Marrocos Moderno: uma nova arquitetura vernacular

Marrocos Moderno: uma nova arquitetura vernacular

© Fernando Guerra, FG+SG© Luc Boegly© Fernando Guerra, FG+SG© Doublespace Photography+ 12

A arquitetura moderna do Marrocos, a qual tem se desenvolvido rapidamente ao longo das últimas décadas devido ao recente desenvolvimento econômico do país, encontra-se profundamente enraizada nas tradições construtivas locais. Tendo o vernacular como principal fonte de inspiração, a arquitetura moderna marroquina assume a origem de seu próprio nome árabe al-maġhrib, ou seja “lugar onde o sol se põe; o oeste”. O Marrocos é um estado soberano com uma rica cultura arquitetônica e uma vasta história, contando com inúmeros e excepcionais exemplos de arquitetura tradicional islâmica.

© Fernando Guerra, FG+SG
© Fernando Guerra, FG+SG

Localizado no extremo norte da África, na região chamada de Magrebe, o Marrocos faz fronteira tanto com o Mar Mediterrâneo quanto com o Oceano Atlântico. Essa vasta paisagem litorânea e também montanhosa, se espalha por toda a extensão do deserto do Saara que, por sua vez, tem influenciado fortemente a arquitetura vernacular marroquina. Desde os tempos mais remotos, passando pelos povos nativos berberes, a arquitetura do país foi sendo moldada com enorme influencia do mundo árabe e mais recentemente pela influencia de países próximos como a Espanha, Portugal e a França. Com uma historia marcada por uma sucessão de dominações imperialistas, sendo colônia de diversos países, o Marrocos é uma nação independente desde 1956.

Além de seus antigos palácios e históricas mesquitas, a nova arquitetura marroquina tem florescido em cidades como Rabat e Casablanca, rompendo com as tradicionais técnicas e métodos construtivos mas profundamente conectada e elas. Em forma de resumo, compilamos uma lista de projetos recentemente construídos no Marrocos para que vocês, nossos leitores, possam ter uma ideia mais clara de como a arquitetura moderna marroquina tem se transformado ao longo dos últimos anos. A maioria destes projetos são edifícios públicos e construídos na última década. De museus e projetos educacionais a estações ferroviárias e centro de visitantes, estes objetos contemporâneos de arquitetura representam uma enorme diversidade tanto em programa quanto em escala. Edifícios inspirados na história e na cultura local assim como na paisagem e nos modos de vida, um passado que continua ressoando no presente.

Musée Yves Saint Laurent Marrakech por Studio KO

© Nicolas Mathéus
© Nicolas Mathéus

Dedicado ao trabalho do famoso estilista francês, o Museu Yves Saint Laurent de Marrakech (mYSLm) foi concebido para acolher a importante coleção de arte da Fundação Pierre Bergé. O acervo dedicado a Yves Saint Laurent conta com mais de 5.000 itens de vestuário, 15.000 acessórios de alta costura, além de dezenas de milhares de esboços e objetos variados. Situado na Rue Yves Saint Laurent, adjacente ao famoso Jardim Majorelle, o novo edifício ocupa mais de 4.000 m² e é mais do que apenas um museu. Possui um espaço de exposição permanente de 400 m², mostrando o trabalho de Yves Saint Laurent em uma cenografia original projetada por Christophe Martin; espaço para exposições temporárias de 150 m², auditório com 130 lugares, livraria, café-restaurante com terraço e biblioteca de pesquisa com 5.000 livros.

Volubilis Visitor Center por OUALALOU+CHOI

© Luc Boegly
© Luc Boegly

Implantado dentro da zona arqueológica mais visitada do Marrocos, o projeto do Centro de Visitantes de Volubilis foi inspirado no significado histórico e simbólico desta paisagem única, declarada patrimônio mundial da humanidade pela UNESCO. A zona arqueológica de Volubilis é um exemplo excepcionalmente bem preservado de uma antiga cidade colonial romana. Concebido com a finalidade de chamar pouca atenção e direcionar as vistas dos visitantes para as ruínas do sítio arqueológico, o volume do museu foi encostado na encosta, praticamente incrustado no terreno para que os visitantes sequer percebam a sua presença quando chegam ao local.

