O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Por que a arquitetura corajosa do BIG deve ser celebrada e premiada

Por que a arquitetura corajosa do BIG deve ser celebrada e premiada

Por que a arquitetura corajosa do BIG deve ser celebrada e premiada
Por que a arquitetura corajosa do BIG deve ser celebrada e premiada, © Kirsten Bucher
© Kirsten Bucher

Hoje, no Deutsches Architekturmuseum, Bjarke Ingels e o BIG receberam o International Highrise Award para o Via 57 West, seu "edifício-pátio" em Manhattan. O seguinte discurso, que foi traduzido do alemão original por Clara Jaschke, foi pronunciado pelo crítico de arquitetura e curador Bart Lootsma no evento.

Fiquei realmente encantado quando Peter Cachola Schmal me chamou para perguntar se eu entregaria a menção para Bjarke Ingels e BIG na edição deste ano do International Highrise Award.

Justo no fim de semana anterior, pensei se deveria escrever algo sobre o BIG. Durante semanas, projetos espetaculares e interessantes estavam surgindo, um após o outro, nas páginas do Facebook de Bjarke, Kai-Uwe Bergmann e algumas outras.

© Kirsten Bucher
© Kirsten Bucher

Projetos residenciais inovadores, Parque Superkilen e o Usina de Reciclagem Amager Bakke em Copenhague, a Sede do Google em Mountain View na Califórnia, o Hyperloop entre Dubai e Abu Dhabi, Big U e, claro, o Via 57 West em Nova York, que acabou de ser premiado este ano com o International Highrise Award.

Ele foi fotografado fabulosamente de cima por Iwan Baan, enquanto o edifício estava sendo iluminado pelos últimos raios de sol do dia. Vimos também no filme Aspekte como o edifício se destaca entre as estruturas da paisagem de Manhattan.

BIG produz imagens que são instantaneamente impressas no cérebro - o que não quer dizer que os projetos sejam simples. Além do fato de que a atividade que ocorre nesses edifícios seja complexa em si, BIG está ansioso para garantir que os projetos sejam equipados com uma complexidade própria. Por mais claros que sejam os conceitos, é sempre possível encontrar desvios e exceções que enriquecem o todo e dão espaço ao indivíduo.

© Kirsten Bucher
© Kirsten Bucher

BIG não é apenas Bjarke Ingels. Atualmente, o escritório tem cerca de duzentos funcionários e sócios como Kai-Uwe Bergmann e Jakob Lang, que atuam independentemente. O escritório busca regularmente colaborações com outros, incluindo arquitetos e artistas cuja maneira de trabalhar é completamente diferente da sua.

Para Superkilen eles trabalharam igualmente com os arquitetos paisagistas de Topotek 1, o coletivo de arte Superflex, e com os moradores locais; para o Google, trabalharam com Thomas Heatherwick; para o Hyperloop, entre outros, com Elon Musk e Ove Arup, e assim por diante.

Vou arriscar um palpite: que fui convidado a entregar este elogio porque escrevi SuperDutch, um bestseller internacional na arquitetura na Holanda na década de 90, há 15 anos. Como acontece, há de fato um par de laços que ligam BIG ao pragmático tomar o touro pelos chifres e a afirmação de uma segunda modernidade pelo povo holandês na época. Bjarke Ingels trabalhou para Rem Koolhaas no OMA, por exemplo, na Biblioteca de Seattle.

© Kirsten Bucher
© Kirsten Bucher

Enquanto isso, Bjarke e BIG desenvolveram-se e trabalharam em projetos em todo o planeta. Ao contrário dos escritórios de arquitetura do passado, BIG tem sido internacional desde o início. Trabalham sobre as grandes questões, desafios e possibilidades do nosso tempo: globalização, sustentabilidade, coerência social, tecnologia e inovação.

Bjarke Ingels está listado entre os 100 indivíduos mais influentes na revista Time este ano. Em relação a isso, Rem Koolhaas contribui com um texto no qual ele se identifica como amigo. Ainda mais importante, porém, é que ele enfatiza que Bjarke representa um tipo completamente novo de arquiteto que é um ajuste perfeito para o atual Zeitgeist. "[Ele] é o primeiro grande arquiteto," Koolhaas escreve, "que desconectou completamente a profissão da angústia. Ele jogou fora o reator e ascendeu". Eu nunca ouvi Rem falar tão generosamente de outro arquiteto.

