O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Como são montados os jardins verticais?

Como são montados os jardins verticais?

Como são montados os jardins verticais?

Há cerca de trinta anos o paisagista francês Patrick Blanc tornou-se pioneiro na implantação de jardins verticais em Paris e posteriormente, em outras cidades pelo mundo. Por meio da criação de estruturas verticais capazes de comportar e nutrir espécies vegetais, o sistema permite que espécies possam crescer e ainda reduzir consideravelmente a temperatura interna de edifícios quando instaladas em suas fachadas, possibilitando expansão de áreas verdes pela inversão de suas áreas, do solo (horizontal) às empenas (vertical).

A prática de Blanc trouxe um conjunto de ações posteriores, reconhecendo os valores dos espaços verdes e sua contribuição às políticas sociais, ambientais e urbanas.

Cingapura, Londres e São Paulo têm estimulado a prática como significativo meio à qualidade da vida urbana.

Como são montados os jardins verticais?, © Matheus Pereira
© Matheus Pereira

Na cidade de São Paulo, por exemplo, o Movimento 90° fundado em 2013 por Guil Blanche, já é responsável pela construção de cerca de 16 mil metros quadrados de área verde, através de uma série de jardins verticais pela cidade, especialmente na Avenida 23 de Maio, com 10.950 metros quadrados e nas empenas de edifícios ao longo do Elevado João Goulart, popularmente conhecido como “Minhocão”, com 4.180 metros quadrados.

Na prática, um conjunto de ações é disposto na melhoria ambiental, como a reciclagem de resíduos sólidos, redução térmica interna dos edifícios, parcial despoluição do ar pela captura de CO² e reuso de água coletada da chuva, utilizando-a para a rega das espécies vegetais.

© Felipe Gabriel Via Movimento 90°. ImageEdifício Santa Cruz
© Felipe Gabriel Via Movimento 90°. ImageEdifício Santa Cruz

Se por um lado há o verde e espécies pré-definidas invadindo a paisagem cinzenta, por outro, há novas espécies incorporadas, pelas sementes e dejetos depositados por pássaros e insetos, como resultado da interação ecológica.

O sistema passou a ser incentivado após a implementação do decreto 55.994, na gestão passada da prefeitura paulistana. O artigo prevê que os parques verticais podem ser utilizados como compensação de obras que impactem o ecossistema, através de Termo de Compromisso com a Secretaria do Verde e Meio Ambiente, em ações como o plantio de árvores no terreno, coberturas verdes e jardins verticais. A atual gestão municipal de São Paulo vem construindo um enorme jardim vertical na Avenida 23 de Maio, ainda que o Ministério Público já tenha manifestado preocupação quanto ao assunto, inclusive ajuizando uma ação pública a proibir a Prefeitura de SP de autorizar a construção de jardins verticais como forma de compensação ambiental.

Ainda assim, seja na escala urbana ou na menor escala, podemos ser contribuintes da implementação do sistema. Aprenda abaixo como montar seu próprio jardim vertical.

© Felipe Gabriel Via Movimento 90°. ImageEdifício Santos
© Felipe Gabriel Via Movimento 90°. ImageEdifício Santos

Materiais

a. Chapa ecológica | b. Espaçadores | c. Duas mantas de feltro de alta densidade | d. Agulha e barbante | e. Mangueiras | f. Conexões | g. Gotejador | h. Timer | i. Abraçadeiras | j. Terra adubada | h. Espécies vegetais.

© Gabriela Di Bella Via Movimento 90°. ImageAvenida 23 de Maio
© Gabriela Di Bella Via Movimento 90°. ImageAvenida 23 de Maio

Passo a passo

1.Comece recortando uma das mantas de feltro em retângulos. As medidas são variáveis, de acordo com as espécies escolhidas para compor seu jardim vertical, menores ou maiores, entre 25 e 40 centímetros.

© Matheus Pereira
© Matheus Pereira

2. Prenda os recortes na segunda manta, costurando-os. Utilize linhas mais grossas ou barbante, preferencialmente, já que as bolsas receberão terra e plantas.

3. Prenda o painel em feltro de alta densidade na chapa ecológica. Prenda o painel criado na parede utilizando os espaçadores, para que não haja infiltração.

© Matheus Pereira
© Matheus Pereira

4. Após a instalação do quadro, conecte as mangueiras por meio das conexões. Lembre-se que as mangueiras devem ser furadas a cada 25 ou 30 centímetros, instalando os gotejadores e dispostos de modo linear, para irrigar as plantas de modo homogêneo. Ainda no sistema, conecte o Timer na saída d’água (torneira), e controle-o, para que este libere a água em dado período de tempo.

