Estaria a tecnologia diminuindo nossa compreensão do espaço público?

Estaria a tecnologia diminuindo nossa compreensão do espaço público?

Em um artigo publicado no Washington Post, Philip Kennicott argumenta que "a tecnologia mexeu nas linhas entre o público e o privado." O autor questiona se, em uma era de "individualismo radical" estimulado por nossa fascinação com a comunicação solitária, nossa compreensão e apreciação coletiva do espaço público e cívico não teria sido diminuída. Kennitott prevê que "uma coisa é certa: Viveremos em espaços mais lotados, e passaremos cada vez mais tempo nos interiores, encasulados em zonas climaticamente controladas com alguns bilhões de amigos mais próximos" à medida que a rápida urbanização se funde com a mudança climática.

Talvez estejamos entrando em uma nova era de individualismo radical, na qual a ideia de aproveitar o espaço público coletivamente esteja abrindo caminho para algo mais anárquico e carnavalesco. O silêncio já foi um dia valorizado como um sinal de sucesso em muitos espaços públicos, incluindo bibliotecas, museus e salas de concerto; a vitalidade de muitos desse espaços, hoje, é medida pelo ruído, agitação e risadas.

Leia o artigo completo aqui.

Sobre este autor
Cita: Taylor-Foster, James. "Estaria a tecnologia diminuindo nossa compreensão do espaço público?" [Has Technology Diminished Our Understanding Of Public Space?] 12 Mai 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Baratto, Romullo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/766761/estaria-a-tecnologia-diminuindo-nossa-compreensao-do-espaco-publico> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.