1. ArchDaily
  2. Território E Paisagem

Território E Paisagem : O mais recente de arquitetura e notícia

Conviver na Amazônia no século XXI: guia de planejamento e desenho urbano para as cidades da floresta peruana

Dirigindo-se ao universo da maior floresta tropical do mundo, o livro "Convivir en la Amazonía en el Siglo XXI: Guía de Planificación y Diseño Urbano para las ciudades en la selva baja peruana" ( em português, "Conviver na Amazônia do Século XXI: Guia de planejamento e desenho urbano para as cidades da selva baixa peruana"), foi selecionado como finalista na categoria de publicações da XII Bienal Iberoamericana de Arquitetura e Urbanismo. A edição, publicada em 2019 como parte das Publicações de Arquitetura PUCP, no âmbito do projeto CASA [Ciudades Auto-Sostenibles Amazónicas] da iniciativa Ciudades Resilientes al Clima do IDRC, FFLA e CDKN, concentra suas pesquisas no departamento de Loreto, apresentando-se como "um guia para arquitetura e desenho urbano, para assentamentos na floresta amazônica, incluindo os processos sociais a serem considerados".

Conviver na Amazônia no século XXI: guia de planejamento e desenho urbano para as cidades da floresta peruanaConviver na Amazônia no século XXI: guia de planejamento e desenho urbano para as cidades da floresta peruanaConviver na Amazônia no século XXI: guia de planejamento e desenho urbano para as cidades da floresta peruanaConviver na Amazônia no século XXI: guia de planejamento e desenho urbano para as cidades da floresta peruana+ 7

Arquitetura e território: residências nas cinco regiões do Brasil

O arquiteto italiano Vittorio Gregotti, autor de Território da arquitetura (1966), acreditava que a arquitetura tem origem no gesto de fincar a primeira pedra no chão. O reconhecimento do lugar é, voluntariamente ou não, o primeiro passo em um projeto arquitetônico. A compreensão do contexto em que a obra será inserida é responsável pela fundamentação de uma série de decisões de desenho, configurando-se assim como uma atividade substancial no ofício dos arquitetos e arquitetas.

Arquitetura e território: residências nas cinco regiões do BrasilArquitetura e território: residências nas cinco regiões do BrasilArquitetura e território: residências nas cinco regiões do BrasilArquitetura e território: residências nas cinco regiões do Brasil+ 41

Arquitetura em Machu Picchu, três projetos na paisagem

Preservação de patrimônio e integração com a paisagem são dois temas cruciais no desenvolvimento da arquitetura peruana cujo território é uma síntese de paisagens com memórias. O projeto vencedor do concurso de Ideias para intervenções no Parque Arqueológico Nacional de Machupicchu (Cusco), não somente alcança ambas relações, mas as entrelaça, adapta e propõe. Mimetiza-se respeitando a tradição arquitetônica do lugar, emergindo com sua própria linguagem contemporânea. Cria pontes de novas relações respeitando as preexistentes, continuando assim, com a natureza do lugar onde há harmonia entre a paisagem e a história. Naturalmente, integra os visitantes a ser parte dessa experiência.

A seguir, conheça mais detalhes deste projeto arquitetônico e, sobretudo, uma aproximação ao que vem sendo o desenvolvimento de exteriores e paisagismo do masterplan proposto ao Parque Arqueológico.

Arquitetura em Machu Picchu, três projetos na paisagemArquitetura em Machu Picchu, três projetos na paisagemArquitetura em Machu Picchu, três projetos na paisagemArquitetura em Machu Picchu, três projetos na paisagem+ 22

Paisagem não se encontra, se cria

Neste artigo publicado originalmente na coluna Paisajes Tejidos de LOFscapes, sua autora nos introduz ao, agora popular, conceito de paisagens criadas. Aqui, a paisagem como resultado da necessidade de articular processos de organização urbana e sistemas naturais é, portanto, uma aproximação a paisagem como a inter-relação entre a geografia e os processos históricos e socioculturais.

A autora nos relata como, através de projetos estratégicos, produziu-se uma mudança no antigo paradigma da paisagem como uma cena bucólica e estética por sistemas complexos, performativos, multifuncionais e de larga duração. Então, se a paisagem não pode ser capturada em só momento, por que continuamos acreditando que é um meio de sublimação geográfica que pousa no território?

Se quiser saber mais sobre LOFscapes e ler os demais artigos , inscreva-se na Newsletter aqui.

Convocatória Concurso – Brasília:Território e Paisagem: Centro de Exposição Agropecuária de Planaltina – Brasília – DF

Convocatória Concurso – Brasília:Território e Paisagem: Parque do Paranoá – Brasília – DF

Convocatória Concurso – Brasília: Território e Paisagem: Reforma do Edifício Sede da SEDHAB – Brasília – DF