O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Cinema e Arquitetura: “Metrópolis”

Cinema e Arquitetura: “Metrópolis”

Cinema e Arquitetura: “Metrópolis”
Cinema e Arquitetura: “Metrópolis”, Cartaz
Cartaz

Em 1927, um austríaco chamado Fritz Lang propunha uma realidade urbana caótica para o ano 2026, com uma cidade estratificada em que se pode reconhecer diferentes níveis sociais, cada um representado por uma determinada arquitetura. Os elementos arquitetônicos utilizados no filme reforçam a ideia do diretor, através de uma linguagem formal que os supre (não substitui) a falta do som para a época. Hoje um clássico, com vocês: Metrópolis.

Imagem do filme

SINOPSE

Metrópolis é um filme alemão de ficção científica produzido em 1927, realizado pelo cineasta austríaco Fritz Lang. Ele foi, à época, a mais cara produção até então filmada na Europa, e é considerado por especialistas um dos grandes expoentes do expressionismo alemão. Lang escreveu também o roteiro, em parceria com Thea von Harbou, com base em romance da última.

Imagem do filme

O enredo é ambientado no século XXI, numa grande cidade governada autocráticamente por um poderoso empresário. Os seus colaboradores constituem a classe privilegiada, vivendo em um jardim idílico, como Freder, único herdeiro do dirigente de Metropolis. Os trabalhadores, ao contrário, são escravizados pelas máquinas, e condenados a viver e trabalhar em galerias no subsolo.

Imagem do filme

Em meio à miséria dos operários, uma jovem, Maria, se destaca, exortando os trabalhadores a se organizarem para reivindicar seus direitos através de um escolhido que virá para os representar.

Imagem do filme - Maria ( Brigitte Helm)

Através de cenas de forte expressão visual, com o recurso a efeitos especiais, algumas se tornaram clássicas, como a panorâmica da cidade com os seus veículos voadores e passagens suspensas.

Imagem do filme

Alusões bíblicas, mistério, ação e romance, completam o leque que envolve o público e o mantém em suspense até ao final. A obra demonstra uma preocupação crítica com a mecanização da vida industrial nos grandes centros urbanos, questionando a importância do sentimento humano, perdido no processo. Como pano de fundo, a valorização da cultura, expressa no filme através da tecnologia e, principalmente, da arquitetura.

Imagem do filme
Veja  o trailer a seguir:

FICHA TÉCNICA
Título Original: Metropolis
Ano: 1927
Duração: 120 min.
Origem: Alemanha
Diretor: Fritz Lang
Roteiro: Thea von Harbou
Fotografia: Karl Freund e Günther Rittau
Atores: Gustav Fröhlich, Brigitte Helm, Alfred Abel, Rudolf Klein-Rogge, Fritz Rasp, Theodor Loos, Heinrich George.

Sobre este autor
Joanna Helm
Autor
Cita: Joanna Helm. "Cinema e Arquitetura: “Metrópolis”" 01 Jun 2012. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/51763/cinema-e-arquitetura-metropolis> ISSN 0719-8906