O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Onde estão as pessoas e o transporte na cidade de São Paulo?

Onde estão as pessoas e o transporte na cidade de São Paulo?

Onde estão as pessoas e o transporte na cidade de São Paulo?
Onde estão as pessoas e o transporte na cidade de São Paulo?, © ITDP Brasil
© ITDP Brasil

São Paulo é a maior metrópole brasileira e é necessário que avance no planejamento de sua rede de transporte integrado ao planejamento do território e de sua ocupação. A análise a seguir foi produzida em parceria do ITDP Brasil com o WRI Cidades para incentivar o debate sobre a agenda de mobilidade urbana e transporte público na cidade de São Paulo.

Para que as pessoas possam se deslocar com eficiência e conforto e estejam dispostas a reduzir o uso do automóvel, São Paulo precisa oferecer uma vasta rede integrada de transporte público de qualidade, composta por metrô, trem, monotrilho, BRT e corredores de ônibus, entre outros.

Uma rede tem boa cobertura quando é capaz de suprir as necessidades de deslocamento de toda a população da cidade. Para entender como a população paulistana pode ser melhor atendida por uma rede de transporte público, utilizamos o indicador PNT (sigla para o termo em inglês People Near Transit). O indicador mostra o percentual de habitantes que vive próximo a estações de transporte e considera distâncias que podem ser percorridas em um tempo de 10 a 15 minutos de caminhada ou de bicicleta.

Como foi feito o cálculo para São Paulo?

  • O PNT foi calculado, para o deslocamento a pé, a partir da quantidade de pessoas que moram em um raio de 1 km de distância de estações de trem, metrô, monotrilho e BRT, e na área de cobertura de 500 m de distância ao longo dos corredores de ônibus.
  • Já no cálculo do PNT de bicicleta considerou-se a população que reside em um raio de 3 km de distância das estações de trem, metrô, monotrilho e BRT, e a 1,5 km de distância ao longo dos corredores de ônibus.

© ITDP Brasil
© ITDP Brasil

A rede de transporte público de qualidade é insuficiente para atender toda a população de São Paulo. A cidade é uma das mais populosas do mundo e tem um PNT por acesso a pé baixo, de apenas 25%. Se até 2025 as metas previstas nos planos forem implementadas, o PNT por acesso a pé praticamente triplica e chega a 70%. São Paulo terá 1.300 km de redes de transporte público distribuídos da seguinte forma:

  • 184 km metrô
  • 64 km monotrilho
  • 195 km trem
  • 857 km BRT e corredores de ônibus

© ITDP Brasil
© ITDP Brasil

São Paulo terá um PNT por acesso a pé próximo ao de cidades com melhor oferta de transporte público hoje, como Nova Iorque.

  • 44% Jacarta
  • 47% Rio de Janeiro
  • 48% Cidade do México
  • 60% Pequim
  • 77% Nova Iorque
  • 100% Paris

© ITDP Brasil
© ITDP Brasil

Como a bicicleta pode contribuir para melhorar os deslocamentos?

A integração da bicicleta com outros modos de transporte é fundamental para facilitar o acesso das pessoas ao transporte público. Quando há possibilidade de integração entre a bicicleta e o transporte, nota-se um aumento significativo no número de pessoas que passam a estar a uma distância acessível das estações. Com a ampliação da rede, o PNT de bicicleta passaria de 74% em 2015 para 97% em 2025.

E quem vive mais próximo do transporte?

Ao analisar o acesso ao transporte para diferentes faixas de renda observamos que o percentual das pessoas com renda acima de três salários mínimos, que vive perto do transporte, é maior.  Se todo o sistema for implementado até 2025, a cobertura da parcela da população com renda mais baixa será altamente ampliada. O PNT por acesso a pé passaria de 18% para 61%, ou seja, mais que triplicaria.

O que precisa ser feito em São Paulo para elevar o PNT e reduzir a desigualdade de acesso ao transporte público?

© ITDP Brasil
© ITDP Brasil

  • Expandir as redes de transporte público e cicloviária e garantir que o transporte esteja disponível também para as pessoas que moram a maiores distâncias do centro da cidade;
  • Promover o adensamento ao longo da rede de transporte e no entorno das estações nas regiões menos ocupadas para desenvolver novas centralidades e diminuir as necessidades de longos deslocamentos;
  • Implementar habitação de interesse social nas proximidades do transporte público e garantir que pessoas com menores faixas de renda também tenham acesso às oportunidades da cidade;
  • Qualificar as redes de transporte promovendo a integração física, tarifária, operacional e de informação entre os diferentes modos de transportes.

Quanto mais pessoas vivem próximas às estações de transporte, melhor é o acesso aos bens, serviços e empregos oferecidos na cidade. Assegurar o acesso ao transporte público é uma das formas de garantir o direito a uma cidade justa e sustentável.

Sobre este autor
ITDP Brasil
Autor
Cita: ITDP Brasil. "Onde estão as pessoas e o transporte na cidade de São Paulo?" 07 Out 2016. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/796872/onde-estao-as-pessoas-e-o-transporte-na-cidade-de-sao-paulo> ISSN 0719-8906