O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Quão agressiva pode ser a arquitetura em relação ao espaço público e aos moradores de rua

Quão agressiva pode ser a arquitetura em relação ao espaço público e aos moradores de rua

Quão agressiva pode ser a arquitetura em relação ao espaço público e aos moradores de rua
Quão agressiva pode ser a arquitetura em relação ao espaço público e aos moradores de rua, Bench outside St. Paul's Cathedral, London. Image Cortesia de James Furzer
Bench outside St. Paul's Cathedral, London. Image Cortesia de James Furzer

Nos últimos anos, a comunidade arquitetônica se tornou fortemente envolvida, tanto de forma positiva como negativa, com a questão global crônica da falta de moradia. Em resposta, James Furzer, do Spatial Design Architects, realizou uma análise fotográfica explorando formas defensivas de desenho urbano. Usando a tipologia de bancos públicos em Londres, Furzer documenta dispositivos públicos que atuam como dissuasores para os moradores de rua, basicamente negando um direito à cidade para aqueles que não têm escolha senão estar lá.

East India bench, London. Image Cortesia de James Furzer Tower Hill bench, London. Image Cortesia de James Furzer Bench outside the Royal Courts of Justice, London. Image Cortesia de James Furzer Canary Wharf Station bench, London. Image Cortesia de James Furzer + 12

Reveal bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Reveal bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Camden bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Camden bench, London. Image Cortesia de James Furzer

Usando os bancos públicos de Londres como um tema fotográfico, Furzer revela uma qualidade de dissuasão subjacente que pode passar despercebida pelo usuário cotidiano. Em particular, ele documenta o "banco de Camden", um premiado projeto de mobiliário urbano encomendado pelo bairro de Londres de Camden, cuja proposta de projeto era influenciar o público e restringir o comportamento indesejável. Composto por concreto aparente e um quadro de aço, a forma angular do banco cria uma base desconfortável para aqueles que ali pretendem dormir. Como Furzer explica:

Canary Wharf Station bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Canary Wharf Station bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Bench outside the Royal Courts of Justice, London. Image Cortesia de James Furzer
Bench outside the Royal Courts of Justice, London. Image Cortesia de James Furzer

Há uma necessidade da arquitetura e do espaço público abordarem a questão dos sem-teto. Exemplos de bancos como o banco de Camden, e os bancos diretamente do Palácio de Justiça de Londres, mostram o descumprimento dos deveres do arquiteto, escondido atrás da justificativa de funcionalidade.

Tower Hill bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Tower Hill bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Tower Hill bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Tower Hill bench, London. Image Cortesia de James Furzer

A análise fotográfica de Furzer enquadra-se num contexto mais amplo de dispositivos urbanos concebidos para dissuadir a pernoite. Como argumentou o escritor do The Guardian, Alex Andreou, uma mentalidade "o que os olhos não vêem o coração não sente" dentro da política britânica e de outros países ocidentais resultou em dispositivos como os infames "espetos anti-moradores de rua" que impedem a ocupação prolongada.

East India bench, London. Image Cortesia de James Furzer
East India bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Tower Hill bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Tower Hill bench, London. Image Cortesia de James Furzer

Evidentemente, devemos agora lidar com a realidade de que, em sociedades que afirmam ser democráticas, livres e responsáveis, itens tão acessíveis como um banco público são usados como ferramenta para destratar os habitantes mais vulneráveis de nossas cidades.

Thames bench, London. Image Cortesia de James Furzer
Thames bench, London. Image Cortesia de James Furzer

Via: Spatial Design Architects.

Como a "arquitetura defensiva" está criando cidades inabitáveis

Para muitos, as duras transformações ocorridas na cidade moderna não são aparentes. Vemos bancos e pontos de ônibus que se disfarçam de abrigo, mas o mergulho repentino do escritor Alex Andreou, do The Guardian, na vida de rua abriu seus olhos para a hostil realidade dessas e outras estruturas.

Cidade francesa instala grades contra moradores de rua em volta de bancos

Uma cidade ao sudoeste da França chamou a atenção da mídia na noite de Natal por instalar grades em volta de bancos de rua para impedir que moradores de rua os utilizassem para dormir.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Niall Patrick Walsh
Autor
Cita: Walsh, Niall. "Quão agressiva pode ser a arquitetura em relação ao espaço público e aos moradores de rua" 23 Mar 2017. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/867618/quao-agressiva-pode-ser-a-arquitetura-em-relacao-ao-espaco-publico-e-aos-moradores-de-rua> ISSN 0719-8906