O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Ranking das cidades mais emergentes de 2014

Ranking das cidades mais emergentes de 2014

Ranking das cidades mais emergentes de 2014
Ranking das cidades mais emergentes de 2014, Jacarta Indonésia. © Prayitno, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Jacarta Indonésia. © Prayitno, via Flickr. Used under Creative Commons

O “Índice de Cidades Globais e Expectativas de Cidades Emergentes: Presente e Futuro”, elaborado pela consultora estadunidense A.T. Kearney, apresenta as 10 cidades de países com economia baixa ou média - segundo a classificação do Banco Mundial - que nos últimos anos protagonizaram um rápido crescimento para “colocar-se em dia” com as principais cidades globais, como Londres, Tóquio e Paris.

Para definir quais são as 10 cidades emergentes de mais rápido crescimento, a consultora analisou três categorias – Atividade Empresarial, Capital Humano e Inovação – em 34 cidades. Além disso, elaborou um ranking com 84 cidades que têm gerado, de alguma maneira, benefícios globais.

Conheça as 10 cidades emergentes e as 10 cidades globais, a seguir.

Uma vez definidas as cidades, a consultora mediu a rapidez com que estas estão evoluindo certos indicadores agrupados nas três categorias mencionadas. A rapidez é medida em relação ao tempo que levaria para uma cidade emergente alcançar indicadores como os de cidades globais, desde que seu crescimento tenha sido constante entre 2008 e 2013.

A primeira dessas categorias, Atividade Empresarial, foi obtida a partir da evolução do Produto Interno Bruto da cidade em questão, as mudanças na sua infraestrutura – rodovias, distribuição de água, transporte público e moradia, facilidade de fazer negócios no país de origem e as percepções de transparência no setor público.

A segunda categoria, Capital Humano, faz referência a igualdade de renda, a qualidade dos serviços públicos de saúde, a segurança e a sustentabilidade ambiental.

E finalmente Inovação, que corresponde a atração que as cidades exercem em empresas e trabalhadores de outras cidades. Além disso, nessa categoria entra o número de novas empresas, o volume de operações de capital de risco e as opções de crédito, entre outros.

De acordo com essas categorias as cidades emergentes são:

1. Jacarta, Indonésia

Jacarta Indonésia. © alex hanoko, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Jacarta Indonésia. © alex hanoko, via Flickr. Used under Creative Commons

Segundo o informativo, a capital da Indonésia “esta assentando as bases para se converter em uma cidade líder a nível global”. Essa situação se dá pelas melhorias na distribuição de renda, segurança e proteção do meio ambiente.

2. Manila, Filipinas

Manila, Filipinas © Storm Crypt, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Manila, Filipinas © Storm Crypt, via Flickr. Used under Creative Commons

As melhorias na categoria Capital Humano e, mais especificamente, no indicador saúde, fizeram com que essa cidade ficasse em segundo lugar. Entretanto, o que fez falta para que chegasse ao primeiro lugar foi o fato de que ela ainda não está consolidada como uma cidade global para negócios.

3. Adís Abeba, Etiópia

Adís Abeba, Etiópia. © D-Stanley, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Adís Abeba, Etiópia. © D-Stanley, via Flickr. Used under Creative Commons

Mesmo sendo Inovação um aspecto debilitado nessa cidade, que foi inclusive o mais baixo dentre as 10 primeiras cidades do ranking, a terceira posição é garantida pelo rendimento positivo da Atividade Empresarial.

4. São Paulo, Brasil

São Paulo, Brasil. © mlsirac, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
São Paulo, Brasil. © mlsirac, via Flickr. Used under Creative Commons

Diferentemente de Adís Abeba, a categoria menor avaliação nessa cidade foi Atividade Empresarial. Entretanto o Capital Humano e a Inovação são os aspectos que fizeram com que São Paulo obtivesse a quarta posição e o primeiro lugar na América Latina.

5. Nova Déli, Índia

Nova Déli, Índia. © wili_hybrid, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Nova Déli, Índia. © wili_hybrid, via Flickr. Used under Creative Commons

O fato de nos últimos anos Nova Déli ter se posicionado como uma cidade estratégica para as indústrias, fruto de sua abertura comercial, permitiu que a cidade se destacasse em distintos rankings internacionais, com ênfase na categoria Atividade Empresarial.

