O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. “Lullaby Factory”: Intervenção musical em hospital infantil em Londres

“Lullaby Factory”: Intervenção musical em hospital infantil em Londres

“Lullaby Factory”: Intervenção musical em hospital infantil em Londres
“Lullaby Factory”: Intervenção musical em hospital infantil em Londres, Via Deezen
Via Deezen

Texto por Constanza Martínez Gaete via Plataforma Urbana. Tradução Archdaily Brasil.

Há dois anos, o Hospital Great Ormond Street em Londres possuía um grande quintal em seu fundo. Então, como parte da reforma, um segundo edifício foi construído a poucos metros da primeira propriedade, resultando em um espaço sem uso entre as edificações. Para aproveitar esta nova área, a empresa Studio Weave criou uma instalação artística e musical que foi posicionada neste pequeno pátio, que pode ser desfrutada pelos pacientes em seus quartos.

“Lullaby Factory” é uma rede de caldeiras, chaminés, megafones e grandes tubulações que juntos criam uma paisagem metálica para todos aqueles que passam pelo primeiro hospital infantil da Inglaterra. Para adequar-se a seus jovens pacientes, as estruturas converteram-se em instrumentos musicais e reproduzem canções de ninar.

Mais imagens e informações a seguir.

Via Deezen
Via Deezen

A música foi composta por Jessica Curry e pode ser escutada diretamente quando se para ao lado de um dos megafones. Como a instalação procura não somente melhorar o espaço que era inutilizado entre os dois edifícios – que em alguns pontos não passava de um metro de distância – mas também visa praticar a inclusão das crianças ali internadas, foi criada uma transmissão através de uma freqüência de rádio, permitindo que os pacientes possam escutar desde seus quartos a mesma música que pode ser ouvida no exterior.

Via Deezen
Via Deezen

O edifício funciona desde 1852 e por sua idade, tem grande parte da canalização original e sistemas de drenagem sobre a superfície das paredes de tijolo. Para manter esta linguagem, os arquitetos optaram por adicionar tubos de metal e remodelá-los.

Via Deezen
Via Deezen

A grande rede metálica e sonora alcança os dez pavimentos de altura e uma extensão de 32 metros, que podem ser atravessados a pé através do pátio e observados pelas janelas do hospital.

Via Deezen
Via Deezen

Jê Ahn e Maria Smith, arquitetos do escritório responsável pela “fábrica musical”, explicaram que seu trabalhopode envolver a imaginação de cada um dos pacientes, pais e funcionários do hospital, proporcionando um mundo interessante e curioso para se assistir”.

Via Deezen
Via Deezen

As estruturas metálicas de bronze, ouro e prata vieram de outro hospital onde eram inutilizadas em salas de caldeira. Depois de serem recicladas pelos arquitetos do Studio Weave, permanecerão instaladas até 2028, ano em que o edifício do Hospital Great Ormond Street será demolido.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Fernanda Britto
Autor
Cita: Fernanda Britto. "“Lullaby Factory”: Intervenção musical em hospital infantil em Londres" 05 Abr 2013. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/107022/lullaby-factory-intervencao-musical-em-hospital-infantil-em-londres> ISSN 0719-8906