Com esta caracterização, é notável que Bjarke Ingels seja premiado com o International Highrise Award aqui na Alemanha. Porque aqui, intenções teóricas, Zeitgeist e medo produziram os projetos utópicos do expressionismo. Hoje, no entanto, projetos de grande escala são por vezes considerados utópicos na Alemanha e na Europa, e produzem um medo que define o Zeitgeist.

© Kirsten Bucher
© Kirsten Bucher

Bjarke Ingels e BIG mostram que podemos voltar a entrar no universo de grandes ideias - na verdade, que talvez tenhamos que fazê-lo - e que é realmente possível que tais imaginações sejam realizadas.

Eles descaradamente têm um departamento chamado Grandes Ideias.

Este departamento, entre outros projetos, trabalha com a conexão do Hyperloop entre Dubai e Abu Dhabi, onde em 2020, pequenas cáppsulas irão parar para nós quando quisermos, e cobrir as distâncias a uma velocidade de 700 quilômetros por hora.

© Kirsten Bucher
© Kirsten Bucher

A qualidade dos projetos de Bjarke Ingels e BIG, em grandes partes, não decorrem da maneira como eles parecem, mas sim de como eles são criados e o que eles atingem.

Bjarke gosta de usar o termo "bigamia" para um método empregado pelo BIG, porque dois fenômenos, por vezes bem conhecidos, mas inteiramente diferentes, são regularmente reunidos para produzir algo novo e desconhecido - como o desenvolvimento perimetral e o arranha-céu no Via 57 West.

© Kirsten Bucher
© Kirsten Bucher

E isso não só considera a coisa, o objeto, mas sim, essencialmente, uma forma de engenharia social que é iniciada pelo edifício. Essa engenharia social não tem um final pré-definido.

É um processo criativo que, de certa forma, coincide com a abordagem de Byung-Chul Han ao interpretar uma forma de inovação que emerge de Shanzhai, que a partir do ato de copiar produtos bem conhecidos, ocorre uma espécie de processo evolutivo com muitos participantes ocorre através de mal-entendidos ou pequenas melhorias.

© Kirsten Bucher
© Kirsten Bucher

A coisa excepcional sobre Bjarke Ingels e BIG é que nunca aparenta que eles estão perdendo o chão. Às vezes, o seu trabalho lembra um dito de Otto Neurath, de que somos como barqueiros que têm que remodelar o navio em mar aberto sem nunca ter a possibilidade de desmontá-lo em um cais e reconstruí-lo a partir das melhores partes.

Kai-Uwe Bergmann descreve BIG e Bjarke como uma "mistura de 'ser social' escandinavo, verve mediterrânico e americano Can-Do-Spirit. (...) Por um lado, somos moldados por uma responsabilidade social que não é sentida da mesma forma nos EUA ", diz ele,"e ao mesmo tempo, por outro lado, por um 'Can-Do-ness' que está faltando um pouco na Europa. "

Assim, vemos que no Via 57 West, 20% dos apartamentos, 142 unidades, são leiloados como unidades de aluguel a preços acessíveis para pessoas que ganham um máximo de 30-50.000 dólares.

© Kirsten Bucher
© Kirsten Bucher

Estes aluguéis baixos no Via 57 West não diminuíram, como acabamos de ver, o grande investimento em instalações que permitem uma vida comunitária de que só se pode sonhar, mesmo em Viena.

Isso é mais do que incrível em uma cidade onde, não muito longe, em Hudson Yards, o preço inicial para um apartamento de um dormitório é de 1,95 milhões de dólares.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Bart Lootsma
Autor
Cita: Lootsma, Bart. "Por que a arquitetura corajosa do BIG deve ser celebrada e premiada" [Why BIG's Fearless Architecture Should Be Awarded and Celebrated] 04 Nov 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/798735/por-que-a-arquitetura-corajosa-do-big-deve-ser-celebrada-e-premiada> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.