O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias de Arquitetura
  3. Bienal de Veneza anuncia o tema para 2016: "Reporting From the Front"

Bienal de Veneza anuncia o tema para 2016: "Reporting From the Front"

Bienal de Veneza anuncia o tema para 2016: "Reporting From the Front"
Bienal de Veneza anuncia o tema para 2016: "Reporting From the Front", Alejandro Aravena. Imagem Cortesia da Bienal de Veneza
Alejandro Aravena. Imagem Cortesia da Bienal de Veneza

A Bienal de Veneza anunciou o tema para a edição de 2016, que será dirigida por Alejandro Aravena. Intitulada "Reporting From the Front", a próxima Bienal será uma investigação sobre o papel dos arquitetos na luta para melhorar as condições de vida das pessoas em todo o mundo. O tema busca focar em arquiteturas que trabalham com as limitações impostas pela falta de recursos e projetos que subvertem o status quo para produzir arquitetura para o bem comum.

No caso dos pavilhões nacionais, Aravena convida os curadores a compartilharem as dificuldades encontradas em cada país, trazendo à luz estas batalhas das quais alguns profissionais podem nem ter consciência e compartilhando algumas das soluções adotadas em diferentes lugares do mundo.

Aravena explica que:

"Nós gostaríamos de aprender com a arquitetura que, apesar da escassez dos meios, intensifica o que está disponível em vez de reclamar sobre o que está faltando. Nós gostaríamos de entender quais ferramentas de projeto são necessárias para subverter as forças que privilegiam o lucro individual sobre o benefício coletivo, resumindo Nós para apenas Eu. "

Alejandro Aravena e Paolo Baratta. Imagem Cortesia da Bienal de Veneza
Alejandro Aravena e Paolo Baratta. Imagem Cortesia da Bienal de Veneza

O presidente da Bienal, Paolo Baratta, também coloca o novo tema no contexto da Bienal anterior:

-"A arquitetura é a arte onde as demandas, aspirações e necessidades privadas cruzam-se com as públicas.

"A recusa em nos arriscarmos em um caminho perigoso. Ficar encima do muro faz com que não exista a consciência sobre quais perguntas indagar-se, e não ser capaz de imaginar soluções diferentes e alternativas - ou frustração por conta das propostas irrealizáveis.

"Foi por isso que começamos a Bienal com curadoria de Aaron Betsky (2008) com 'Architecture Beyond Building.' Então, veio Kazuyo Sejima com o tema "People Meet in Architecture" (2010) considerando-a o lugar habitado pela comunidade. 2012 foi a vez de David Chipperfield, que com 'Common Ground' que desafiou a afirmação de que a arquitetura não existe mais, apenas arquitetos envolvidos em seu esforço criativo solipsista. Na edição seguinte "Fundamentals" (2014), Rem Koolhaas investigou os elementos que constituem a arquitetura de hoje.

"Agora Alejandro Aravena está nos levando para esse campo de batalha, mostrando-nos que, se nós nos esforçamos para formular perguntas mais claras, que serão levadas em conta, identificando soluções," arquitetura realmente pode fazer a diferença '. "

No caso dos pavilhões nacionais, Aravena convida curadores a compartilhar com o resto do mundo, quais são as lutas que enfrentam em casa, "para que possamos ser avisados sobre desafios que não estávamos cientes, mas também para compartilhar algum conhecimento porque ninguém deve estar sozinho no esforço de melhorar os locais onde ocorre a vida".

Leia a declaração curatorial de Aravena na íntegra abaixo e confira sua palestra TED, onde ele compartilha os princípios que norteiam seus próprios projetos com foco na comunidade, no final do post. Para mais informações sobre a próxima Bienal de Veneza, veja o site oficial da Bienal aqui.

Declaração curatorial por Alejandro Aravena:

REPORTING FROM THE FRONT

Existem várias batalhas que precisam ser ganhas e várias fronteiras que precisam ser expandidas para que a qualidade do ambiente construído e, consequentemente, a qualidade de vida das pessoas melhore. Mais e mais pessoas no planeta estão em busca de um lugar decente para viver e as condições para alcançá-lo estão tornando-se cada vez mais difíceis. Qualquer tentativa de ir além dos negócios como encontros habituais resiste à inércia da realidade e qualquer esforço para abordar questões relevantes tem de superar a crescente complexidade do mundo.

