL Madeira Office / Metro Arquitetos Associados. Image © Ilana Bessler
JL Madeira Office / Metro Arquitetos Associados. Image © Ilana Bessler
JL Madeira Office / Metro Arquitetos Associados. Image © Ilana Bessler
JL Madeira Office / Metro Arquitetos Associados. Image © Ilana Bessler

Jisifang Store / Neri&Hu Design and Research Office

"Ao entrar, o visitante é imerso em uma constelação equilibrada de salas iluminadas. Cada espaço cilíndrico suspenso apresenta uma categoria da marca e fornece um espaço contemplativo que harmoniza e celebra seu conteúdo. Pendurada em um anel circular de madeira, a cortina têxtil fornece um pano de fundo para destacar as roupas, protegendo o visitante de qualquer confusão visual".

Jisifang Store / Neri&Hu Design and Research Office. Image © Pedro Pegenaute
Jisifang Store / Neri&Hu Design and Research Office. Image © Pedro Pegenaute
Jisifang Store / Neri&Hu Design and Research Office. Image © Pedro Pegenaute
Jisifang Store / Neri&Hu Design and Research Office. Image © Pedro Pegenaute

PURE / Sílvia Rocio + Mariana Póvoa + esse studio

"A introdução das cortinas permite a organização funcional do projeto, definindo diferentes ambientes em uma área de apenas 60 metros quadrados. Esses elementos permitem 'sentir' todo o espaço ou dividi-lo em espaços programáticos predefinidos: área de trabalho, sala de reuniões, sala de estar e cozinha. "

PURE / Sílvia Rocio + Mariana Póvoa + esse studio. Image © Francisco Nogueira
PURE / Sílvia Rocio + Mariana Póvoa + esse studio. Image © Francisco Nogueira
PURE / Sílvia Rocio + Mariana Póvoa + esse studio. Image © Francisco Nogueira
PURE / Sílvia Rocio + Mariana Póvoa + esse studio. Image © Francisco Nogueira

Nagi Apartment / UUfie

"As cortinas proporcionam privacidade e, por sua vez, permitem que a luz passe pelos espaços. Conforme experenciados, os espaços mudam e se ajustam à vida familiar, enquanto seus trilhos sempre ficam lá, como uma espinha dorsal para suportá-los ".

Nagi Apartment / UUfie. Image © Daici Ano
Nagi Apartment / UUfie. Image © Daici Ano
Nagi Apartment / UUfie. Image © Daici Ano
Nagi Apartment / UUfie. Image © Daici Ano

Apartamento ready-made / azab

"A cortina como elemento separador contínuo da casa, reduzindo ao mínimo a noção interior-exterior que separa armários, despensa e banheiros, introduz conotações teatrais e lúdicas e convida o habitante a performar com ela, mudar o espaço e brincar com os mistérios, contradições e paradoxos que a privacidade nos oferece além da moralidade".

Ready-made Apartment / azab. Image © Luis Diaz Diaz
Ready-made Apartment / azab. Image © Luis Diaz Diaz
Ready-made Apartment / azab. Image © Luis Diaz Diaz
Ready-made Apartment / azab. Image © Luis Diaz Diaz

Milkman HQ / studioWOK

"As cortinas em cores diferentes escondem os móveis existentes e dividem o espaço em diferentes locais de trabalho, dando à área um caráter doméstico e, ao mesmo tempo, criando conforto acústico geral".

Milkman HQ / studioWOK. Image © Federico Villa studio
Milkman HQ / studioWOK. Image © Federico Villa studio
Milkman HQ / studioWOK. Image © Federico Villa studio
Milkman HQ / studioWOK. Image © Federico Villa studio

University Library Cologne / ANDREAS SCHÜRING ARCHITECTS

"Uma série de cortinas acústicas retas e curvas, baseadas no" Café Velvet and Silk ", projetado por Mies van der Rohe e Lilly Reich em 1927, permite que o cenário de aprendizado seja facilmente modulado e, se necessário, também dividido durante o semestre: no início do semestre predominam os espaços abertos, mas durante as fases do exame, as cortinas oferecem retiros alternativos para diferentes grupos de aprendizagem ".

