Montse Zamorano

NAVEGUE POR TODOS OS PROJETOS DESTE FOTÓGRAFO

Incorporando o fogo em projetos externos: dicas e exemplos para lareiras

Whidbey Island Farm Retreat / mwworks. Image © Kevin ScottFireplace for Children / Haugen/Zohar Arkitekter. Image © Jason Havneraas & Grethe FredriksenCarraig Ridge Fireplace / Young Projects. Image © Bent René SynnevågVC House / Dumay Arquitectos. Image © Ignacio Infante Cobo+ 17

Yuval Noah Harari aponta que, por volta de 300 mil anos atrás, os Homo erectus, os neandertais e os antepassados do Homo sapiens já utilizavam o fogo diariamente. Segundo o autor do best-seller internacional “Sapiens”, o fogo abriu a primeira brecha significativa entre o homem e outros animais. “Ao domesticar o fogo, os humanos ganharam controle de uma força obediente e potencialmente ilimitada.” Alguns estudiosos, inclusive, acreditam que há relação direta entre o advento do hábito de cozinhar os alimentos (possível por conta da domesticação do fogo), ao encurtamento do trato intestinal e o crescimento do cérebro humano, que permitiu que os seres humanos se desenvolvessem e criado tudo o que temos.

As virtudes e limites da fotografia na representação da arquitetura - cinco fotógrafos discutem

Enquanto meio de representação da arquitetura, a fotografia apresenta qualidades indiscutíveis. Com ela, é possível apresentar a um público distante obras erguidas em qualquer lugar do mundo, de vistas gerais a espaços internos e pormenores construtivos - ampliando o alcance e, de certo modo, o acesso à arquitetura.

Entretanto, como qualquer outra forma de representação, não é infalível. Na medida que avanços tecnológicos permitem fazer imagens cada vez mais bem definidas e softwares de edição oferecem ferramentas para retocar e, por vezes, alterar aspectos substanciais do espaço construído, a fotografia, por sua própria natureza, carece de meios para transmitir aspectos sensoriais e táteis da arquitetura. Não é possível - ao menos não satisfatoriamente - experienciar as texturas, sons, temperatura e cheiros dos espaços através de imagens estáticas. 

Viviendas San Ignacio / IX2 Arquitectura. Jalisco, México. Image © Lorena DarqueaFaculdade de Biologia Celular e Genética / Héctor Fernández Elorza. Madri, Espanha. Image © Montse ZamoranoSesc Pompeia / Lina Bo Bardi. São Paulo, Brasil.. Image © Manuel SáTate Modern Switch House / Herzog & de Meuron. Londres, Reino Unido. Image © Laurian Ghinitoiu+ 15

Espelhos na arquitetura: possibilidades de espaços refletidos

Mirror Garden / ARCHSTUDIO. Image © Ning Wang
Mirror Garden / ARCHSTUDIO. Image © Ning Wang

KAP-House / ONG&ONG Pte Ltd. Image © Derek SwalwellSi estas paredes hablasen / Serrano + Baquero Arquitectos. Image © Fernando AldaPH José Mármol / Estudio Yama. Image © Javier Agustin RojasThe Mirror Window / Kosaku Matsumoto. Image © Nobutada Omote+ 39

Os seres humanos usam espelhos desde 600 aC, empregando a rocha obsidiana altamente polida como superfície reflexiva básica. Com o tempo, as pessoas começaram a usar pequenos pedaços de ouro, prata e alumínio de maneira semelhante, tanto por suas propriedades refletivas quanto por decoração. No século I dC, as pessoas começaram a usar o vidro para fazer espelhos, mas foi apenas durante o Renascimento Europeu que os fabricantes venezianos começaram a fabricar espelhos aplicando suportes metálicos nas folhas de vidro, permanecendo o método geral mais comum hoje em dia. Desde então, os espelhos continuam a desempenhar papel decorativo e funcional na arquitetura, proporcionando uma estética moderna e limpa, apesar de suas origens antigas. Abaixo, investigamos como os espelhos são feitos, fornecemos um pouco de sua história na arquitetura e oferecemos várias dicas para arquitetos que desejam usá-los em seus projetos.

O que é o ETFE e por que ele se tornou o polímero favorito dos arquitetos?

Até recentemente, o mundo da arquitetura via os polímeros plásticos como materiais de construção inferiores, úteis para superfícies de cozinha, mas não práticos em aplicações de construção em escala real. Mas com as inovações tecnológicas impulsionando os recursos materiais, os polímeros agora estão sendo levados a sério como parte legítima da paleta de materiais dos arquitetos. Um dos mais amplamente utilizados destes materiais é um plástico à base de flúor conhecido como ETFE (Etileno tetrafluoroetileno). Trazido à consciência pública graças ao seu uso na fachada do Water Cube de PTW Architects para as Olimpíadas de Pequim de 2008, os arquitetos estão percebendo a capacidade do filme de expressar uma nova estética e substituir materiais transparentes e translúcidos mais caros. Sua mais recente e espetacular aparição pública foi na cobertura telescópica de 120 pés do The Shed, projetada por Diller Scofidio + Renfro e pela Rockwell Group em Nova Iorque.

