Sibéria concreta: uma perspectiva única da arquitetura modernista soviética

Sibéria concreta: uma perspectiva única da arquitetura modernista soviética

Ao longo dos últimos anos, uma série de exposições, publicações e documentários têm revelado um crescente interesse à respeito da arquitetura modernista soviética, levando arquitetos do mundo todo a (re)descobrirem um dos principais e mais fascinante capítulos da história moderna da arquitetura. Recentemente publicado pela Zupagrafika, Concrete Siberia. Soviet Landscapes of the Far North é um livro fotográfico que vem ao encontro de tal interesse, lançando uma nova luz sobre um fenômeno ainda inexplorado ou até certo ponto desconhecido pela maioria dos nossos colegas arquitetos. Retratando alguns dos mais impressionantes edifícios construídos durante a segunda metade do século XX na então URSS, “Sibéria Concreta” apresenta uma perspectiva abrangente da atual situação do patrimônio soviético construído na região habitada mais fria e remota do planeta Terra. O livro apresenta um resumo completo não apenas das principais obras de arquitetura modernista construídas na Sibéria mas também da paisagem urbana de seis das mais importantes cidades da região: Novosibirsk, Omsk, Krasnoyarsk, Norilsk, Irkutsk e Yakutsk.

The Globus Theatre of Novosibirsk. Architects: M. Starodubov, A. Sabirov (Built in 1984). Image © ZupagrafikaMarins Park Hotel (former Hotel ‘Novosibirsk’) built in 1975. Image © ZupagrafikaState Circus of Krasnoyarsk (Built in 1971). Image © Zupagrafika‘Siberian Convict Way’ memorial complex in Krasnoyarsk (Built in 1978). Image © Zupagrafika+ 17

Norilsk is a Soviet-era monotown 300 km above the Arctic Circle. Image © Zupagrafika
Norilsk is a Soviet-era monotown 300 km above the Arctic Circle. Image © Zupagrafika

Com projeto gráfico desenvolvido pela Zupagrafika, uma editora e estúdio de design independente com sede na Polônia, Concrete Siberia nos convida à explorar e conhecer mais a fundo a arquitetura e a paisagem siberiana através das lentes do renomado fotógrafo russo Alexander Veryovkin. Fundada em 2012 por David Navarro e Martyna Sobecka, a Zupagrafika é uma editora apaixonada pela estética da arquitetura modernista européia do pós-guerra e suas publicações sobre o tema incluem outros fascinantes exemplares como Brutal Britain, Eastern Blocks e Panelki.

Neste último livro da série, a dupla procura promover uma visão mais minuciosa sobre a arquitetura e o urbanismo soviético:

Com a publicação de Sibéria Concreta, estamos procurando ampliar os nossos horizontes para promover uma compreensão mais abrangente sobre esta arquitetura que tanto nos fascina. Nos esforçamos para documentar estes edifícios das mais variadas formas, seja através de ilustrações ou fotografia. Muitos dos edifícios que apresentamos neste livro nunca haviam aparecido em nenhuma outra publicados anterior. Desta forma, acreditamos que, através deste esforço, estamos contribuindo para com a construção de um debate mais amplo sobre a atual condição da arquitetura modernista construída na Sibéria, convidando os arquitetos do mundo todo à explorar obras até então desconhecidas.

The Globus Theatre of Novosibirsk. Architects: M. Starodubov, A. Sabirov (Built in 1984). Image © Zupagrafika
The Globus Theatre of Novosibirsk. Architects: M. Starodubov, A. Sabirov (Built in 1984). Image © Zupagrafika

A arquitetura das principais cidades da Sibéria tem algo em comum que vai muito além da sua posição geográfica. A padronização é uma das características mais reconhecidas da arquitetura modernista e soviética, uma solução aplicada desde conjuntos habitacionais à edifícios públicos. E embora a maioria dos edifícios construídos na Sibéria durante a segunda metade do século XX tenham sido projetados em Moscou, por uma equipe de arquitetos que pouco ou quase nunca colocava os pés fora da capital, não podemos deixar de considerar a importante contribuição que alguns arquitetos locais deixaram para o desenvolvimento da arquitetura modernista soviética, os quais procuram adaptar e desenvolver soluções arquitetônicas mais coerentes com as condições climáticas extremas da região. Entre eles, podemos destacar Vladimir Pavlov e seu estilo arquitetônico inconfundível, e Vitaly Orekhov, responsável pelo projeto do Estádio Central de Krasnoyarsk.

