Terreno da Expo 67 será reurbanizado em Montreal

Terreno da Expo 67 será reurbanizado em Montreal

O projeto de reurbanização do Parc Jean-Drapeau em Montreal é um sinal de que a capital da província de Quebec está comprometida em resgatar e revalorizar seus mais importantes marcos urbanos. Depois de décadas de omissão por parte da administração local, um dos principais parques urbanos de Montreal - onde encontra-se edificada a icônica cúpula geodésica projetada por Buckminster Fuller em 1967 e uma escultura em escala urbana criada por Alexander Calder - será reurbanizado e devolvido à população como um novo e importante espaço de encontro e socialização para a comunidade local.

O tecido urbano da cidade de Montreal, talvez mais do que qualquer outra cidade canadense, foi profundamente alterado e transformado durante a segunda metade do século XX. A Exposição Internacional de 1967, popularmente conhecida como Expo 67, fez com que a cidade de Montreal ficasse mundialmente famosa, recebendo um número recorde de visitantes. A Expo 67 foi a feira mundial de maior sucesso do século 20 e provocou um boom na construção civil que se estendeu até o final da década de 1970.

© Lemay© Marc Cramer© Marc Cramer© Lemay+ 18

A Île-Sainte-Hélène, em frente ao famoso Porto Velho de Montreal, foi o principal palco da feira internacional de 1967, transformando-se em um ícone do pujante desenvolvimento urbano da cidade, alçando uma antiga capital de província ao patamar de metrópole mundial emergente. As disputas políticas durante as décadas de 1980 e 1990 e a sucessão de governos nacionalistas do Parti Québécois deixaram o local da feira mundial de 67 em uma situação de completo descaso até o momento em que foi transformado em parque. Muitas das estruturas originais construídas para a feira de 67 não sobreviveram a falta de manutenção e acabaram desaparecendo mais cedo ou mais tarde, com duas excessões: a cúpula geodésica de Fuller— agora conhecida como Biosphere— e a monumental Trois de Calder. Muito perto dali, outro ícone de Montreal, o projeto habitacional Habitat 67 de Moshe Safdie, resistiu bravamente aos anos de descaso até ser recentemente reformado e devolvido a seu estado original.

© Marc Cramer
© Marc Cramer

No contexto da comemoração do 375º aniversário de fundação da cidade, a prefeitura de Montreal encomendou uma série de projetos urbanos com o objetivo de compensar a negligencia das gestões públicas anteriores. Como parte do programa de reurbanização de Montreal, o Parc Jean-Drapeau será completamente remodelado segundo projeto desenvolvido pela empresa local Lemay. Incorporando o icônico projeto de Moshe Safdie, o projeto de reurbanização cumpre com um objetivo não apenas prático, mas também ideológico, devolvendo a cidade de Montreal ao seu patamar de metrópole internacional.

© Marc Cramer
© Marc Cramer

A principal característica do projeto de reurbanização do antigo Parc Jean-Drapeau é a inserção de uma nova alameda central que conectará a escultórica estrutura de Fuller, a monumental escultura de Calder às margens do rio Saint Lawrence, criando um novo percurso didático através do parque. O projeto também propõe a restauração do antigo anfiteatro com capacidade para 65.000 pessoas e uma nova passarela à beira-rio. Atento ao legado modernista do parque, todas as novas intervenções procuram ecoar o vocabulário comum das principais estruturas concebidas para a Expo 67.

“O principal objetivos do projeto de reurbanização do parque era conectar a cúpula de Bucky e a escultura de Calder, proporcionando um percurso didático para os visitantes que se deslocam até Montreal para conhecer estas icônicas estruturas”, disse Andrew King, sócio e diretor do Lemay. “Trata-se de amarrar as estruturas de 67 com parque aquático existente, incorporando sob uma mesma linguagem os diferentes elementos desta paisagem construída e natural; criando uma sucessão de eventos, uma sequência topográfica e criando novos percursos pelo site.”

© Marc Cramer
© Marc Cramer

Três novos pavilhões foram projetados para acomodar um café, um centro de informações, banheiros públicos e uma sala de máquinas de apoio ao anfiteatro. As formas obtusas dos pavilhões— com revestimentos metálicos que simulam dobraduras de origami— integram-se facilmente à paisagem do parque e suas histórias estruturas.

A equipe do Lemay procurou incorporar a identidade gráfica da Expo 67 ao novo cenário urbano do parque. Os arquitetos se apropriaram do logotipo da feira em forma de Y além do padrão triangular da cúpula geodésica de Fuller para definir as linhas e os revestimentos utilizados no parque. Um novo mobiliário urbano, também inspirado no projeto original dos anos 60, foi especialmente projetado para o parque segundo uma abordagem mais sustentável: os bancos foram executados em madeira de carvalho canadense— escolhido por sua durabilidade e resistência a água da chuva e o sol— entanto que o concreto foi executado utilizando restos de vidro reciclado.

“Como incorporar as principais ideias de 67 e ainda assim propor uma abordagem contemporânea para o novo parque urbano de Montreal? Esse foi o nosso maior desafio,” disse King, acrescentando que a acessibilidade foi uma das principais preocupações para o projeto de reurbanização do Parc Jean-Drapeau. “Estamos tentando devolver este lugar histórico para os moradores de Montreal, tornando-o mais alegre e convidativo ao mesmo tempo que procuramos compensar a falta de investimento e manutenção ao longo das últimas décadas.”

Este artigo foi originalmente publicado em Metropolismag.com.

Galeria de Imagens

Ver tudoMostrar menos
Sobre este autor
Cita: Rita Lobo. "Terreno da Expo 67 será reurbanizado em Montreal " [A New Landscape in Montreal Weaves Together Icons of the City’s Expo 67] 29 Nov 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Libardoni, Vinicius) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/929058/terreno-da-expo-67-sera-reurbanizado-em-montreal> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.