O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias de Arquitetura
  3. Malkit Shoshan é escolhida como curadora do Pavilhão dos Países Baixos na Bienal de Veneza 2016

Malkit Shoshan é escolhida como curadora do Pavilhão dos Países Baixos na Bienal de Veneza 2016

Malkit Shoshan é escolhida como curadora do Pavilhão dos Países Baixos na Bienal de Veneza 2016
Malkit Shoshan é escolhida como curadora do Pavilhão dos Países Baixos na Bienal de Veneza 2016, Malkit Shoshan (2010). Imagem via Mediamatic
Malkit Shoshan (2010). Imagem via Mediamatic

Malkit Shoshan, finalista este ano do Harvard GSD Wheelwright Prize, foi escolhida pelo Het Nieuwe Instituut para ser a curadora do Pavilhão dos Países Baixos na Bienal de Veneza 2016. Fundadora do think-tank FAST (Foundation for Achieving Seamless Territory), Shoshan tem sido parceira do instituto nos últimos dois anos e é autora do premiado livro Atlas of Conflict: Israel-Palestine (2010). Seu trabalho atual, intitulado Drones and Honeycombs, é um estudo da arquitetura e paisagem que examina atentamente "o espaço público em zonas de guerra".

Do instituto: As Nações Unidas promovem contínuas missões de paz em centenas de locais em todo o mundo. As bases militares são ilhas autossustentáveis isoladas de seus entornos imediatos. O projeto dessas bases é semelhante ao das estruturas de poder e não contribui para melhorar a vida dos habitantes destas regiões. A necessidade urgente de novas soluções espaciais que possam significar algo para as comunidades locais é uma importante motivação de sua pesquisa. 

Como pesquisadora do Het Nieuwe Instituut, Shoshan focou no modo progressivo como os Países Baixos contribuem com as missões de paz da ONU. O objetivo é ver as bases das Nações Unidas não como fortificações fechadas, mas catalisadores do desenvolvimento local.

A apresentação do Pavilhão dos Países Baixos se concentra no estudo de caso de Camp Castor em Gao, Mali, onde a ONU colocou em marcha uma missão de paz. A cor azul é usada como uma metáfora para o conflito, unindo arquitetura, direitos humanos e ativismo. Conectando pesquisa de cultura com pesquisa de arquitetura, a proposta dos Países Baixos para Veneza busca tornar visível os desafios espaciais e oportunidades para a situação de conflito e crise em Gao.

Sobre este autor
Cita: Taylor-Foster, James. "Malkit Shoshan é escolhida como curadora do Pavilhão dos Países Baixos na Bienal de Veneza 2016" [Malkit Shoshan to Curate Dutch Pavilion at 2016 Venice Biennale] 04 Jan 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/779701/malkit-shoshan-e-escolhida-como-curadora-do-pavilhao-dos-paises-baixos-na-bienal-de-veneza-2016> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.