Palladium Nighclub de Arata Isozaki, pelas lentes de Timothy Hursley

Palladium Nighclub de Arata Isozaki, pelas lentes de Timothy Hursley

Em maio de 1985, um antigo teatro e sala de concertos abriu suas portas ao público para a inauguração de uma boate em Nova Iorque. O projeto fora encomendado pelos empresários Steve Rubell e Ian Schrager, proprietários do também famoso clube Studio 54, e foi concebido como uma estrutura independente, vibrante e luminosa instalada dentro de uma envoltória bastante clássica, que serviu como belo pano de fundo para as geometrias de Isozaki.

De acordo com o New York Times em sua edição de 20 de maio de 1985: “Arata Isozaki é ao mesmo tempo uma grande eminência da arquitetura japonesa e fonte de alguns de seus pensamentos mais recentes. E todas as facetas do Sr. Isozaki estão visíveis no Palladium."

© Timothy Hursley© Timothy Hursley© Timothy Hursley© Timothy Hursley+ 14

A grande grade ortogonal tinha uma certa espessura, criando uma composição de caixas iluminadas e empilhadas que emolduravam a pista de dança central e definiam uma série de desníveis para encontro e descanso dos visitantes. Como resultado da remodelação, o antigo e o novo contrastam dramaticamente, sem perder a sua beleza e integridade, melhorando as suas qualidades espaciais e ornamentais para compor um todo provocante e vibrante. Em seus muitos cantos, o espaço incluiu obras de artistas como Jean-Michel Basquiat, Kenny Scharf, Keith Haring e Francesco Clemente.

Infelizmente, a boate foi fechada em 1997 e, algum tempo depois, demolida. Hoje, o local é endereço de uma residência para estudantes da Universidade de Nova Iorque.

“É raro um arquiteto célebre projetar uma boate, ainda mais quando esse tipo de projeto serve como estréia em um país no qual ele está começando a ter uma boa reputação. É como se Philip Johnson fosse para o Japão projetar não um arranha-céu, mas uma casa de gueixas", acrescentou ironicamente o jornal, celebrando a ousadia de Isozaki ao concluir um de seus primeiros trabalhos nos EUA.

O fotógrafo Timothy Hursley compartilhou conosco uma impressionante série de imagens do The Palladium, mostrando não só a espetacularidade de sua arquitetura, mas também seu sucesso enquanto espaço de entretenimento dos nova-iorquinos nos anos 80 e 90.

© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
Artista: Francesco Clemente. Imagem © Timothy Hursley
Artista: Francesco Clemente. Imagem © Timothy Hursley
Artista: Francesco Clemente. Imagem © Timothy Hursley
Artista: Francesco Clemente. Imagem © Timothy Hursley
Artista: Jean-Michel Basquiat. Imagem © Timothy Hursley
Artista: Jean-Michel Basquiat. Imagem © Timothy Hursley
Artista: Kenny Scharf. Imagem © Timothy Hursley
Artista: Kenny Scharf. Imagem © Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
Artista: Keith Haring. Imagem © Timothy Hursley
Artista: Keith Haring. Imagem © Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley
© Timothy Hursley

Referência
Paul Goldenberg. (May 20, 1985). The Palladium: An Architecturally Dramatic New Discotheque. March, 2019, The New York Times: https://www.nytimes.com/1985/05/20/nyregion/an-appraisal-the-palladium-an-architecturally-dramatic-new-discotheque.html 

Sobre este autor
Cita: Franco, José Tomás. "Palladium Nighclub de Arata Isozaki, pelas lentes de Timothy Hursley" [Arata Isozaki's Palladium Nighclub Through the Lens of Timothy Hursley] 07 Mar 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/912789/palladium-nighclub-de-arata-isozaki-pelas-lentes-de-timothy-hursley> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.