Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

Fachadas de borracha: arquitetura maleável e uniforme

Fachadas de borracha: arquitetura maleável e uniforme

Na maioria das vezes, a borracha não é considerada um material de construção convencional - pelo menos não na mesma extensão que materiais como madeira, concreto ou vidro. Mas a borracha é comumente usada em interiores para pisos de cores ou brilho extraordinários, e ainda mais inesperadamente para fachadas com aspectos exclusivos ou efeitos de acolchoamento. Essa funcionalidade é motivada por vantagens exclusivas, como suavidade, elasticidade, durabilidade e consistência de cores.

Dapstudio’s Music Center Theater Teca. Image © Filippo Romano Benthem Crouwel Architects’ Rubber Holiday Home. Image © Jannes Linders Lenne Office / Kamp Arhitektid. Image © Terje Ugandi Chanel Mobile Art Pavilion / Zaha Hadid Architects. Image © Stefan Tuchila + 18

CITYFÖRSTER’s RUBBERHOUSE. Image © Arne Hansen, Nils Nolting
CITYFÖRSTER’s RUBBERHOUSE. Image © Arne Hansen, Nils Nolting

A borracha foi originalmente criada a partir da seiva de látex das seringueiras, gerando uma substância elástica naturalmente forte. Mais tarde, descobriu-se que poderia ser reproduzido sinteticamente através de uma combinação de produtos químicos com efeitos quase idênticos. Dependendo do uso e das qualidades desejadas da borracha, as empresas modernas também introduziram cargas minerais, pigmentos naturais e aceleradores de vulcanização durante o processo de produção da borracha.

Dapstudio’s Music Center Theater Teca. Image © Filippo Romano
Dapstudio’s Music Center Theater Teca. Image © Filippo Romano

Essa capacidade de introduzir pigmentos naturais é propícia à produção de pisos coloridos e brilhantes, exemplificados pelos destaques em laranja brilhante do Music Center Theatre Teca do Dapstudio. Esse tipo de piso é especialmente recomendado para edifícios públicos e de alto tráfego, onde é necessária facilidade de limpeza, propriedades antiderrapantes e redução de ruído. Projetos como o Lenne Office de Kamp Arhitektid e o Chanel Mobile Art Pavilion de Zaha Hadid Architects aproveitaram essas qualidades, destacando também determinadas áreas ou circulações através da cor.

Lenne Office / Kamp Arhitektid. Image © Terje Ugandi
Lenne Office / Kamp Arhitektid. Image © Terje Ugandi
Chanel Mobile Art Pavilion / Zaha Hadid Architects. Image © Stefan Tuchila
Chanel Mobile Art Pavilion / Zaha Hadid Architects. Image © Stefan Tuchila

Por outro lado, esse material pode produzir impressionantes fachadas escuras, como é o caso da RubberHouse de Cityförster ou da Black Rubber House de Simon Conder Associates.

Simon Conder Associates’ Black Rubber House. Image Courtesy of Simon Conder Associates
Simon Conder Associates’ Black Rubber House. Image Courtesy of Simon Conder Associates
Dethier Architecture's Liège Centre for Group Dynamics and Institutional Analysis. Image © Sergei Brison
Dethier Architecture's Liège Centre for Group Dynamics and Institutional Analysis. Image © Sergei Brison

Essas manipulações de cores são aumentadas por modificações de superfície e textura. A borracha, como um material altamente versátil, pode ser moldada em praticamente qualquer formato, desde superfícies parecidas com estofados a folhas totalmente lisas até sprays liquefeitos. A Rubber Holiday Home, de Benthem Crouwel Architects é um exemplo notável de fachada com pintura por spray, enquanto a Sede de Saengthai Rubber e o Centro de Liège de Dinâmica de Grupos e Análise Institucional simbolizam apliques de borracha macia em superfícies planas e curvas. Essa suavidade é criada através do processo de vulcanização, que move continuamente o material entre os cilindros de metal a altas temperaturas, produzindo uma tira de borracha perfeitamente regular, contínua e plana.

Benthem Crouwel Architects’ Rubber Holiday Home. Image © Jannes Linders
Benthem Crouwel Architects’ Rubber Holiday Home. Image © Jannes Linders

Uma das aplicações mais exclusivas desse material é na Soundhouse de Jefferson Sheard Architects, que apresenta uma fachada semelhante a um estofamento de borracha preta manipulada. Não apenas tira proveito da flexibilidade inata da borracha, mas também utiliza os recursos naturais de redução de ruído do material para aumentar os tratamentos acústicos existentes no projeto.

Jefferson Sheard Architects’ Soundhouse. Image Courtesy of Jefferson Sheard Architects
Jefferson Sheard Architects’ Soundhouse. Image Courtesy of Jefferson Sheard Architects

A redução de ruído também não é a única vantagem prática das fachadas de borracha: também é resistente às intempéries, altamente resistente ao fogo, apresenta baixa toxicidade por fumaça e pode até ser reciclada com pouca dificuldade. Essas muitas vantagens tornam a borracha um material viável, se não ideal, para uso em projetos específicos com requisitos correspondentes aos listados acima.

Galeria do Projeto

Ver tudo Mostrar menos
Sobre este autor
Cita: Cao, Lilly. "Fachadas de borracha: arquitetura maleável e uniforme" [Rubber Skin Buildings: A Malleable, Seamless Architecture] 01 Out 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/925768/fachadas-de-borracha-arquitetura-maleavel-e-uniforme> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.