Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Torre David

Torre David: O mais recente de arquitetura e notícia

Os edifícios mais famosos que nunca foram construídos

07:00 - 11 Julho, 2018
© Expiatory Temple of the Sagrada Família
© Expiatory Temple of the Sagrada Família

Muitos dos grandes projetos desenvolvidos pelo homem ao longo da história da humanidade, principalmente aqueles em que se almejava uma monumentalidade sem precedentes, acabaram fracassando. Seja por questões de ordem econômica ou de planejamento, o andamento de uma obra pode sofrer inúmeras interferências ao longo do tempo. Algumas vezes, muito esforço é feito para que o resultado final atenda às expectativas iniciais, entretanto, não são raros os casos em que o pior cenário se torna realidade, quando a estrutura inacabada é abandonada ainda durante a fase de construção. Infelizmente, esses "fracassos arquitetônicos" estão longe de ser apenas uma excessão. Fatores econômicos são a causa mais comum pela qual uma obra acaba sendo abandonada, mas também não são poucos os edifícios encalhados por causa de guerras, disputas geopolíticas, epidemias entre outros fatores imprevisíveis. Estas estruturas sombrias acabam se tornando apenas lembranças assustadoras daquilo que um dia poderiam ter se tornado.

Sejam edifícios abandonados ou obras que se arrastam ao longo de décadas (ou ate séculos), estas estruturas inacabadas representam um contraponto à tradicional história do ambiente construído pelo homem. Como ruínas da modernidade, estes espectros edificados retratam a inviabilidade de muitas das ambições humanas em sua eterna busca pela monumentalidade. Diferentes povos e civilizações deixaram obras incompletas que acabaram se tornando grandes expressões de sua imprecisão. A lista a seguir pretende apresentar apenas alguns exemplos dos projetos inacabados mais interessantes e infames da história.

Imagem por Ilya Ilusenko <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Palace_Of_Soviets_8.JPG'>via Wikimedia</a> (public domain) © <a href='https://www.flickr.com/photos/hisgett/4675714481'>Flickr user hisgett</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by/2.0/'>CC BY 2.0</a> © Raphael Olivier © <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Tourists_posing_at_the_National_Monument_of_Scotland.jpg'>Wikimedia user Colin</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/'>CC BY-SA 4.0</a> + 12

Arquiteturas do entremeio: o espaço como resultado da adversidade

10:00 - 1 Junho, 2018
Arquiteturas do entremeio: o espaço como resultado da adversidade, Torre David / Gran Horizonte. Imagem via EneasMx [Wikipedia] CC BY-SA 4.0
Torre David / Gran Horizonte. Imagem via EneasMx [Wikipedia] CC BY-SA 4.0

Escrevendo para o Blog da Fundación Arquia, o arquiteto Adrià Guardiet nos presenteia com uma bela reflexão que apresenta três diferentes perspectivas sobre as arquiteturas inacabadas, aquelas nas quais o tempo e seus habitantes desempenham um papel primordial.

Certos tipos de arquitetura incorporam o tempo como uma importante ferramenta de projeto. Estruturas abertas, dinâmicas, crescentes. Outras buscam inspiração nas pré-existência e acabam por (re)construir a memória do lugar. Para citar apenas alguns exemplos.

Embora o tempo seja um fator onipresente, seu passo indelével nem sempre se faz visível nas estruturas que construímos. Entretanto, neste tipo de arquitetura, o tempo costuma ser muito mais evidente e explícito, principalmente naquelas estruturas incompletas ou inacabadas, seja por razões econômicas, políticas, naturais ou sociais. São aquelas que decidimos chamar de arquiteturas do entremeio. Obras que através de contextos instáveis, encontram um terreno fértil para florescer.

Documentário sobre a Torre de David é disponibilizado online

15:00 - 31 Outubro, 2015

Em 1994, após a morte de seu principal investidor e uma crise bancária nacional que congelou a economia venezuelana, as obras do Centro Financero Confinanzas de Caracas - conhecido popularmente como Torre de David - foram paralisadas, deixando o edifício em completo abandono com 70% da construção concluída.

Negligenciado por mais de uma década, o arranha-céu de 45 pavimentos e 190 metros de altura se converteu em 2007 na residência improvisada de uma comunidade de mais de 800 famílias, transformando-se em uma "favela vertical organizada", com serviços básicos até o 22° pavimento, incluindo barbearias, creches e clínicas odontológicas. 

O documentário (disponível online por um custo de 2,99 $US) foi filmado pela equipe de projeto interdisciplinar Urban-Think Tank e apresenta a vida particular de seus habitantes antes da desapropriação da torre em 2014. O filme é parte de uma iniciativa mais ampla de pesquisa e projeto que resultou em um livro e diversas exposições, incluindo a mostra ganhadora do Leão de Ouro na Bienal de Veneza 2012.

