O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias de Arquitetura
  3. REBOOT, proposta vencedora para o Pavilhão do Uruguai na Bienal de Veneza 2016

REBOOT, proposta vencedora para o Pavilhão do Uruguai na Bienal de Veneza 2016

REBOOT, proposta vencedora para o Pavilhão do Uruguai na Bienal de Veneza 2016
REBOOT, proposta vencedora para o Pavilhão do Uruguai na Bienal de Veneza 2016, REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío
REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío

O júri do concurso para o Pavilhão do Uruguai na Bienal de Veneza 2016, composto por Bernardo Martín, Emilio Nissivocia ​e Patricia Bentancur, selecionou recentemente como proposta vencedora o projeto REBOOT . "A proposta incorpora o desafio que significa ampliar os limites do pensamento", explicaram os jurados sobre sua decisão.

A proposta que representará o Uruguai na Bienal de Veneza é liderada por Marcelo Danza, curador responsável juntamente com Antar Kuri, Borja Fermoselle Allué, José de los Santos, Diego Cataldo, Facundo Romero, Mateo Vidal e Marcelo Staricco. Miguel Fascioli assumirá o posto de comissário do projeto.

REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío + 5

REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío
REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío

Memorial oficial [extrato]: Poderíamos rastrear a origem e o sentido da arquitetura no instinto de sobrevivência e na intuição de modificar o entorno. Habitar e transformar os objetos e os espaços continua - ainda hoje - sendo a fonte de vitalidade do mundo material e simbólico. Nada mais primitivo e atual que isto.

REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío
REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío

Quiçá também poderíamos rastrear a evolução da arquitetura como disciplina na necessidade e busca humana de superação (e consumo); logo, seus protocolos, códigos, legitimidades acadêmicas, políticas e econômicas...

A exuberante construção cultural que hoje em dia reveste a arquitetura acrescenta camadas ao seu sentido. O refinamento artístico que ela adquiriu a distanciou de seu sentido original. 

REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío
REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío

Os mais frágeis e vulneráveis, aqueles que não têm mais ferramentas para a construção de seu espaço vital, são um reservatório de sentido para a arquitetura. Ser habitada é que faz da arquitetura alguma coisa.

REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío
REBOOT, proposta do Uruguai para a Bienal de Veneza 2016. Cortesia de Facundo Romero Pío

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Valencia, Nicolás. "REBOOT, proposta vencedora para o Pavilhão do Uruguai na Bienal de Veneza 2016" [REBOOT, la propuesta ganadora para el pabellón uruguayo en la Bienal de Venecia 2016] 02 Mar 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/782879/reboot-proposta-vencedora-para-o-pavilhao-do-uruguai-na-bienal-de-veneza-2016> ISSN 0719-8906
Ler comentários

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.