University Library Cologne / ANDREAS SCHÜRING ARCHITECTS. Image Cortesía de ANDREAS SCHÜRING ARCHITECTS
University Library Cologne / ANDREAS SCHÜRING ARCHITECTS. Image Cortesía de ANDREAS SCHÜRING ARCHITECTS
University Library Cologne / ANDREAS SCHÜRING ARCHITECTS. Image Cortesía de ANDREAS SCHÜRING ARCHITECTS
University Library Cologne / ANDREAS SCHÜRING ARCHITECTS. Image Cortesía de ANDREAS SCHÜRING ARCHITECTS

Long Slow Distance / Upsetter Architects

"As cortinas em camadas translúcidas fornecem visibilidade e privacidade - as pessoas podem sentir o movimento interno e o funcionário pode desfrutar de abertura e privacidade limitadas.As cortinas também permitem layouts flexíveis dentro da loja à medida que são instalados nos trilhos em intervalos regulares".

Long Slow Distance / Upsetter Architects. Image © Yusuke Wakabayashi
Long Slow Distance / Upsetter Architects. Image © Yusuke Wakabayashi
Long Slow Distance / Upsetter Architects. Image © Yusuke Wakabayashi
Long Slow Distance / Upsetter Architects. Image © Yusuke Wakabayashi

Residência REI / CRUX arquitectos

"As três naves da casa podem ser convenientemente compartimentadas através de grades, cortinas ou sistemas de divisória a seco. Utilizamos divisórias leves, mais efêmeras do que estruturas de concreto e metal. Em alguns momentos, as três naves se fundem em duas ou um, eles se estendem para o exterior, tornam-se um terraço ".

REI House / CRUX arquitectos. Image © Milena Villalba
REI House / CRUX arquitectos. Image © Milena Villalba
REI House / CRUX arquitectos. Image © Milena Villalba
REI House / CRUX arquitectos. Image © Milena Villalba

Natura NASP / Estúdio Penha

"A linha expressa o começo de tudo: é um elemento simples, mas mutável, dançante e flexível. Imaginário ou material. A partir da linha, o movimento é gerado. A criação que surge a partir dele se torna um produto; as linhas de vida, pensamento, existência. Juntas, representadas pelas cortinas, a linha se estabelece em parcelas mais complexas, desenvolvendo-se no espaço do plano, tornando-se expressão".

Natura NASP Reception / Estúdio Penha. Image © Maíra Acayaba
Natura NASP Reception / Estúdio Penha. Image © Maíra Acayaba
Natura NASP Reception / Estúdio Penha. Image © Maíra Acayaba
Natura NASP Reception / Estúdio Penha. Image © Maíra Acayaba

Galeria de móveis / CHYBIK+KRISTOF

"Os recortes circulares são delimitados por cortinas brancas de altura total, que podem ser fechadas ou deixadas abertas. [...] Todo o espaço trabalha com o princípio de uma galeria que pode ser facilmente ajustada às suas necessidades."

Gallery of Furniture / CHYBIK + KRISTOF. Image © Lukas Pelech
Gallery of Furniture / CHYBIK + KRISTOF. Image © Lukas Pelech
Gallery of Furniture / CHYBIK + KRISTOF. Image © Lukas Pelech
Gallery of Furniture / CHYBIK + KRISTOF. Image © Lukas Pelech

Rivaparc Apartment Renovation / Nhabe Scholae

"Os recortes circulares são delimitados por cortinas brancas de altura total, que podem ser fechadas ou deixadas abertas. [...] Todo o espaço trabalha com o princípio de uma galeria que pode ser facilmente ajustada às suas necessidades."

Rivaparc Apartment Renovation / Nhabe Scholae. Image © Hyroyuki Oki
Rivaparc Apartment Renovation / Nhabe Scholae. Image © Hyroyuki Oki
Rivaparc Apartment Renovation / Nhabe Scholae. Image © Hyroyuki Oki
Rivaparc Apartment Renovation / Nhabe Scholae. Image © Hyroyuki Oki

Encontre mais exemplos aqui.

[1] Curtain, Encyclopaedia Britannica.

Galeria de Imagens

Ver tudo Mostrar menos
Sobre este autor
Cita: Franco, José Tomás. "Cortinas como divisórias para uma arquitetura fluida e adaptável" [Cortinas para dividir espacios: Hacia una arquitectura fluida y adaptable] 03 Abr 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/936839/cortinas-como-divisorias-para-uma-arquitetura-fluida-e-adaptavel> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.