Estação Ferroviária de Kenitra por Silvio d’Ascia Architecture + Omar Kobbité Architectes

© Takuji Shimmura
© Takuji Shimmura

A Estação Ferroviária de Kenitra foi imaginada como um porta-jóias, um volume cuja estrutura triangular remete a formas tradicionais encontradas na arquitetura vernacular, reinterpretando os tradicionais muxarabis marroquinos de forma a criar um edifício intimamente conectado com a cultura e a paisagem local. A chegada do Trem de Alta Velocidade a Al Boraq está associada ao progresso socioeconômico e tecnológico da região, a estação por sua vez, será como um símbolo do recente desenvolvimento econômico do país.

Wall of Knowledge Middle School por Tarik Zoubdi Architect e Mounir Benchekroun Architect

© Doublespace Photography
© Doublespace Photography

“Wall of knowledge” é um projeto de escola de ensino médio na cidade de El Jadida (100 km ao sul de Casablanca). A escola foi construída para os filhos dos funcionários da OCP. A forma irregular do terreno e sua orientação fez com que os arquitetos optassem por uma distribuição espacial em três zonas independentes. Na porção central, no coração do bairro, encontra-se o programa de ensino da escola, se destacando dos demais edifícios para se tornar uma nova referência urbana para a cidade de El Jadida. Ao norte encontram-se as instalações esportivas enquanto que ao sul, o espaço foi reservado para uma futura ampliação da escola.

Pré-escola Bio-climática por BC Architects

Cortesia de BC Architects
Cortesia de BC Architects

Concebida para atender a crescente demanda por infraestruturas educacionais no país, a Pré-Escola Bio-Climática foi idealizada pela fundação Goodplanet e construída como uma ampliação de um edifício escolar pré-existente. Formalmente, o edifício foi inspirado na arquitetura vernacular marroquina, utilizando materiais e técnicas locais, assim como formas contemporâneas, alto desempenho bio-climático e tecnologia contra terremotos. A Pré-Escola Bio-Climática de Ouled Merzoug conta com um sistema de fundação em pedra, paredes de adobe e um telhado plano de madeira e terra.

Guelmim Airport por Groupe3 Architectes

© Fernando Guerra, FG+SG
© Fernando Guerra, FG+SG

O novo Aeroporto de Guelmim encontra-se integrado a uma infraestrutura militar existente localizada três quilômetros ao norte da cidade. O objetivo dos arquitetos era construir um edifício simples, eficiente e sustentável. Pensando nisso, o edifício foi construído em duas etapas, resultando em dois volumes lineares paralelos que margeiam as pistas de decolagem e aterrisagem do aeroporto. O edifício principal é composto por dois salões de pé direito duplo que abrigam as salas de espera, completamente abertas para a paisagem de um lado e para as pistas do outro. As suas amplas fachadas de vidro são protegidas por sistemas de sombreamento de fachada que filtram a luz do sol e proporcionam melhores condições de ventilação do edifício.

Universidade Politécnica Mohammed VI por Ricardo Bofill

© Gregori Civera
© Gregori Civera

Benguerir é uma cidade próxima de Marrakesh, Fes e Meknes não estão longe, cidades cujas sinuosas medinas estão entre as mais belas do mundo.
E podemos ignorar as avenidas brancas de Casablana, moldadas pelo movimento Art Deco? Os jardins de Rabat? Os oásis do Vale Draa? O ksour e os palácios de terra ao sul do Atlas? Não. É impossível construir em solo marroquino como se faria na China ou no deserto de Las Vegas.

Universidade de Taroudant por Saad El Kabbaj + Driss Kettani + Mohamed Amine Siana

© Fernando Guerra, FG+SG
© Fernando Guerra, FG+SG

Cidade secular com uma forte identidade cultural, o estilo arquitetônico de Taroudant, repleto de história, é uma expressão da paisagem do profundo sul marroquino. A Faculdade Multidisciplinar de Taroudant é uma tentativa de reinterpretar essa herança através de um edifício que carrega uma visão de futuro. Assim, este projeto inspira-se na terra e as suas manifestações aos sentidos. Esta leitura tenta evitar as armadilhas de clichês, mantendo a partir do contexto somente sua essência. Foi desta inspiração do Sul que se recupera a solidez, a força, o claro e escuro e austeridade poética. Para este efeito, o projeto conta com uma série de princípios arquitetônicos e urbanos através de um concepção onde o interior e exterior se mesclam, as escalas variam e onde o usuário e arquitetura são um só.

Publicado originalmente em 29 de novembro de 2019.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Baldwin, Eric. "Marrocos Moderno: uma nova arquitetura vernacular" [Modern Morocco: Building a New Vernacular] 05 Dez 2020. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/929281/marrocos-moderno-uma-nova-arquitetura-vernacular> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.