Entretanto, o informativo menciona que para que a cidade suba na lista global, ela deve melhorar nas categorias de Capital Humano e Inovação, já que por eles foi rebaixada do posto N°41 para o N°48. Enquanto isso, o indicador mais específico de recuperação é a troca de informações.

6. Rio de Janeiro, Brasil

Rio de Janeiro, Brasil. © Rubem Jr, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Rio de Janeiro, Brasil. © Rubem Jr, via Flickr. Used under Creative Commons

A segunda cidade latino-americana da lista também é brasileira. Como São Paulo, a melhor avaliação dessa cidade foi dada pelo Capital Humano, seguida pela Inovação e, por último, Atividade Empresarial.

7. Bogotá, Colômbia

Bogotá, Colômbia. © Tijs Zwinkels, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Bogotá, Colômbia. © Tijs Zwinkels, via Flickr. Used under Creative Commons

A terceira e última cidade latino-americana das 10 cidades emergentes é a capital colombiana. Segundo o informativo da consultoria, Bogotá está entre as cidades que se destacou e que pode melhorar ainda mais, sobre tudo no Capital Humano, devido aos avanços em segurança, proteção ambiental e saúde.

8. Mumbai, Índia

Mumbai, Índia. © betta design, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Mumbai, Índia. © betta design, via Flickr. Used under Creative Commons

Apesar dos aspectos menos proeminentes da capital indiana - intercâmbio cultural e o compromisso político internacional -em nível nacional ela se sobressaiu nos quesitos de intercâmbio de informação, Capital Humano e Atividade Empresarial.

9. Nairóbi, Quênia

Nairobi, Quênia. © afromusing, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Nairobi, Quênia. © afromusing, via Flickr. Used under Creative Commons

Mesmo sendo a Atividade Empresarial seu quesito mais bem avaliado, o informativo reconheceu que o melhor posicionamento dessa cidade se deve ao fato que ela se consolidou como um centro politico regional.

10. Kuala Lumpur, Malásia

Kuala Lumpur, Malásia. © iwillbehomesoon, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Kuala Lumpur, Malásia. © iwillbehomesoon, via Flickr. Used under Creative Commons

A facilidade para realizar novos negócios na capital da Malásia fez com que ela fosse considerada uma das cidades que está “se atualizando” se comparada a outras cidades. Em relação as avaliações dos indicadores, o melhor índice foi Capital Humano, seguindo pela Atividade Empresarial e, por último, Inovação.

Índice de Cidades Globais

Nova Iorque. © Werner Kunz, via Flickr. Used under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>Creative Commons</a>
Nova Iorque. © Werner Kunz, via Flickr. Used under Creative Commons

De forma paralela, a consultora A.T. Kearney fez um Índice de Cidades Globais, no qual avalia 84 cidades segundo cinco categorias (Atividade de Negócios, Capital Humano, Compromisso Político, Experiência Cultural e Intercâmbio de Informação) em relação à capacidade dessas cidades de atrair e reter as melhores empresas e talentos, gerando benefícios globais.

Desde 2008, quando esse ranking começou a ser elaborado, Nova Iorque tem se mantido no primeiro lugar, seguida por Londres. Paris e Tóquio ocuparam, este ano, o terceiro e quarto lugar respectivamente, mas em avaliações anteriores tinham postos invertidos.

A lista das 10 cidades globais é:

1. Nova Iorque
2. Londres
3. Paris
4. Tóquio
5. Hong Kong
6. Los Angeles
7. Chicago
8. Pequim
9. Cidade de Singapura
10. Washington

Baixe o informativo completo aqui.

Via Plataforma Urbana. Tradução Camilla Ghisleni, ArchDaily Brasil.

Sobre este autor
Constanza Martínez Gaete
Autor
Cita: Constanza Martínez Gaete. "Ranking das cidades mais emergentes de 2014" 21 Set 2014. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/627473/ranking-das-cidades-mais-emergentes-de-2014> ISSN 0719-8906