State Circus of Krasnoyarsk (Built in 1971). Image © Zupagrafika
State Circus of Krasnoyarsk (Built in 1971). Image © Zupagrafika

O livro também pode ser visto como uma compilação de projetos de arquitetura em ambientes extremos. A série de fotografias para Sibéria Concreta foi um enorme desafio para o experiente fotógrafo Alexander Veryovkin. Entre as seis cidades visitadas por Veryovkin estão duas das localidades mais frias do planeta, Yakutsk e Norilsk, onde a temperatura facilmente chega a casa dos -30 graus Celsius. Os massivos blocos de concreto que protegem o centro da cidade de Norilsk dos fortes ventos siberianos são um lembrete do cenário extremo onde estas cidades foram construídas.

Entrance to the Oganer microrayon of Norilsk.. Image © Zupagrafika
Entrance to the Oganer microrayon of Norilsk.. Image © Zupagrafika

Desde a fundação da Zupagrafika, David e Martyna têm viajado pelos quatro cantos da Europa, fotografando e documentando algumas das principais obras de arquitetura modernista construídas durante o pós-guerra, descrevendo a sua experiência pessoal ao visitar estes lugares. O principal objetivo da dupla é oferecer um panorama mais abrangente sobre o patrimônio moderno construído na segunda metade do século XX, um fenômeno que tem despertado um interesse crescente de parte da comunidade de arquitetos mas que ao mesmo tempo, ainda é rejeitado pela maioria. Este admirável esforço empreendendo pela Zupagrafika está se provando fundamental para a disseminação de um outro olhar sobre a estética da arquitetura do pós-guerra, revelando suas ideologias e também deficiências, fornecendo assim elementos concretos para uma melhor análise e compreensão deste quimérico período da história da arquitetura.

‘Siberian Convict Way’ memorial complex in Krasnoyarsk (Built in 1978). Image © Zupagrafika
‘Siberian Convict Way’ memorial complex in Krasnoyarsk (Built in 1978). Image © Zupagrafika

Para nós, estes edifícios e paisagens apresentadas em nossos livros são uma espécie de anti-heróis da arquitetura moderna. Embora ainda hoje a grande maioria da população dos países do leste da Europa continuem morando em estruturas e bairros construídos durante o pós-guerra, muitas vezes, as pessoas olham para estas estruturas com certo ceticismo e desconfiança. Para nós, a repetição e suas  soluções técnicas e formais fazem destes edifícios estruturas únicas e em alguns casos, hipnóticas.

Para mais informações, acesse Concrete Siberia: Soviet Landscapes of the Far North ou visite o site da Zupagrafika.

Soviet decor on side elevations of a housing complex in Krasnoyarsk. Image © Zupagrafika
Soviet decor on side elevations of a housing complex in Krasnoyarsk. Image © Zupagrafika
State Musical Theatre in Omsk (Built in 1982). Image © Zupagrafika
State Musical Theatre in Omsk (Built in 1982). Image © Zupagrafika
Concrete Siberia book cover. Image © Zupagrafika
Concrete Siberia book cover. Image © Zupagrafika

Concrete Siberia: Soviet Landscapes of the Far North

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Cutieru, Andreea. "Sibéria concreta: uma perspectiva única da arquitetura modernista soviética" [A Rare View of Siberia's Soviet Architecture] 13 Jun 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/941212/siberia-concreta-uma-perspectiva-unica-da-arquitetura-modernista-sovietica> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.