1. ArchDaily
  2. Tecidos

Tecidos: O mais recente de arquitetura e notícia

Tecidos em interiores: possibilidades criativas como elementos arquitetônicos

Temos usado tecido para criar abrigos por milhares de anos, tornando-se uma forma arquetípica de construção. Hoje, a arquitetura contemporânea tem redescobrindo o princípio da tenda e levou seu desenvolvimento adiante, implementando novas tecnologias para gerar tecidos mais avançados e duráveis que permitem a extensão de áreas maiores. Tornando-se um setor altamente especializado na indústria da construção, várias formas têxteis tornaram-se comuns em uma ampla gama de aplicações arquitetônicas - não apenas para estruturas temporárias, mas também para edifícios permanentes. Para além da sua utilização em fachadas, estas podem ser utilizadas em interiores para criar espaços altamente funcionais com experiências sensoriais únicas.

Atmosferas brancas: criando espaços calmos com divisórias de tecido

No apogeu do modernismo, arquitetos como Le Corbusier e Mies van der Rohe exaltaram o valor estético das superfícies brancas, que eles viam como uma conotação de pureza e simplicidade. A Casa Farnsworth de Mies van der Rohe, por exemplo, combinou a brancura despojada de seu esqueleto estrutural com amplas esquadrias do chão ao teto, usando a luz natural envolvente para elevar ainda mais as aspirações já celestiais do espaço. Hoje, alguns arquitetos e designers contemporâneos desenvolveram a estética sublime da arquitetura moderna de alta tecnologia usando divisórias com tecidos translúcidos, complementando a pureza das paredes brancas com o jogo etéreo de luz e sombra dos tecidos. Abaixo, discutimos diferentes estratégias projetuais para trabalhar com tecidos brancos dessa forma e incluímos dois exemplos de projetos que usaram tecidos translúcidos de maneiras suaves, mas inovadoras.

NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas

O universo têxtil japonês com sua riqueza e variedade de tecidos e estampas é a nova vertente da cultura japonesa a ser apresentada na Japan House São Paulo por meio da exposição ‘NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas’, em cartaz de 20 de agosto a 27 de outubro de 2019. A mostra destaca peças criadas pela designer japonesa Reiko Sudo, da marca NUNO (palavra que significa tecido, em japonês) que desenvolve linhas estéticas, materiais e técnicas, muitas vezes reinterpretando a tradição têxtil do Japão para o mundo contemporâneo.

Na exposição, com curadoria de Adélia Borges, crítica e historiadora de design; e de

Estruturas de sombra: 6 dicas para incorporar ao seu próximo projeto

Em todo projeto arquitetônico de sucesso, é essencial fornecer aos usuários um espaço confortável ao ar livre. Em qualquer época do ano, estruturas modulares de sombra podem criar espaços que protegem do vento, poeira, sol, chuva, neve e ruídos de uma forma leve, flexível e esteticamente agradável.

Com isso em mente, o que devemos procurar ao escolher estruturas de sombra para espaços ao ar livre? Abaixo, fornecemos as principais recomendações da Superior Recreational Products.

Estruturas de sombra: 6 dicas para incorporar ao seu próximo projetoEstruturas de sombra: 6 dicas para incorporar ao seu próximo projetoEstruturas de sombra: 6 dicas para incorporar ao seu próximo projetoEstruturas de sombra: 6 dicas para incorporar ao seu próximo projeto+ 33

O lado oculto de Nova Iorque, por Alex MacLean

© Alex McLean
© Alex McLean

Sem dúvida, a cidade de Nova Iorque é uma das mais atraentes e interessantes do mundo, onde seus enormes arranha-céus formam uma das imagens mais emblemáticas de uma grande cidade. No entanto, a cidade tem muito mais que apenas um imponente skyline e longos congestionamentos; há todo um novo mundo que "toca as nuvens". É isso que ocorre quando se habita as coberturas dos edifícios, escapando do calor e das ruas movimentadas. 

O fotógrafo Alex MacLean registra isso em seu novo livro "Up on the Roof", que retrata piscinas, terraços, espaços de arte, bares, quadras de basquete e até mesmo grandes hortas na cobertura de edifícios.

Arte e Arquitectura: Skinned – a pele da arquitetura em ruínas por KNOL Ontwerp

O estúdio holandês KNOL Ontwerp apresenta Skinned, um projeto arquitetônico que exibe a "pele" dos edifícios abandonados de Amsterdam. O projeto consiste de uma coleção de cobertas de látex de edifícios em ruínas que são penduradas formando recriações fantasmagóricas dos espaços.

Saiba mais após o intervalo.

Arte e Arquitectura: Skinned – a pele da arquitetura em ruínas por KNOL OntwerpArte e Arquitectura: Skinned – a pele da arquitetura em ruínas por KNOL OntwerpArte e Arquitectura: Skinned – a pele da arquitetura em ruínas por KNOL OntwerpArte e Arquitectura: Skinned – a pele da arquitetura em ruínas por KNOL Ontwerp+ 12