O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Centro De Esqui
  4. Áustria
  5. Zaha Hadid Architects
  6. 2002
  7. Clássicos da Arquitetura: Rampa de Esqui Bergisel / Zaha Hadid Architects

Clássicos da Arquitetura: Rampa de Esqui Bergisel / Zaha Hadid Architects

Clássicos da Arquitetura: Rampa de Esqui Bergisel / Zaha Hadid Architects
Clássicos da Arquitetura: Rampa de Esqui Bergisel / Zaha Hadid Architects, © Helene Binet
© Helene Binet

Situado no cume da Montanha Bergisel, sobre a pitoresca cidade alpina de Innsbruck, Áustria, a Rampa de Esqui Bergisel representa a encarnação contemporânea de um marco histórico. Projetado por Zaha Hadid entre 1999 e 2002, o edifício é um estudo de expressão formal: suas linhas fluidas e estética minimalista criam um senso de graça e movimento de alta velocidade, refletindo a sensação dinâmica de um salto de esqui em uma estrutura monumental que se destaca acima do centro histórico de Innsbruck e das encostas das montanhas ao redor.

© Helene Binet via Zaha Hadid Architects via Zaha Hadid Architects © Helene Binet + 27

via Zaha Hadid Architects
via Zaha Hadid Architects

A rampai foi um objeto no topo da Montanha Bergisel desde sua primeira construção em 1926. Foi sede de duas competições Olímpicas de Inverno - em 1964, e depois novamente em 1976. Mesmo fora de serviço como sede olímpica, a instalação recebia uso constante; os agendamentos eram tão concorridos, de fato, que as autoridades locais da cidade só puderam autorizar um ano entre a demolição da antiga estrutura e a abertura da nova. [1]

Em 1999, Innsbruck iniciou um projeto para reformar a envelhecida arena olímpica. Como a instalação de salto de esqui original já não estava em conformidade com as normas internacionais contemporâneas, considerou-se necessário construir uma substituta. A nova instalação iria fornecer uma maior variedade de funções que sua antecessora: juntamente com o programa especializado esportivo, a instalação incluía novos espaços públicos, compreendendo uma plataforma de visualização e um café. [2] Para além destes requisitos programáticos, a Federação Austríaca de Esqui procurou criar mais do que uma peça de infraestrutura atlética. Eles buscavam um novo monumento. [3]

via Zaha Hadid Architects
via Zaha Hadid Architects

Com estas especificações em mente, a Federação Austríaca de Esqui organizou um concurso internacional em 1999, e Zaha Hadid Architects recebeu o primeiro prêmio em dezembro do mesmo ano. [4] A proposta de Hadid era enorme, medindo 90 metros de comprimento e elevando-se quase 50 metros sobre o pico da Montanha Bergisel Apesar de suas dimensões, no entanto, o Salto de esqui foi projetado para mesclar-se perfeitamente com a montanha: os vários requisitos programáticos foram moldados em uma única massa, mínima, com a rampa de esqui continuando a inclinação da montanha. [5]

via Zaha Hadid Architects
via Zaha Hadid Architects

Hadid descreveu seu projeto como um "híbrido orgânico" entre uma torre e uma ponte. [6] A torre é um alto volume de concreto, formando um quadrado de sete metros em planta. [7] Dois elevadores transportam os visitantes a partir da base da torre para o café, que está situado a 40 metros por sobre o pico da montanha. O café faz parte do volume espacial maior em balanço no topo da torre, que funde os espaços públicos e a rampa de esqui em um todo visualmente coeso. [8] A plataforma de observação fornece uma visão ininterrupta em todas as direções, permitindo que os visitantes observem tanto o centro de Innsbruck como os Alpes circundantes, a partir de um único espaço. [9]

A articulação dos diferentes componentes do projeto como uma única massa contínua, ininterrupta, não foi ditada pelo programa; nem foi puramente concebida como uma confirmação visual da hibridação de uma torre e uma ponte. Uma rampa de esqui é um local de extraordinária velocidade e até mesmo voos. É este o espírito do movimento que informa a forma fluida do projeto de Hadid, que encarna a natureza dinâmica do esporte a que serve. [10]

Infelizmente, ainda que o projeto minimalista do Hadid tenha capturado o espírito de movimento, ele não foi universalmente aceito. Alguns moradores rejeitaram a noção de ter um edifício descaradamente moderno pairando sobre a sua cidade; Innsbruck era, em sua maior parte, uma cidade alpina enfaticamente tradicional. [11]

O mal-estar em torno proposta do Hadid foi, talvez, esperado em Innsbruck, cujas ruas estão repletas de edificações que remontam às ricos origens medievais da cidade. Capital do ducado austríaco do Tirol desde 1420, Innsbruck é salpicada com monumentos de sua história. A maioria dos marcos mais importantes da cidade, como o edifício Fürstenburg, já existem há séculos. Introduzir uma torre de concreto e vidro com vista para as torres medievais da zona histórica de Innsbruck foi visto por alguns como incongruente [12]

© Helene Binet
© Helene Binet

Apesar da oposição, a construção procedeu dentro do cronograma e a nova Rampa de Esqui foi aberta ao público em 2002. Como sua antecessora, a nova unidade tornou-se locus para atividade constante: recebe competições anuais e nos verões é local de treino para muitos esquiadores de renome mundial. Outros visitantes podem simplesmente apreciar a vista da plataforma de observação, ou optarem por assistir os atletas do esqui ou simplesmente observar o entorno montanhoso. [13]

via Zaha Hadid Architects
via Zaha Hadid Architects

References
[1] Jodidio, Philip. Zaha Hadid: Hadid: Complete Works 1979-2009. Köln: Taschen, 2009. p159.
[2] Noever, Peter, ed. Zaha Hadid Architektur. Vienna: Hatje Cantz Verlag, 2003. p119.
[3] Jodidio, p159.
[4] Noever, p119.
[5] Papadakis, Alexandra, ed. Zaha Hadid. London: New Architecture Group Limited, 2005. p145.
[6] "Bergisel Ski Jump." Zaha Hadid Architects. Acessado em 25 de Abril de 2016. (link)
[7] Jodidio, p159.
[8] "Bergisel Ski Jump."
[9] "Bergisel Ski Jump." Austria. Acessado em 27 de Abril de 2016. (link)
[10] Noever, p159-160.
[11] Noever, p159.
[12] Encyclopædia Britannica Online, s. v. "Innsbruck", Acessado em 27 de Abril de 2016. (link)
[13] "Bergisel Ski Jump Innsbruck." Tirol. Acessado em 27 de Abril de 2016. (link)

Ver a galeria completa

Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: Fiederer, Luke. "Clássicos da Arquitetura: Rampa de Esqui Bergisel / Zaha Hadid Architects" [AD Classics: Bergisel Ski Jump / Zaha Hadid Architects] 17 Out 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/797460/classicos-da-arquitetura-rampa-de-esqui-bergisel-zaha-hadid-architects> ISSN 0719-8906