O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Ranking das dez cidades com maior custo de vida de 2013

Ranking das dez cidades com maior custo de vida de 2013

Ranking das dez cidades com maior custo de vida de 2013
Ranking das dez cidades com maior custo de vida de 2013, Luanda, Angola, é a primeira do ranking. Image
Luanda, Angola, é a primeira do ranking. Image

Luanda é a capital da Angola, na costa atlântica da África. Nesta cidade-porto vivem cinco milhões de pessoas que na sua maioria trabalham na produção de bebidas, tecidos, cimento, plásticos, metais, cigarros e sapatos. Este ano, assim como em 2011, Luanda foi catalogada como a cidade com maior custo de vida para os estrangeiros, segundo o estudo anual elaborado pela consultora Mercer.

O informe “Custo de vida 2013” analisou 214 cidades nos cinco continentes tomando, basicamente, Nova York como referência quanto a custos, comparando mais de 200 artigos em cada cidade, como habitação, transporte, comida, roupa, utensílios para o lar e entretenimento. Ainda que as cidades europeias - especificamente da Suíça- estejam dentro do ranking, a maioria dos postos mais altos são ocupados por cidades da Ásia e África.

Em alguns casos, a diferença no custo de estes elementos é muito alta. Por exemplo, o custo de uma xícara de café em Manágua, Nicarágua é de US$1,54 em comparação aos US$8,29 que custa em Moscou; hambúrgueres por US$3,62 em Kolkata, Índia, contra US$13,49 em Caracas; e uma entrada de cinema por US$5,91 em Johanesburgo em comparação aos US$20,10 em Londres. Dentro de as cinco cidades mais caras de este ranking, a habitação é o item mais caro em Tókio, N’Djamena (Chade) e Singapura.

As razões de por que estas cidades são tão caras para os estrangeiros, na continuação.

1. Luanda, Angola

Nesta cidade, como muitas do continente africano, a desigualdade na qualidade de vida de seus habitantes é radical. A pesar de ser um dos principais produtores de petróleo do continente, Angola é um país relativamente pobre. Sua capital está em primeiro no ranking, produto da grande quantidade de insumos importados que faz com que seja muito caro de serem adquiridos por estrangeiros. Além disso, nesta cidade fica muito difícil encontrar uma habitação segura e de baixo preço que cumpra com os padrões que os estrangeiros exigem.

Alguns dos produtos ou serviços mais caros desta cidade são o aluguel mensal de um apartamento de luxo com dois quartos (US$6.500), uma entrada de cinema (US$10,42), uma calça jeans (US$204, 41), um hambúrguer de fast food (US$20,06) e um litro de leite (US$3,18).

2. Moscou, Rússia

© Flickr © Sergey Tchernakov
© Flickr © Sergey Tchernakov

A capital da Rússia subiu dois postos no ranking em relação ao ano anterior, seguindo Luanda como a segunda cidade mais cara para estrangeiros devido aos altos custos de aluguel e de importação de bens e serviços. Um litro de leite custa US$7,59, enquanto um apartamento de luxo de dois dormitórios sem móveis pode custar até US$4.600 por mês, 14 vezes mais que em Karachi, Paquistão. Além disso, os preços de um jornal (US$9,95), de uma xícara de café (US$8,29) e de um litro de leite (US$7,59) são os mais altos do mundo.

3. Tokyo, Japão

© Flickr © Chris Battaglia
© Flickr © Chris Battaglia

Tókio, capital do Japão, é uma das cidades com maior atividade financeira do mundo, produto das indústrias petroquímicas, automobilística e tecnológica, entre outras. Ainda que no ano passado esta cidade estivesse em primeiro no ranking de Mercer, sua queda ao terceiro posto se explica porque ultimamente vinham baixando os custos. Dentre todas as cidades envolvidas neste, Tókio tem de longe as entradas mais caras para um filme no cinema (US$19,34), e se destaca também pelo alto custo de um litro de refrigerante (US$1,94) e de uma xícara de café (US$6,98).

4. N’Djamena, Chade

© Flickr © Afcone
© Flickr © Afcone

Subindo quatro lugares em relação ao ano anterior, esta é a segunda cidade mais cara do continente africano, onde os estrangeiros têm grandes gastos em habitação, transporte e na compra de produtos importados. A desigualdade econômica entre ingleses e chadianos acentua as diferenças de preços no mercado, conduzindo à inflação de alimentos e insumos básicos. Deste modo, N’Djamena tem, de longe, os hambúrgueres de fast food mais caros no mundo (US$25,51). Apesar disso, segundo este estudo, as categorias de apartamentos de luxo, entradas de cinema e calças jeans são tão expressivas nesta cidade.

