1. ArchDaily
  2. Freddy Mamani

Freddy Mamani: O mais recente de arquitetura e notícia

Assista ao documentário completo sobre a obra de Freddy Mamani no Youtube

Dirigido por Isaac Niemand, o documentário Cholet: The Work of Freddy Mamani aborda o trabalho do singular arquiteto boliviano, eleito pelo ArchDaily como "uma das personalidades que mais nos inspiraram" em 2015.

Documentário sobre Freddy Mamani explora a conexão entre arquitetura e identidade cultural

No dia 4 de outubro, o Festival de Cinema de Arquitetura de Roterdã foi palco da estreia mundial do documentário Cholet: The Work of Freddy Mamani. Do diretor Isaac Niemand, o filme conta a história do improvável fenômeno da arquitetura da Bolívia, que figurou na lista do ArchDaily de líderes, projetos e personalidades mais inspiradores da arquitetura em 2015.

Freddy Mamani e o surgimento de uma nova arquitetura andina na Bolívia

Resgatada pela arquiteta Elisabetta Andreoli e pela artista Ligia D’andrea no livro “Arquitetura andina da Bolívia”, a invasão midiática desta arquitetura, com a mão de Freddy Mamani -um ex-pedreiro que se tornou engenheiro e construtor- converteu-se na desculpa perfeita para falar sobre tudo no país altiplano: as carências e luxos de uma rápida expansão urbana dispersa no El Alto, a cidade mais jovem da Bolívia; o nascimento de uma nova burguesia aimara diante da indiferença da elite branca; e o nascimento de uma identidade arquitetônica contemporânea que incomoda puristas e enche de orgulho os aimaras, mas que é rejeitada pelas escolas locais de arquitetura.

Confira a seguir o artigo sobre esta nova arquitetura, juntamente com as fotografias de Alfredo Zeballos.

Os líderes, projetos e personalidades mais inspiradores da arquitetura em 2015

5.000 câmeras 3D para preservar a arquitetura de um país em guerra. Uma equipe de arquitetos latinoamericanos que adentram os bairros mais conflituosos da Venezuela para projetar e construir equipamentos públicos junto à comunidade. Um arquiteto legendário que soube entender e aplicar na arquitetura as transformações da tecnologia nos últimos 50 anos. Esses são alguns projetos, iniciativas e pessoas que provaram ser líderes em 2015.

A equipe editorial de ArchDaily gostaria de reconhecer esses projetos por seu compromisso em promover práticas em arquitetura que atendem a muitas pessoas, em todos os cantos do mundo –da Bolívia a Londres, de Chicago a Veneza, de equipamentos públicos em favelas a terminais de drones na África. Essas são as histórias que nos inspiraram em 2015, e cuja influência esperamos continuar a ver em 2016.

Freddy Mamani: "Não é arquitetura exótica, mas uma arquitetura andina que transmite identidade"

Freddy Mamani, arquiteto boliviano, focou sua carreira na construção. Quando criança, passava suas férias brincando com os montes de brita. cimento e areia com os quais trabalhava seu pai. De pedreiro, interessou-se em dar um passo além e acabou estudando engenharia, construção e, recentemente, arquitetura. Aos 42 anos, já ergueu mais de 60 obras em El Alto, local onde mora e é reconhecido por aquilo que denomina "arquitetura andina", uma incipiente definição marcada pela presença de cores vibrantes e elementos geométricos tomados emprestados da cultura Tiahuanaco, antecedente do Império Inca.

Na ocasião do Mês do Desenho, organizado pelo Consejo Nacional de la Cultura y las Artes, conversamos com Freddy Mamani, que nesta entrevista explica as principais referências na construção dessa linguagem local e argumenta contra as críticas do establishment boliviano, incluindo universidade e grêmios.

Freddy Mamani: Não é arquitetura exótica, mas uma arquitetura andina que transmite identidadeFreddy Mamani: Não é arquitetura exótica, mas uma arquitetura andina que transmite identidadeFreddy Mamani: Não é arquitetura exótica, mas uma arquitetura andina que transmite identidadeFreddy Mamani: Não é arquitetura exótica, mas uma arquitetura andina que transmite identidade+ 5