O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Pavilhão é projetado para retornar à natureza, degradando-se após cumprir sua função

Pavilhão é projetado para retornar à natureza, degradando-se após cumprir sua função

Pavilhão é projetado para retornar à natureza, degradando-se após cumprir sua função
Pavilhão é projetado para retornar à natureza, degradando-se após cumprir sua função, © Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja

Os edifícios de concreto que construímos são um sinal de progresso arquitetônico? Os projetos de habitação em extinção, os shopping centers abandonados e os projetos urbanos pouco conhecidos são mais frequentemente condenados a uma vida de vazio após cumprir sua finalidade. O concreto permanece e se transforma em uma lembrança persistente do que antes era um símbolo da ambição moderna. Os estádios e seus legados, em particular, estão sob alto escrutínio de como suas estruturas gigantes acabaram depois do fim dos jogos, com poucos estádios olímpicos que realizam transições de sucesso na vida cotidiana. Com uma nova abordagem para a sustentabilidade, o pavilhão Shell Mycelium faz parte de um manifesto para uma tomada mais crítica sobre a construção civil. Segundo os arquitetos: "Criticamos essas escolhas políticas inconscientes, através dos edifícios vivos, que surgem da natureza e retornam à natureza, como se nunca tivessem existido".

O Shell Mycelium Pavillion é uma colaboração entre BEETLES 3.3 e Yassin Areddia Designs e oferece uma alternativa ao design consciente através de estruturas temporárias. Localizado no espaço do Projeto MAP no Armazém Holandês, o pavilhão formou parte da Bienal de Kochi Muziris 2016 na Índia. Leia mais para obter mais informações dos arquitetos:

© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja

Dos arquitetos: Em uma era de selvas de concreto e cidades superlotadas, a degradabilidade, a sustentabilidade e a responsabilidade passam a ser parte da responsabilidade da arquitetura. É uma inovação no campo da biologia e da arquitetura, um conceito que enfatiza a necessidade da temporariedade. Uma maneira de imitar a natureza para forjar nosso caminho futuro, onde a existência questiona a permanência. O micélio é a parte vegetativa de um fungo como cogumelos e está sendo promovido pela primeira vez na Índia.

© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja

Plantando uma semente

"A arquitetura é um sinal permanente em qualquer território. Durante grandes eventos como os Jogos Olímpicos, exposições, Copas do Mundo da Fifa, são construídas múltiplas estruturas. Na maioria dos casos, as estruturas construídas são permanentes, fazendo uso de materiais de construção pesada. levando a muitas dificuldades práticas de demolição e eliminação. Muitas das estruturas são erguidas como um sinal da prosperidade e da força da economia de uma nação e as cidades pagam inconscientemente o preço. No final do evento, depois que o mundo inteiro dançou e comemorou, a cidade continua a ser um corpo com cicatrizes, sem vida. A cidade está devastada e a cidade fantasma deixada por trás leva décadas para se metabolizar. Criticamos essas escolhas políticas inconscientes, com edifícios vivos que surgem da natureza e retornam à natureza, como embora nunca tenham existido".

© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja
Diagrama Explodido
Diagrama Explodido

Criando raízes

O movimento de degradação na arquitetura sustenta o biológico, a lógica de uma necessidade degradável.

© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja

© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja

A instalação é específica para o local, o que significa que não apenas a área de exibição foi considerada, mas a mão-de-obra local e os materiais também. Começou-se com pesquisas em uma fazenda local de cogumelos. As experiências levaram à seleção do cogumelo certo e ao estudo dos seus padrões de crescimento. A estrutura de madeira para a instalação do Shell Mycelium foi projetada para se sentar no degradante armazém holandês. A abertura foi um convite para explorar e a estrutura foi projetada para se desintegrar de acordo com seu design. A estrutura foi então coberta por uma fibra de coco que continha o fungo. Após alguns dias, o micélio cresceu e formou uma cobertura nevada sobre a estrutura. A camada superior morreu devido à luz solar e formou uma concha que protege as camadas inferiores. À medida que a Bienal chegou ao fim, a estrutura lentamente começou a desintegrar-se, enquanto os visitantes curiosos a experienciavam.

Montagem dos Paineis
Montagem dos Paineis
Detalhe das conexões da madeira
Detalhe das conexões da madeira
© Krishna & Govind Raja
© Krishna & Govind Raja

Uma instalação viva que mostra que tudo o que nasceu deve crescer e depois morrer.

"O pavilhão é feito de esporos e a estrutura de madeira forma o terreno para cultivo. O micélio come, funde-se com ele, transforma-o e cresce através dele. O pavilhão será um edifício que, depois de nascer, crescerá junto com seus visitantes e morrerá quando seu propósito for cumprido. O único restante deixado para trás é a experiência que resta dele. - Degradation Movement

Escritório: BEETLES 3.3 - Yassin Areddia Designs
Arquitetos principais:  Giombattista Areddia, Asif Rahman, Mohamad Yassin
Ano de Finalização: 2017
Área bruta construída: 80 m2   
Colaboradores: arch. Nikhil Ommen Mani
Equipe Beetles 3.3 architecture: Andrea, Riji, Albin, Aswathy, Yasin, Aneesh, Usha, Amina Zulfi 
Construção: Baboy
Carpinteiros: Ansen e Viju
Apoio na Construção: Rohit Thomas
Fotografias: Krishna & Govind Raja

Ver a galeria completa

Cita: Syed, Sabrina . "Pavilhão é projetado para retornar à natureza, degradando-se após cumprir sua função" [This Pavillion Lives and Dies Through Its Sustainable Agenda] 11 Set 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/879435/pavilhao-e-projetado-para-retornar-a-natureza-degradando-se-apos-cumprir-sua-funcao> ISSN 0719-8906