O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Documentário sobre Freddy Mamani explora a conexão entre arquitetura e identidade cultural

Documentário sobre Freddy Mamani explora a conexão entre arquitetura e identidade cultural

  • 07:00 - 8 Outubro, 2017
  • por
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Documentário sobre Freddy Mamani explora a conexão entre arquitetura e identidade cultural
Documentário sobre Freddy Mamani explora a conexão entre arquitetura e identidade cultural, © Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário

No dia 4 de outubro, o Festival de Cinema de Arquitetura de Roterdã foi palco da estreia mundial do documentário Cholet: The Work of Freddy Mamani. Do diretor Isaac Niemand, o filme conta a história do improvável fenômeno da arquitetura da Bolívia, que figurou na lista do ArchDaily de líderes, projetos e personalidades mais inspiradores da arquitetura em 2015.

Ao longo do filme, os ritmos de Moby, juntamente com os sons da natureza no altiplano boliviano, diminuem sutilmente o ruído cotidiano para elevar os telespectadores a uma realidade alternativa em El Alto, a cidade mais alta do mundo. O filme começa com vistas cuidadosamente emolduradas de El Alto e a voz de um homem que fala Aymaran, uma das línguas ameaçadas do povo indígena dos Andes. Neimand usa apresentações peculiares contra a transição cortada e o foco automático para centrar a atenção dos telespectadores.

© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário

Quanto mais você conhecer o El Alto antes de ver este filme, mais fácil será transportar-se completamente para o altiplano e entender o significado do trabalho de Mamani no contexto de seu clima político, cultural e econômico. El Alto é uma cidade em rápido crescimento com vista para a capital da Bolívia, La Paz. Historicamente, o status econômico nas duas cidades estava diretamente relacionado à elevação geográfica de uma pessoa: os moradores mais ricos moravam no vale abaixo e El Alto era uma favela deplorável acima. Na medida em que fazendeiros e mineiros se mudavam para El Alto, a dinâmica começou a sofrer transformações. Ao longo do tempo, a identidade de El Alto tornou-se uma das defensoras do comércio livre.

Cortesia de Architecture Film Festival Rotterdam
Cortesia de Architecture Film Festival Rotterdam

A identidade é um tema-chave no filme. Em primeiro lugar, Mamani não é apresentado em relação ao seu status ou realizações arquitetônicas, mas sim pela sua ascendência: ele é Aymaran. Ser Aymaran traz uma sensação de humildade e, uma e outra vez, o filme nos lembra o estilo de vida simples de Mamani. Quando criança, ele tinha que caminhar durante uma hora para chegar até a escola. Ele conduz uma pickup azul da Toyota. Usa jeans empoeirados, camisa xadrez e tênis normais. Ele come um "almoço simples" em um restaurante com cadeiras de plástico e mesas que anunciam a Coca-Cola. E ele tem dois filhos. Em uma cena, Mamani mostra a seus filhos como procurar seus trabalhos no Google e lhes diz, "Tudo isso é o que construímos".

© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário

© Isaac Niemand via captura de tela do documentário © Isaac Niemand via captura de tela do documentário © Isaac Niemand via captura de tela do documentário © Isaac Niemand via captura de tela do documentário + 32

O trabalho de Mamani é inspirado em sua própria cultura e iconografia, juntamente com a cultura de seus antepassados, os povos Tiwanaco. Quando solicitado por um apresentador de rádio qual a relevância de seu trabalho para o mundo aymara, Mamani responde: "[O meu trabalho] é uma restauração [de] nossos valores. Uma recuperação de nossa identidade ".

© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário

El Alto é basicamente tijolo, com algumas construções sobreviventes de adobe. Agora, fora esta abundância de tijolos monótonos estão mais de 60 dos Cholets de Mamani, e muitas cópias, atuando como símbolos da cidade energética e ininterrupta que eles ocupam. Assim como a própria cidade, o trabalho de Mamani é descrito como rebelde e individualista. No filme, Mamani explica aos espectadores a fórmula para seus edifícios de uso múltiplo: usualmente, as lojas habitam o nível da rua, acima das quais estão dois pavimentos de espaços de eventos sociais, seguidos de dois pavimentos de apartamentos rentáveis, todos coroados pelo Cholet, onde os clientes de Mamani vivem.

© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário

Evidentemente, Mamani não escapa às críticas e a identidade se torna uma fonte de controvérsia mais de uma vez. Gastón Gallardo, reitor da faculdade onde Mamani estudou, a Universidad Mayor de San Andrés (UMSA), interrompe o filme para nos lembrar que Mamani não é um arquiteto certificado, mas sim, um engenheiro de construção e engenharia civil. Gallardo chama o trabalho de Mamani de "mais decoração do que a arquitetura", e entre outros profissionais entrevistados no filme, ele não acredita que o trabalho de Mamani faça referência à ascendência de Tiwanaco. Enquanto isso, Jedú Sagárnega, antropólogo e arqueólogo da UMSA, insiste que, enquanto o povo Aymaran acredita que são descendentes de povos Tiwanaco, as duas culturas são completamente separadas e não relacionadas.

© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário
© Isaac Niemand via captura de tela do documentário

Ainda não é possível afirmar se o trabalho de Mamani realmente deriva de sua ascendência. Independentemente disso, Mamani transformou idiossincraticamente a faceta de uma cidade indígena. O documentário de Niemand nos desafia a pensar sobre o que é considerado uma verdadeira "arquitetura" - de onde vem essa validação? Mamani pode não ser um arquiteto licenciado, mas as pessoas de La Paz chamam o trabalho de Mamani de "arquitetura de Aymaran", e quando as pessoas pesquisam sobre arquitetura Aymaran, agora ou no futuro, descobrirão suas criações. Ao contar a história de Mamani entre as instantâneas da vida de Aymaran, a música, a lutas Cholitas em saias andinas com multi-camadas, os têxteis, o mercado ao ar livre, o sistema Mi Teleférico e mais - Niemand apresenta a conclusão de que o trabalho de Mamani é parte integrante da identidade cultural de Aymaran. Depois de centenas de anos, o povo Aymaran de El Alto finalmente tem um estilo arquitetônico que reflete seu espírito e do qual eles podem se orgulhar.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Lindsey Leardi
Autor
Cita: Leardi, Lindsey. "Documentário sobre Freddy Mamani explora a conexão entre arquitetura e identidade cultural" [New Documentary on Freddy Mamani Explores the Connection Between Architecture and Cultural Identity] 08 Out 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Sbeghen Ghisleni, Camila) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/880951/documentario-sobre-freddy-mamani-explora-a-conexao-entre-arquitetura-e-identidade-cultural> ISSN 0719-8906