O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias de Arquitetura
  3. Arte e Arquitetura: "Fábrica de Inquietação: Criando intervenções na cidade-correria" / André Stahnke

Arte e Arquitetura: "Fábrica de Inquietação: Criando intervenções na cidade-correria" / André Stahnke

Arte e Arquitetura: "Fábrica de Inquietação: Criando intervenções na cidade-correria" / André Stahnke

A instalação intitulada “Fabriqueta de Improvisação”, que aconteceu em Florianópolis – SC em julho deste ano, faz parte do Trabalho de Conclusão de Curso de André Stahnke, formado em arquitetura e urbanismo pela Universidade Federal de Santa Catarina. O trabalho, do qual fez parte a instalação, se chama “Fábrica de Inquietação: Criando intervenções na cidade-correria” e consiste em uma investigação acerca da qualidade de nossos espaços públicos e nossa posição enquanto agentes- citadinos.

Tem-se assistido a certa subestimação desses espaços, já que estes têm funcionado cada vez mais como espaços apenas circulatórios e não de permanência ou troca; as cidades - não apenas Florianópolis - vivem num ritmo frenético por conta de tudo que se une ao modus operandi do sistema capitalista.

A intervenção consiste em uma estrutura modular que pode ocupar o espaço público com usos e eventos múltiplos, num caráter absolutamente efêmero. São três módulos que ocupam aproximadamente uma área de 6m² e altura de 2,50m cada. A intenção é produzir intervenções que se inserem como elementos de captura do citadino, convidando-o a interagir e estimulando a própria reflexão sobre esse espaço que é de todos.

© André Stahnke
© André Stahnke

O local escolhido - o centro da cidade de Florianópolis - entra como um fragmento símbolo desse urbanismo que corre; além da intensidade de fluxos de pessoas, o recorte do Largo da Alfândega permite uma diversidade cultural e social que agrega força à intervenção.

© André Stahnke
© André Stahnke

Os três módulos formam um espaço definido por tecidos cor-de-rosa presos à estrutura, dentro do qual estão quatro músicos (nas extremidades) e um (técnico no centro). Os agentes sonoros essencialmente humanos - parte da troca e do desmanche da relação artista e espectador -, que serão vistos apenas por suas silhuetas projetadas nos tecidos, improvisam livremente e podem ser controlados pelos cidadãos-passantes, criando uma sonoridade única inusitada.

© André Stahnke
© André Stahnke

 Através de uma alavanca de três posições, localizada próximo a cada músico, o público escolhe se quer que o instrumentista toque o instrumento, pare de tocar ou toque com um determinado efeito, seja no ritmo ou na textura do timbre. O cidadão desconhece a função de cada uma das posições da alavanca até experimentar e ouvir.

© André Stahnke
© André Stahnke

O intuito da intervenção é trabalhar a inteligência musical dos indivíduos e como eles percebem os diferentes timbres (ou a falta deles), os diferentes ritmos (ou sua ausência) e, sobretudo, elaborar coletivamente o sentido de uma obra.

© André Stahnke
© André Stahnke
© André Stahnke
© André Stahnke

Para mais informações sobre o trabalho de conclusão de curso, a instalação e seu processo de montagem, por favor, visite o tumblr ou a página no facebook.


Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Romullo Baratto. "Arte e Arquitetura: "Fábrica de Inquietação: Criando intervenções na cidade-correria" / André Stahnke" 14 Nov 2013. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/153399/arte-e-arquitetura-fabrica-de-inquietacao-criando-intervencoes-na-cidade-correria-slash-andre-stahnke> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.