Denise Scott Brown e Robert Venturi, o casal por trás do pós-modernismo pop

Denise Scott Brown e Robert Venturi, o casal por trás do pós-modernismo pop

Através de suas teorias pioneira e obras provocadoras, o casal Robert Venturi (25 de junho de 1925 - 18 de setembro de 2018) e Denise Scott Brown (3 de outubro de 1931) ocuparam a vanguarda do movimento pós-moderno na arquitetura, liderando uma das mudanças mais significativas em nosso campo disciplinar no século XX, e publicando livros seminais como Complexidade e Contradição em Arquitetura (de autoria de Robert Venturi) e Aprendendo com Las Vegas (de Venturi, Scott Brown e Steven Izenour).

Nascidos, respectivamente, na Filadélfia e na Rodésia do Norte (atualmente Zâmbia), Venturi e Scott Brown se conheceram enquanto lecionavam na Universidade da Pensilvânia em 1960. Casaram-se em 1967 e em 1969 Scott Brown começou a trabalhar na empresa de Venturi – então chamada Venturi e Raunch – como sócia encarregada da área de planejamento. A empresa foi renomeada em 1980 para incluir o nome de Scott Brown e, novamente, em 1989, quando John Rauch decidiu sair do escritório, tornando-se Venturi, Scott Brown and Associates.

Vanna Venturi House / Robert Venturi. Imagem © Maria Buszek
Vanna Venturi House / Robert Venturi. Imagem © Maria Buszek

Em sua produção teórica, Venturi e Scott Brown assumiram uma posição nitidamente crítica em relação ao modernismo na arquitetura e na sociedade como um todo. Em seu livro de 1966, Complexidade e Contradição em Arquitetura, Venturi defendeu uma arquitetura mais eclética, pautada por referências históricas. Muitas vezes citado como seu "manifesto gentil", o livro constituiu base para o pós-modernismo e suas ideias fora, posteriormente, reforçadas e ampliadas no famoso Aprendendo com Las Vegas, obra incontornável para a história recente da arquietura, em que os autores analisam a influência dos signos da cultura pop na arquitetura e urbanismo norte-americano. 

Denise Scott Brown em  Las Vegas em 1966. Imagem dos arquivos de Robert Venturi and Denise Scott Brown © Robert Venturi
Denise Scott Brown em Las Vegas em 1966. Imagem dos arquivos de Robert Venturi and Denise Scott Brown © Robert Venturi

A arquitetura produzida pelo casal refletia essas questões. A Casa Vanna Venturi, por exemplo, que Robert Venturi projetou para sua mãe no início dos anos 60, referencia livremente as casas tradicionais tanto na aparência externa quanto em sua organização interna, com uma lareira no centro da planta. Em 1991, Robert Venturi recebeu, sozinho, o Prêmio Pritzker. O feito causou polêmica há alguns anos, com muitos arquitetos e arquitetas do mundo todo argumentando que Denise Scott Brown merecia ter recebido o prêmio juntamente com seu marido. Em 2013, após a participação de Scott Brown no evento Women in Architecture do AJ, foi iniciada uma petição exigindo que o Pritzker retificasse o que muitos viam como uma tremenda injusiça resultante de um julgamento sexista por parte da premiação.

Franklin Court, Filadélfia. Imagem © Mark Cohn
Franklin Court, Filadélfia. Imagem © Mark Cohn

Em 2012, Robert Venturi se aposentou devido à idade avançada e Scott Brown continuou representando o casal, publicando e apresentando o trabalho da dupla em eventos. O escritório passou a ser conhecido por VSBA e é dirigido por Daniel McCoubrey. Venturi faleceu em 18 de setembro de 2018, aos 93 anos de idade.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Stott, Rory. "Denise Scott Brown e Robert Venturi, o casal por trás do pós-modernismo pop" [Spotlight: Robert Venturi and Denise Scott Brown] 25 Jun 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/942383/denise-scott-brown-e-robert-venturi-o-casal-por-tras-do-pos-modernismo-pop> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.