Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Artigos
  3. Como a iluminação afeta o humor?

Como a iluminação afeta o humor?

Como a iluminação afeta o humor?
Como a iluminação afeta o humor?, Un chico, su bulldog, un huerto y la casa que comparten / HUSOS. Image © José Hevia
Un chico, su bulldog, un huerto y la casa que comparten / HUSOS. Image © José Hevia

É muito provável que você esteja lendo esse texto em um espaço fechado e com as luzes ligadas. Com o nosso atual estilo de vida, é comum passarmos a maior parte dos dias em salas fechadas realizando nossas tarefas diárias banhados pela soma de luzes artificiais e naturais. Ao mesmo tempo que as luzes artificiais trouxeram infinitas e incalculáveis possibilidades à humanidade, elas também causaram uma certa confusão ao nosso corpo, que se adaptou por milhares de anos a responder aos estímulos da luz do sol e à escuridão da noite. Trata-se do Ritmo ou Ciclo circadiano, que designa o período de aproximadamente 24 horas que se baseia o ciclo biológico de quase todos os seres vivos, influenciado sobretudo pela luz recebida, mas também pela temperatura e outros estímulos.

Ribo Fashion Group Zhimei Research and Development Center / A3 VISION. Image © Schram Image William Grant & Sons Ideation Space / Design Plus. Image © Vibhor Yadav Option Coffee Bar / TOUCH Architect. Image © Metipat Prommomate HofmanDujardin Office Villa / HofmanDujardin. Image © Matthijs van Roon + 17

Studio 45 / Marston Architects. Image © Katherine Lu
Studio 45 / Marston Architects. Image © Katherine Lu

O nosso relógio natural localiza-se na parte do cérebro chamada hipotálamo, e vincula-se a fotorreceptores (como da retina) pelo corpo que sincronizam o relógio interno com as luzes absorvidas durante os dias. O entendimento do Ciclo Circadiano é imprescindível pois ele afeta os ritmos do corpo humano, influenciando no sono, humor, no estado de vigília, na digestão, no controle da temperatura e até na renovação das células. Pesquisas mostram que um volume adequado de luz diariamente melhora os níveis de humor e energia, enquanto que a iluminação insuficiente contribui para a depressão e diversas outras carências no corpo. A quantidade e o tipo de iluminação afetam diretamente a concentração, o apetite, a disposição, etc.

Option Coffee Bar / TOUCH Architect. Image © Metipat Prommomate
Option Coffee Bar / TOUCH Architect. Image © Metipat Prommomate

Mas como ter um ritmo circadiano saudável se passamos a maior parte do tempo em ambientes com luz artificial? E se a última coisa que fazemos antes de dormir e a primeira ao acordar é checar o telefone celular? E como os arquitetos podem tornar os ambientes mais saudáveis por meio da iluminação? Estudiosos do tema mostram que o ideal é tentar mimetizar o natural com as luzes artificiais. Por exemplo, luzes brilhantes e mais fortes são melhores para as manhãs e para o decorrer do dia, enquanto é interessante estar exposto a luzes fracas são boas à noite. O contrário disso pode causar um ritmo circadiano confuso, mexer com seus horários de sono ou dificultar a busca de energia ao longo do dia. Um estudo da Universidade de Toronto mostrou que luzes fortes "intensificam a reação emocional inicial que temos a um estímulo, e os efeitos disso podem tanto positivos como negativos.

Cepario Biosiembra / Estudio Felipe Escudero. Image © JAG Studio
Cepario Biosiembra / Estudio Felipe Escudero. Image © JAG Studio

A temperatura da cor também influencia muito a nossa percepção. A unidade de medida é o Kelvin (K) e quanto mais alto o valor, mais clara e fria é a tonalidade de cor da luz. Quando falamos em luz quente ou fria, não estamos nos referindo ao calor físico da lâmpada, e sim à tonalidade de cor que ela irradia ao ambiente. Luzes quentes tornam os ambientes mais aconchegantes e relaxantes; enquanto luzes mais claras tornam o ambiente mais estimulante, nos fazem sentir mais alertas, mais concentrados e podem aumentar os níveis de produtividade. Acredita-se também que a luz azul reduz os níveis do hormônio melatonina que nos faz sentir sonolento, ou seja, você se sente mais acordado. As telas de computadores e celulares emitem muita luz azul. Portanto, aquela última checada no email já deitado na cama pode tornar seu sono menos restaurador. Ainda sim, se usada com inteligência, pode ser ótimo para locais onde a mente deve estar funcionando a todo vapor, como salas de reunião, cozinhas industriais e mesmo fábricas, onde se espera que todos estejam focados no trabalho.

Big Small Coffee + B&B / Office AIO. Image © Yu Cheng
Big Small Coffee + B&B / Office AIO. Image © Yu Cheng
Casa 1014 / H Arquitectes. Image © Adrià Goula
Casa 1014 / H Arquitectes. Image © Adrià Goula

Já as tonalidades amarelas (a parte mais baixa da escala de cor) referem-se mais ao entardecer e ao amanhecer, portanto quando o corpo geralmente está mais relaxado. E isso faz total sentido se pensarmos que até pouco tempo atrás os seres humanos não eram realmente expostos a luzes de alta intensidade durante a noite, mas à luz do fogo e da lua. Iluminações fracas, indiretas e quentes tendem a deixar os ambientes mais calmos, e as pessoas mais relaxadas. Enquanto isso pode não ser tão bom para um ambiente de trabalho que necessite de eficiência e produtividade, pode ser uma escolha acertada para um restaurante, uma área de descanso ou um quarto.

Option Coffee Bar / TOUCH Architect. Image © Metipat Prommomate
Option Coffee Bar / TOUCH Architect. Image © Metipat Prommomate

Especialistas são unânimes ao afirmar que passar algum tempo recebendo luz do sol diariamente e evitar estar exposto a tanta luz fria e azul próximo da hora de dormir pode melhorar a qualidade de seu sono e afetar positivamente o seu bem-estar e produtividade. Por mais que seja impossível tentar controlar a iluminação de todos os ambientes e espaços que você passará durante os dias, ter a consciência dos impactos da iluminação sobre o corpo pode te fazer pensar duas vezes ao comprar aquela lâmpada em promoção no supermercado.

La Caja, un loft en Tel Aviv / Toledano+Architects. Image © Amit Geron
La Caja, un loft en Tel Aviv / Toledano+Architects. Image © Amit Geron

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Eduardo Souza. "Como a iluminação afeta o humor?" 05 Ago 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/922281/como-a-iluminacao-afeta-o-humor> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.