Clique aqui para ver o documentário completo.

Cidades radicais, soluções radicais: Livro de Justin McGuirk encontra oportunidades em lugares inesperados

07:00 - 23 Maio, 2015
Cidades radicais, soluções radicais: Livro de Justin McGuirk encontra oportunidades em lugares inesperados, Casas Quinta Monroy do Elemental no Chile tornaram-se-imagem do cartaz para uma arquitetura ativista da América Latina. Imagem © Cristóbal Palma
Casas Quinta Monroy do Elemental no Chile tornaram-se-imagem do cartaz para uma arquitetura ativista da América Latina. Imagem © Cristóbal Palma

O livro de Justin McGuirk Radical Cities: Across Latin America in Search of a New Architecture está rapidamente se tornando uma importante leitura para mundo da arquitetura. Desde sua grandiosa participação na Bienal de Veneza 2012, em que ganhou o prêmio Golden-Lion pelo projeto desenvolvido com o Urban Think Tank e Iwan Baan, o trabalho de McGuirk tem se tornado de fundamental interesse a disciplina da arquitetura, principalmente no que diz respeito a soluções de habitação de baixo custo na América Latina. Esta análise do livro Radical Cities, por Joshua K Leon, foi originalmente publicada pela Metropolis Magazine como "Finding Radical Alternatives in Slums, Exurbs, and Enclaves."

O livro Radical Cities: Across Latin America in Search of a New Architecture, de Justin McGuirk, deveria ser leitura obrigatória para qualquer um à procura de uma saída para a desigualdade social na qual estamos presos. Em 2012, existiam 40 milhões de moradores de favelas em todo o mundo a mais do em 2010, segundo a ONU. Os mercados privados claramente não podem fornecer moradia universal de forma eficiente e os governos são muitas vezes hostis em relação aos pobres. A única alternativa é a ação coletiva a nível popular, e eu nunca havia lido um relato mais vívido sobre tal assunto.

Urban Think Tank comenta a desapropriação forçada da Torre David

21:00 - 23 Julho, 2014
Urban Think Tank comenta a desapropriação forçada da Torre David, Torre David. Imagem © Iwan Baan
Torre David. Imagem © Iwan Baan

Continuando a notícia de ontem sobre a desapropriação forçada de centenas de moradores da Torre David na Venezuela, a maior favela vertical do mundo, o Urban-Think Tank publicou uma declaração. O grupo, que passou dois anos pesquisando este extraordinário espaço urbano para o seu Pavilhão vencedor do Golden Lion na Bienal de Veneza de 2012, falou com os moradores e espera inquietar a comunidade de arquitetos e designer ao se pronunciar neste debate. Leia a seguir a declaração na inteira.

Iniciado o processo de desapropriação da emblemática Torre David, em Caracas

14:00 - 22 Julho, 2014
Iniciado o processo de desapropriação da emblemática Torre David, em Caracas, Interior da Torre David. Imagem © Via 'The Atlantic'
Interior da Torre David. Imagem © Via 'The Atlantic'

Cinco dias após o anúncio da negociação entre o governo venezuelano e um consórcio financeiro chinês para a venda da Torre David, em Caracas, foi iniciado o processo de desapropriação das famílias instaladas no edifício por ordem do ministro do Interior e da Justiça, segundo informam o jornal venezuelano Últimas Noticias, a BBC Mundo e diversos outros jornalistas que cobriram a operação minuto a minuto via Twitter.

Favela vertical mais alta do mundo pode ser vendida a um consórcio chinês

17:00 - 18 Julho, 2014
Favela vertical mais alta do mundo pode ser vendida a um consórcio chinês, © Vía 'The Atlantic'
© Vía 'The Atlantic'

Assim como a recente venda do histórico Edifício Espanha ao grupo chinês Dalian Wand por 265 milhões de euros, a controversa Torre de David - vencedora do Leão de Ouro na Bienal de Veneza 2012 - estaria fazendo parte de uma negociação entre organizações bancarias chinesas e o governo venezuelano, segundo informa o jornal TalCual.

A Torre de David é um arranha-céu localizado no centro de Caracas projetado originalmente para receber escritórios corporativos, porém, jamais foi concluído. Suas obras tiveram início em 1990, mas com morte de seu principal investidor em 1993 e a crise financeira que assolou o país em 1994, sua construção foi congelada e o edifício veio parar nas mãos do Estado. Em 2007 uma ocupação de 2 mil pessoas sem teto converteu a torre na favela vertical mais alta do mundo.

© Vía 'The Atlantic' © Vía 'The Atlantic' © Vía 'The Atlantic' © Vía 'The Atlantic' + 4