O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Como a vandalização de um clássico expõe a hipocrisia em relação ao modernismo

Como a vandalização de um clássico expõe a hipocrisia em relação ao modernismo

  • 12:00 - 24 Outubro, 2014
  • por AJ Artemel
  • Traduzido por Camilla Sbeghen
Como a vandalização de um clássico expõe a hipocrisia em relação ao modernismo
Como a vandalização de um clássico expõe a hipocrisia em relação ao modernismo, © Xavier Delory
© Xavier Delory

Essas imagens do artista Xavier Delory mostram a famosa Villa Sovoye de Le Corbusier em terrível estado de deterioração. Através dos vidros quebrados e das pichações os vândalos desfiguraram tragicamente suas paredes e janelas intocáveis. Mas não entre em pânico: as imagens apresentadas foram manipuladas no photoshop. Mas, e se não tivessem sido? Neste artigo, publicado originalmente pela Metropolis Magazine como "Modernism in Ruins: Artist "Vandalizes" a Le Corbusier Masterpiece", AJ Artemel explora como nossa comoção e espanto causados por estas imagens expõe uma hipocrisia subjacente na nossa reverência pelas famosas obras modernistas e propõe que talvez o modernismo e o vandalismo estejam mais conectados do que podemos imaginar.

© Xavier Delory © Xavier Delory © Xavier Delory © Xavier Delory + 5

© Xavier Delory
© Xavier Delory

O artista, Xavier Delory, de Bruxelas, gosta de brincar com a história. Seu último projeto “Pèlerinage sur la Modernité” é um olhar irreverente sobre o significado das obras-primas do modernismo atualmente. As primeiras imagens da série questionam fortemente o papel da Villa Savoye de Le Corbusier na historiografia modernista, com suas paredes cobertas de grafites e suas famosas janelas em fita quebradas. Este é um destino comum aos projetos habitacionais suburbanos inspirados na Villa.

© Xavier Delory
© Xavier Delory

Delory apresenta esta alternativa da Villa Savoye, com imagens frontais das suas quatro fachadas, confrontando os observadores com o vandalismo hipotético e seu domínio do Photoshop. Entre os grafites típicos, um tubarão mergulhando e o texto dos cinco pontos de Le Corbusier, podem ser vistos. Os vândalos não identificados lançaram pedras nas janelas, deixando algumas destroçadas, outras cobertas com plástico. O clima também desempenhou um papel nessa fantasia de ruínas, grandes pedaços de cal soltaram-se das lajes desbotadas, antes intactas.

© Xavier Delory
© Xavier Delory

Em suma, a provocação do Delory é um ataque à idolatria da arquitetura. O choque induzido por suas imagens é a evidência de que, talvez, a Villa Savoye, como um ícone de funcionalidade e utilitarismo, seja tratada frequentemente como um objeto precioso. De fato, o estado atual (intacto) do edifício é resultado de um extenso processo de reconstrução e restauração que começou na década de 1960. Durante a Segunda Guerra Mundial, a casa foi expropriada primeiramente pelo exército alemão, que a utilizou como um celeiro de feno, e posteriormente pelo exército americano. Ambos causaram danos consideráveis e a Villa foi, na verdade, mais deteriorada do que a mão talentosa de Delory pôde representar. (A decadência do edifício apareceu em um dos polêmicos anúncios de Bernard Tschumi para Advertisements for Architecture, que se assemelha ao projeto de Delory).

© Xavier Delory
© Xavier Delory

Obviamente, Le Corbusier não estava alheio aos atos de vandalismo; sua residência de férias no Mediterrâneo ficava ao lado da E-1027, outro ícone modernista, projetado pela arquiteta Eileen Gray e o crítico Jean Badovici. Le Corbusier às vezes entrava na casa e pintava vibrantes murais nas paredes internas, e Gray foi bastante coerente ao acusá-lo de vandalismo. Parece que nem Le Corbusier conseguiu resistir ao chamado da enorme tela criada pelas paredes brancas do modernismo. Talvez o truque de Xavier Delory seja simplesmente dar a Le Corbusier um pouco do seu próprio remédio.

Sobre este autor
AJ Artemel
Autor
Cita: AJ Artemel. "Como a vandalização de um clássico expõe a hipocrisia em relação ao modernismo" [How 'Vandalizing' a Classic Exposes the Hypocrisy of Today's Modernists] 24 Out 2014. ArchDaily Brasil. (Trad. Camilla Sbeghen) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/756114/como-vandalizar-um-classico-expoe-a-atual-hipocrisia-sobre-o-modernismo> ISSN 0719-8906
Ler comentários

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.