Mas ao contrário de guerras militares onde ninguém ganha e há um sentimento predominante de derrota, na linha de frente do ambiente construído, há uma sensação de vitalidade, porque a arquitetura é sobre olhar para a realidade através de uma proposta. Isto é o que gostaríamos que as pessoas vissem na 15º Exposição Internacional de Arquitetura: histórias de sucesso valem a pena ser contadas e casos exemplares valem a pena ser compartilhadas onde a arquitetura fez e fará a diferença ganhando essas batalhas e expandindo as fronteiras.

REPORTING FROM THE FRONT trará ao público mais amplo o que é melhorar a qualidade de vida, enquanto se trabalha nas margens, em circunstâncias difíceis, enfrentando desafios prementes. Ou o que é preciso para estar na vanguarda tentando conquistar novos campos.

Nós gostaríamos de aprender com arquiteturas que, apesar da escassez de meios, intensificam o que está disponível em vez de reclamar sobre o que está faltando. Nós gostaríamos de entender quais ferramentas de projeto são necessárias para subverter as forças que privilegiam o ganho individual sobre o benefício coletivo, resumindo Nós para apenas para Eu. Nós gostaríamos de saber sobre casos que resistem ao reducionismo e simplificação excessivo e não desistem da missão da arquitetura em penetrar no mistério da condição humana. Estamos interessados em como a arquitetura pode introduzir uma noção mais ampla de lucro: o projeto como valor acrescentado, em vez de ser um custo extra ou um atalho para a igualdade.

Gostaríamos que este  REPORT FROM THE FRONT não fosse apenas a crônica de uma testemunha passiva, mas um testemunho de pessoas que realmente fazendo parte dela. Nós gostaríamos de equilibrar esperança e rigor. A batalha para um melhor ambiente construído não é nem um acesso de raiva, nem uma cruzada romântica. Assim, este relatório não será uma mera denúncia ou queixa, nem um discurso inspirador.

Vamos apresentar casos e práticas onde a criatividade foi usada para correr o risco por uma pequena vitória, porque quando o problema é grande, a melhoria de apenas um milímetro é relevante; o que pode ser exigido é ajustar a nossa noção de sucesso, porque as realizações na linha de frente são relativas, não absolutas.

Estamos muito conscientes de que a batalha para um melhor ambiente construído é um esforço coletivo que vai exigir força e conhecimento de todos. É por isso que eu gostaria que esta Bienal fosse inclusiva, ouvindo histórias, pensamentos e experiências oriundas de diferentes origens:

Os Arquitetos

Gostaríamos de convidar os profissionais que têm o problema da tela em branco: arquitetos, urbanistas, arquitetos paisagistas, engenheiros, construtores e simpatizantes, cujo trabalho está ganhando batalhas na fronteira, qualquer tipo de fronteira.

A sociedade civil

Nós também gostaríamos de apresentar casos em que comunidades organizadas  e cidadãos habilitados, às vezes sem nenhum treinamento formal em projeto, foram capazes de melhorar o seu próprio ambiente construído.

Os líderes

Então, gostaríamos de convidar os líderes que a partir de suas posições privilegiadas, na parte superior ou na parte inferior da pirâmide, podem orientar os praticantes nas batalhas que valem a pena. 

Os pavilhões nacionais 

Finalmente, gostaríamos de cada país compartilhasse com o resto do mundo, quais são as lutas que enfrentam em casa, para que possamos ser avisados sobre desafios que não estávamos cientes, mas também para compartilhar algum conhecimento porque ninguém deve estar sozinho no esforço de melhorar os locais onde ocorre a vida".

Assim, a 15º Exposição Internacional de Arquitetura se concentrará na sua aprendizagem, equilibrando inteligência e intuição são capazes de escapar do status quo. Nós gostaríamos de apresentar casos que, apesar das dificuldades (ou talvez por causa delas), em vez de renúncia ou amargura, propomos e fizemos alguma coisa. Nós gostaríamos de mostrar que no debate permanente sobre a qualidade do ambiente construído, há não só a necessidade, mas também espaço para a ação.

Sobre este autor
Cita: AD Editorial Team. "Bienal de Veneza anuncia o tema para 2016: "Reporting From the Front"" [Venice Biennale Announces Theme for 2016 Event: "Reporting From the Front"] 31 Ago 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/772789/bienal-de-veneza-anuncia-o-tema-para-2016-reporting-from-the-front> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.