© Matheus Pereira
© Matheus Pereira

5. Insira terra adubada e muda das espécies vegetais escolhidas uma a uma, em cada uma das bolsas de feltro.

Pronto, suas plantas cresceram, e em meses, encherão toda a a parede, fazendo que a mesma aparente camada vegetal homogênea. 

Espécies

As espécies escolhidas para compor o jardim vertical devem ser escolhidas com cuidado, isso devido ao índice de insolação e sombreamento que o painel receberá.

Áreas com sol pleno

  1. Alecrim (Rosmarinus officinalis)
  2. Aloé (Aloe Arborescens)
  3. Aspargo-pluma (Asparagus densiflorus)
  4. Barba-de-serpente (Ophiopogon jaburan)
  5. Brilhantina (Pilea microphylla)
  6. Clorofito (Chlorophytum comosum)
  7. Clusia (Clusia Fluminensis)
  8. Colar-de-pérolas (Senecio rowleyanus)
  9. Flor-de-coral (Russelia equisetiformis)
  10. Geranium (Pelargonium Hortorum)
  11. Hera-inglesa (Hedera helix)
  12. Lambari-roxo (Tradescantia zebrina)
  13. Manjerona Selvagem (Origanum Majorana)
  14. Maria sem vergonha (Impatiens Walleriana)
  15. Orquídea-grapete (Spathoglottis unguiculata)
  16. Liríope (Liriope spicata)
  17. Tilândsia (Tillandsia sp)
  18. Trapoeraba-roxa (Tradescantia pallida purpúrea)
  19. Vedélia (Sphagneticola Trilobata)

Áreas de meia sombra

  1. Antúrio (Anthurium andraeanum)
  2. Aspidistra (Aspidistra Elatior)
  3. Asplênio (Asplenium nidus)
  4. Babosa-de-pau (Philodendron martianum)
  5. Barba-de-sepente (Ophiopogon jaburan)
  6. Bromélia (Guzmania sp)
  7. Columéia-peixinho (Nematanthus wettsteinii)
  8. Chuva-de-ouro (Oncidium sp)
  9. Dedo-de-moça (Sedum morganianum)
  10. Falenópsis (Phalaenopsis x hybridus)
  11. Flor-batom (Aeschynanthus radicans)
  12. Flor-de-maio (Schlumbergera truncata)
  13. Liríope (Liriope spicata)
  14. Lumina (clorofito-lumina)
  15. Maranta cascável (Calathea insignis)
  16. Maanta peluda (Calathea insignis)
  17. Peperômia (Peperômia scandens)
  18. Rabo-de-gato (Acalypha reptans)
  19. Ripsális (Rhipsalis bacífera)
  20. Samambaia (Nephrolepis exaltata)
  21. Vriésia (Vriesea sp)

© Helena Wolfenson Via Movimento 90°. ImageAvenida 23 de Maio
© Helena Wolfenson Via Movimento 90°. ImageAvenida 23 de Maio

Áreas sombreadas

  1. Aglaonema (Aglaonema spp)
  2. Espada de São Jorge (Sansevieria trifasciata)
  3. Filodendro (Philodendron cascata)
  4. Filodendro (Philodendron martianum)
  5. Filodendro (Philodendron undulatum)
  6. Filodendro (Philodendron xanadu)
  7. Lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisii)

©Via Movimento 90°. ImageEdifício Santos
©Via Movimento 90°. ImageEdifício Santos

Cuidados

  1. Nutra as plantas e adube a terra.
  2. Escolha as espécies adequadas ao clima em questão.
  3. No inverno, o ideal é nutrir as plantas com produtos orgânicos.
  4. Não se esqueça de verificar a bateria do Timer, trocando-as quando necessário e garantindo a irrigação das espécies vegetais.

Faça você também! Ideia simples, porém eficiente, contribuindo para redução dos poluentes do ar e sonoros, além da composição da paisagem.

Referências

Jardins verticais. Disponível em: <http://movimento90.com/jardins-verticais/>. Acesso em 29 setembro 2017.
Parques verticais. Disponível em: <http://movimento90.com/parquesverticais/>. Acesso em 29 setembro 2017.
Vertical Garden Patrick Blanc. Disponíevel em: <https://www.verticalgardenpatrickblanc.com/>. Acesso em 30 Setembro 2017.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Matheus Pereira
Autor
Cita: Matheus Pereira. "Como são montados os jardins verticais?" 16 Out 2017. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/880962/como-sao-montados-os-jardins-verticais> ISSN 0719-8906