Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Como projetar interiores de museus: Vitrines para proteger e destacar a arte

Como projetar interiores de museus: Vitrines para proteger e destacar a arte

Museus são organizações complexas: curadores, arquitetos de exposições, restauradores, editores e profissionais de marketing precisam trabalhar juntos para garantir que as obras de arte em galerias e exposições sejam exibidas adequadamente ao público. Para esse processo, é fundamental o uso de vitrines eficazes, as quais devem proteger a arte e destacá-la esteticamente. Abaixo, delineamos algumas dessas considerações visuais e práticas com exemplos fotográficos da Goppion, dando algumas indicações de como alguém deve escolher quais casos de exibição usar.

The Tomi Ungerer Museum. Image Courtesy of Goppion The Louvre Lens. Image Courtesy of Goppion The Museum of Fine Arts. Image Courtesy of Goppion The Tomi Ungerer Museum. Image Courtesy of Goppion + 19

The Cooper Hewitt Smithsonian Design Museum. Image Courtesy of Goppion
The Cooper Hewitt Smithsonian Design Museum. Image Courtesy of Goppion
The Metropolitan Museum of Art. Image Courtesy of Goppion
The Metropolitan Museum of Art. Image Courtesy of Goppion
The Tomi Ungerer Museum. Image Courtesy of Goppion
The Tomi Ungerer Museum. Image Courtesy of Goppion
Estruturas. Image Courtesy of Goppion
Estruturas. Image Courtesy of Goppion

O objeto

Obviamente, diferentes tipos de obras de arte requerem distintos métodos de exposição. Pinturas precisam de molduras; esculturas e outros objetos independentes podem precisar de pedestais ou vitrines verticais; enquanto livros, papéis ou outros objetos semelhantes geralmente são mostrados em estojos de mesa. Essas considerações devem ser tratadas caso a caso com os recursos do objeto e a configuração geral da galeria ou exposição em mente. Por exemplo, certas esculturas devem ser vistas frontalmente, eliminando a necessidade de uma caixa de vidro construída para esculturas em volta. Da mesma forma, algumas pinturas requerem tipos especiais de molduras, principalmente aquelas com aspectos tridimensionais ou pesados impastos. O objeto em si é, portanto, a principal consideração para a escolha de casos de exibição, indicando que tipo de caso deve ser usado ou se é necessário.

The Whitney. Image Courtesy of Goppion
The Whitney. Image Courtesy of Goppion
The Cassa di Risparmio. Image Courtesy of Goppion
The Cassa di Risparmio. Image Courtesy of Goppion
The Louvre Lens. Image Courtesy of Goppion
The Louvre Lens. Image Courtesy of Goppion
Sistemas de abertura. Image Courtesy of Goppion
Sistemas de abertura. Image Courtesy of Goppion

Conservação Preventiva

Preocupações práticas, como a proteção física e química de cada objeto, são fundamentais para o processo de decisão. Essas questões podem ser influenciadas por vários fatores, como a idade do objeto, os materiais de que é feito, as condições do espaço da galeria ou do edifício do museu e o número de visitantes que se espera que se aproximem da obra. Algumas esculturas ou outros objetos independentes podem não precisar de uma vitrine. No entanto, para outros, a proteção hermética é imperativa, garantindo que o objeto não se deteriore ou se degrade ao longo do tempo. Para objetos delicados como esses, os projetistas devem escolher opções de exibição que possam fornecer as condições ambientais necessárias.

Rijksmuseum. Image Courtesy of Goppion
Rijksmuseum. Image Courtesy of Goppion
The Museum of Fine Arts. Image Courtesy of Goppion
The Museum of Fine Arts. Image Courtesy of Goppion
Brooklyn Museum. Image Courtesy of Goppion
Brooklyn Museum. Image Courtesy of Goppion
Brooklyn Museum. Image Courtesy of Goppion
Brooklyn Museum. Image Courtesy of Goppion
Exposição e Conservação. Image Courtesy of Goppion
Exposição e Conservação. Image Courtesy of Goppion

Apresentação do objeto

Para muitas obras de arte, a configuração da exposição é uma pergunta importante que nem sempre é resolvida diretamente pelos requisitos do objeto: o caderno desse artista deve ser colocado em uma vitrine horizontal, em um expositor vertical independente ou em um estojo contra a parede? E essa estatueta? Ou mesmo esse relevo ou essa pintura - eles precisam estar na parede ou colocá-los em um estojo independente com costas reforçadas seria mais eficaz? Frequentemente, as limitações das intenções de espaço ou curadoria ajudarão a resolver esses problemas e a determinar qual é o melhor para a exibição de cada obra de arte.

Victoria & Albert Museum. Image Courtesy of Goppion
Victoria & Albert Museum. Image Courtesy of Goppion
The Louvre. Image Courtesy of Goppion
The Louvre. Image Courtesy of Goppion
The Tomi Ungerer Museum. Image Courtesy of Goppion
The Tomi Ungerer Museum. Image Courtesy of Goppion

Design

Obviamente, o design da vitrine é incrivelmente importante. Um bom exemplo deve destacar efetivamente o trabalho artístico, mas não deve distraí-lo. Também não deve desviar o design geral da galeria ou exposição, seja simplesmente o modelo de 'cubo branco' ou uma estética mais complexa. Assim, os designers de exposições precisam decidir entre todas as caixas de vidro, molduras de madeira, molduras de metal ou molduras pintadas. Se eles escolherem molduras, deverão considerar a espessura das molduras, a uniformidade dessa decisão entre o restante da exibição e a coloração precisa das molduras.

National Postal Museum. Image Courtesy of Goppion
National Postal Museum. Image Courtesy of Goppion
The National Postal Museum. Image Courtesy of Goppion
The National Postal Museum. Image Courtesy of Goppion

Interatividade

Para exposições ou galerias especiais, as vitrines interativas podem ajudar a tornar a exposição mais divertida para crianças ou mais didática para adultos. No entanto, e infelizmente, essa ainda é uma escolha incomum, e elas geralmente são negligenciadas. Para exposições educacionais especiais com o objetivo de criar um ambiente interativo ou imersivo - ou até economizar espaço - esses tipos de vitrines devem ser uma consideração importante.

Encontre mais informações aqui.

Galeria de Imagens

Ver tudo Mostrar menos
Sobre este autor
Cita: Cao, Lilly. "Como projetar interiores de museus: Vitrines para proteger e destacar a arte" [How to Design Museum Interiors: Display Cases to Protect & Highlight the Art] 02 Abr 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/936792/como-projetar-interiores-de-museus-vitrines-para-proteger-e-destacar-a-arte> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.