5. Singapura, Singapura

© Flickr © Trent Strohm
© Flickr © Trent Strohm

A alta demanda por habitação e mercadorias, junto com uma moeda forte, faz de Singapura uma cidade bastante cara. Como se vê em outras cidades onde existem muitos executivos, o preço de uma xícara de café - que deve ser importado - é alto (US$4,84), assim como um litro de gasolina (US$1,76) e uma calça jeans (US$129,11).

6. Hong Kong, China

© Flickr © Herry Lawford
© Flickr © Herry Lawford

Ocupando o nono lugar no ranking em 2012, Hong Kong se consolidou como o centro financeiro mais importante da China. Seus custos são tão altos, entre outras coisas, pela forte competição que gera a chegada de empresários de todo o mundo. Este se vê refletido no custo do aluguel de um apartamento de luxo para duas pessoas (US$7.091,69), o mais alto do mundo. Outros artigos também estão dentro dos mais caros, como uma xícara de café (US$5,67) e um hambúrguer de fast food (US$12,51).

7. Genebra, Suíça

© Flickr © Am
© Flickr © Am

Suíça segue sendo um dos lugares mais caros para os estrangeiros apesar da queda dos preços de habitação e uma moeda nacional forte. Esta cidade também é conhecida como a “cidade internacional” por abrigar várias sedes de organizações mundiais. Nela habitam em torno de um milhão de pessoas que desfrutam da cidade que em vários estudos foi catalogada como uma das que oferece melhor qualidade de vida para seus habitantes. Aqui uma entrada de cinema custa US$18,48, uma calça jeans custa US$141,26, uma xícara de café US$6,52 e um hambúrguer de fast food US$12,51.

8. Zurique, Suíça

© Flickr © Laurent Bugnion
© Flickr © Laurent Bugnion

Segundo as estatísticas, os residentes de Genebra e Zurique pagam, em média, em torno de 20% mais que as pessoas de outras cidades de Europa ocidental por produtos, serviços e habitação. Os alimentos são particularmente caros porque os preços na Suíça são em torno de 45% mais altos que a média europeia ocidental. Zurique é a principal cidade de Suíça e tem quase 400 mil habitantes. Particularmente, tem o preço relativo de entrada ao cinema mais caro do mundo (US$20,66), enquanto que um litro de gasolina custa US$2,02, um litro de bebida US$1,60 e o aluguel mensal de uma casa de luxo de três dormitórios US$5.980.

9. Berna, Suíça

© Flickr © Nouhailler
© Flickr © Nouhailler

Bern é a capital de Suíça e a terceira cidade deste país na lista da Mercer. Nela habitam cerca de 135 mil pessoas, dedicadas principalmente à agricultura, a indústria madeireira e manufatureira. Em Berna não se registra a opção de aluguel de casas de luxo, no entanto, alguns dos preços mais elevados correspondem a uma entrada de cinema por US$18,95, um hambúrguer de fast food por US$12,51 e um litro de leite por US$1,74.

10. Sidney, Austrália

© Flickr © Steve Passlow
© Flickr © Steve Passlow

Assim como Singapura, Sidney entra neste ranking principalmente pela alta a demanda por habitação, que segue crescendo sem uma oferta que a cubra. Outras cidades australianas são também relativamente caras devido à força do dólar australiano. Nesta região, as cidades da Nova Zelândia são mais acessíveis para os estrangeiros.

No continente americano, São Paulo (19°) está no ranking como a cidade mais cara da América do Sul. San José, na Costa Rica (126°) está no topo da lista de cidades da América Central, enquanto que a Cidade de México (138°) é a mais cara das cidades analisadas deste país. Por sua parte, Vancouver (64°) é a cidade canadense mais cara.

Entre as cidades da América do Sul, algumas desceram no ranking como consequência da desvalorização das moedas locais frente ao dólar estadunidense, como o caso das cidades brasileiras, enquanto que outras subiram como consequência da alta inflação sobre os bens e serviços, e os aluguéis. Nova York, a cidade de referência para o ranking do Custo de Vida de Mercer, é a cidade mais cara dos EUA.

Por Francisca Codoceo, via Plataforma Urbana. Tradução Gabriel Pedrotti, ArchDaily Brasil.


Ver a galeria completa

Sobre este autor
Romullo Baratto
Autor
Cita: Romullo Baratto. "Ranking das dez cidades com maior custo de vida de 2013" 09 Out 2013. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/145683/ranking-das-dez-cidades-com-maior-custo-de-vida-de-2013> ISSN 0719-8906