© flickr user manusascorner, Licensed under CC BY 2.0SSE Hydro Arena / Foster + Partners. Image Courtesy of FiguerasAnaheim Regional Transportation Intermodal Center / HOK. Image © John LindenWatercube National Swimming Centre / PTW Architects. Image © flickr user garrettziegler, Licensed under CC BY-NC-ND 2.0+ 9

Uma casa entre o museu e a cozinha / Jesús Aparicio Guisado

© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano+ 18

Hunan Slurp / New Practice Studio

© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano+ 10

  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  280
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2018
  • Fabricantes Marcas com produtos usados neste projeto de arquitetura
    Fabricantes: Boca Flasher, Tala

12 Mulheres na Fotografia de Arquitetura (parte 2)

Há algum aspecto ou marca recorrente que distingue, na essência, o olhar de fotógrafas e fotógrafos de arquitetura? Essa talvez seja mais uma daquelas perguntas de caráter retórico frequentemente usadas como argumento ao lançar luz sobre obras produzidas por mulheres e para a qual não se tem resposta precisa. 

Sem a pretensão de encontrar esta resposta - e dando seguimento ao nosso primeiro artigo que reunia uma seleção de mulheres na fotografia de arquitetura -, apresentamos aqui uma nova compilação de profissionais que merecem atenção pela qualidade de seus registros fotográficos. Veja nossa lista, a seguir:

Detalhes construtivos de arquitetura em pedra

No decorrer da história, o uso da pedra constituiu um componente indiscutível na construção do habitat e na produção de símbolos, devido a sua capacidade de ser transformada e de perdurar no tempo.

A considerável variedade de tipos e formas de distribuir as pedras nos permitiu selecionar 6 projetos que evidenciam o potencial uso desse material.

Veja uma compilação de 6 detalhes construtivos de projetos que se destacam pelo uso da pedra.

Guia para publicar obras de arquitetura

Como editores da Equipe de Projetos do ArchDaily, buscamos refletir acerca do que foram as publicações de projetos durante 2016, e, com base nisso, nos aproximarmos do que esperamos para as publicações de obras em 2017.

Podemos dizer que durante 2016 nossas publicações de projetos tiveram um alto impacto em material gráfico. Em primeiro lugar, as perspectivas axonométricas fizeram parte da grande maioria de nossas publicações, democratizando o conhecimento ao gerar vistas com dimensões próximas às da realidade, sendo assim uma interpretação acessível. Em segundo lugar, o desenvolvimento da tecnologia de vídeos de imersão nos permitiu publicar percursos 360º completos por interiores de obras de diversas escalas, gerando imagens cada vez mais fiéis à realidade física de estar na obra em questão.

Patrimônio, cidade e paisagem: XIII BEAU divulga seus 22 projetos premiados

Entre as 449 obras apresentadas, o júri da XIII Bienal Espanhola de Arquitetura e Urbanismo (XIII BEAU) divulgou a lista dos 22 projetos vencedores desta edição do concurso espanhol. "(Os vencedores) mostram atitudes diferentes no modo de intervir sobre o patrimônio, a cidade e a paisagem com soluções inovadoras e qualificadas", explica o júri.

"Baseiam-se em ações que melhoram o entorno urbano e paisagístico dos locais, com propostas de acordo com as problemáticas e os recursos disponíveis, com capacidade para se tornar referências de um contexto e testemunho de seu tempo", justifica o júri em relação a sua decisão.

E os ganhadores são:

Casa Luz. Imagem © José HeviaHuertas de Caramoniña. Imagem © Hector Santos DiezNovo acesso ao centro histórico de Gironella. Imagem © Adrià GoulaCasa Chao. Imagem © Hector Santos-Díez+ 23

Escola de Vela de Sotogrande / Héctor Fernández Elorza + Carlos García Fernández

© Montse Zamorano © Montse Zamorano © Montse Zamorano © Montse Zamorano + 22

Fotografia e Arquitetura: Montse Zamorano

Nossa série Fotografia e Arquitetura apresenta desta vez a arquiteta espanhola Montse Zamorano que, após viver um ano em Xangai, decidiu se dedicar à fotografia de arquitetura. Atualmente Zamorano reside em Nova Iorque, onde faz o curso de Master in Branding na School of Visual Arts. Entre seus clientes de fotografia e vídeo estão alguns escritórios internacionais de renome, como Foster and Partners, Álvaro Siza e Héctor Fernández Elorza.

Restauro da Torre Árabe em Riba de Saelices / Ignacio Vila Almazán + Alejandro Vírseda Aizpún + José Ignacio Carnicero

 

© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano+ 34

Parque Veneza / Héctor Fernández Elorza + Manuel Fernández Ramírez

© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano+ 27

Edifício Administrativo da Prefeitura de Castilla y León / Sánchez Gil Arquitectos

© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano© Montse Zamorano+ 46

  • Arquitetos: Sánchez Gil Arquitectos
  • Área Área deste projeto de arquitetura Área:  30000
  • Ano Ano de conclusão deste projeto de arquitetura Ano:  2012

Faculdade de Biologia Celular e Genética / Héctor Fernández Elorza

© Montse Zamorano © Montse Zamorano © Montse Zamorano © Montse Zamorano + 18

Alcalá de Henares, Espanha